Lupa destaca nome Binance em tela de computador
Foto: Shutterstock

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) está lambendo suas feridas depois que um juiz negou seu pedido de acesso ao software que alimenta a Binance US, o braço americano da exchange de criptomoedas.

Em uma audiência na segunda-feira (18), o órgão regulador pediu a um juiz federal que permitisse uma inspeção da infraestrutura técnica da Binance US e forçasse a empresa a compartilhar outras informações solicitadas como parte de seu processo em andamento contra a empresa.

Publicidade

Mas o Juiz Federal, Zia Faruqui, disse que não estava “inclinado a permitir a inspeção neste momento”, de acordo com a Bloomberg. Em vez disso, ele disse que a SEC deve apresentar pedidos mais personalizados e falar com testemunhas adicionais.

A história é o último capítulo de um processo legal que começou em junho deste ano, quando os reguladores dos EUA processaram a Binance US, Binance Holdings e o CEO da Binance, Changpeng “CZ” Zhao, por administrar uma exchange não licenciada.

A SEC alega que a separação entre a Binance US e a Binance Holdings é meramente cosmética e que o dinheiro dos clientes estava deixando os Estados Unidos em violação das regras de valores mobiliários do país.

Vale ressaltar que uma atenção especial está sendo dada à Ceffu, uma plataforma de custódia renomeada no início deste ano pela Binance Custody. A SEC suspeita que esse é um canal entre a Binance US e a Binance Holdings, e tem sido usado para transferir fundos de clientes dos EUA para fora do país.

Publicidade

O pedido de uma inspeção do software da Binance tinha como objetivo entender qual o papel que a Ceffu estava desempenhando na facilitação da alegada transferência ilegal. Embora o juiz Faruqui tenha negado o pedido, é improvável que a SEC seja dissuadida.

SEC x Binance

A SEC alegou durante a audiência na segunda-feira que a Binance havia fornecido apenas três testemunhas e menos de 250 documentos no caso até agora. O regulador também alegou que a Binance US bloqueou pedidos para o depoimento de altos executivos.

“A aceleração do êxodo em massa de funcionários da BAM, agora incluindo seu CEO e outros que podem possuir informações cruciais sobre a custódia, controle e disponibilidade de ativos, ressalta ainda mais a necessidade urgente de descoberta acelerada dessas questões”, afirma o documento da SEC de segunda-feira.

Os advogados que representam a Binance US alegaram que os pedidos da SEC são pouco mais do que uma “expedição de pesca.”

Publicidade

Matthew Martens, advogado da WilmerHale que representa a Binance US, disse na audiência que a Binance respondeu a todos os “pedidos direcionados” da SEC. “O que não vamos responder é à tolice dos pedidos de documentos que vieram do governo daqui.”

Embora tenha concordado inicialmente a passar essas informações, a empresa depois os pedidos e disse que o regulador estava fazendo “exigências irracionais”.

No início deste mês, a SEC acusou a Binance de uma “falta de transparência” durante sua investigação sobre a exchange de criptomoedas. A Binance sempre disse que a Binance US — para clientes norte-americanos — é uma empresa separada, administrada independentemente de sua controladora.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
hackers em frente a computadores

Exchange de criptomoedas Rain perde US$ 14,8 milhões em ataque hacker

A exchange disse que já tomou as medidas necessárias e que todas as sua atividades estão funcionando normalmente, inclusive saques
Presidente do Banco Central Roberto Campos Neto falando diante de um microfone

Presidente do Banco Central se reúne com MB um dia após anunciar agenda da regulação do mercado cripto

O Banco Central divulgou ontem os próximos passos para a regulação do setor cripto e espera concluir o processo até o final de 2024
Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin

Fundos cripto do Brasil captam mais R$ 1,5 mi e chegam a 21ª semana consecutiva de entradas

Vindo de uma grande sequência de captação, fundos de criptomoedas do Brasil estão em 3º lugar no ranking global, atrás apenas dos EUA e Hong Kong
Imagem da matéria: Epik Duck: Conheça o projeto que foi de piada a memecoin de US$ 25 milhões

Epik Duck: Conheça o projeto que foi de piada a memecoin de US$ 25 milhões

Memecoins como a EPIK estão se tornando cada vez mais populares no universo das criptomoedas. Isso é bom ou ruim?