Imagem da matéria: Justiça do Distrito Federal extingue ação contra o "playboy do Bitcoin"
Marlon Gonzalez Motta no Copacabana Palace (RJ) em março de 2019. Imagem: Repodução/Instagram

A Justiça do Distrito Federal de Territórios extinguiu uma ação contra Marlon Gonzalez Motta, o “Playboy do Bitcoin”, pelo fato da ação ter apresentado pedidos contraditórios. Mesmo após a Justiça ter intimado o autor do processo para corrigir a petição nada foi feito.

De acordo com a decisão da juíza Grace Correa Pereira Maia, da 9ª Vara Cível de Brasília, a autora da ação após ter visualizado a decisão da Justiça para emendar a petição inicial, deixou de cumprir a ordem judicial. 

Publicidade

A juíza mencionou que a pessoa tomou conhecimento da ordem e decidiu deixar de atender o que levou a Justiça a não ter outra opção senão extinguir a ação sem decidir o mérito, ou seja, sem afirmar quem é que tem razão na discussão.

“Destarte, e em simples consulta ao sistema do PJe, verifico que o sistema registrou ciência da decisão de emenda à inicial em 13/03/2020. Por conseguinte, o prazo fatal para a sua manifestação, transcorrido in albis, foi registrado pelo PJe para a data de 20/05/2020”, afirmou a magistrada.

A ação foi promovida não só contra o empresário que ficou famoso por  suspeitas de golpes usando bitcoins. Estavam também como rés, as empresas BMBC Consultoria em investimentos Ltda, M3Private Consultoria Empresarial e a Treinamento e Participações Eireli.

Pela sentença não há como saber qual era o motivo do processo e nem o valor atribuído à causa. A decisão também não especificou quais foram os pedidos contraditórios da autora da ação.

Publicidade

Playboy do Bitcoin

Marlon Gonzalez Motta que tem sido investigado pela Justiça do Distrito Federal por estelionato com uso de criptomoedas no início deste mês de maio afirmou que é inocente e que poderia provar.

Gonzalez ficou famoso no ano passado quando teria criado um esquema para  enganar investidores de criptomoedas. A situação toda veio à tona em meio a ostentação e luxo nas redes sociais.

Segundo o jovem empresário,a área de investimentos foi trocada pela de tecnologia e hoje ele vive escoltado, de carro blindado para sua segurança. 

Gonzalez chegou até mesmo a ser sequestrado e espancado por dois clientes no ano passado que teriam sido enganados pelo jovem que ficou conhecido como o “playboy do bitcoin”. 

Publicidade

Ele teria desfalcado investidores de bitcoin em pelo menos R$ 3 milhões com falsas promessas. O caso também envolveu policiais que acabaram presos.

Sua fama foi longe depois de ter aplicados golpes em jovens da alta classe que ele geralmente abordava em festas. Um deles chegou até mesmo levar o caso à Justiça, mas não houve qualquer efeito.


BitcoinTrade: Depósitos aprovados em minutos!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em menos de 5 minutos! Acesse: bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com logo do Pix sob bandeira do Brasil

Pix: Um catalisador para o futuro das finanças descentralizadas no Brasil? | Opinião

Para o autor, o Pix, combinado com os princípios das finanças descentralizadas e conceitos de dinheiro programável, poderia abrir caminho para uma nova era de inovação financeira
Ilustração mostra mapa do Brasil com pontos ligados em blockchain

Banco Central, UFRJ, Polkadot e Ripple se unem para aprofundar pesquisas sobre interoperabilidade entre blockchains e DREX

A Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) antecipa…
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
Antônio Ais posa para foto ao lado de carro

Criador da Braiscompany, Antônio Neto Ais é solto na Argentina

O benefício de prisão domiciliar valerá até que o processo de extradição para Brasil seja resolvido