Imagem da matéria: Investidores da Ásia podem impulsionar crescimento do Runes Bitcoin
Bitcoin Runes (Imagem: Magic Eden)

No universo cripto, onde a maioria das histórias é reduzida a uma única linha, a história do protocolo Runes — uma estrutura otimizada para a criação de memecoins no Bitcoin — é mais ou menos assim: começou com um estrondo e desapareceu, com a mesma rapidez, com um gemido. 

Mal se passou um mês desde a estreia de sucesso das Runes junto com o halving do Bitcoin em abril e, ainda assim, o fracasso subsequente do protocolo em atender aos altos padrões de referência levou muitos a considerar todo o esforço como uma derrota. 

Publicidade

Mas será que a crescente empolgação institucional com as Runes no Leste Asiático poderia sinalizar um possível segundo ato para o protocolo em desenvolvimento?

Embora as conversas convencionais sobre as Runes tenham se acalmado no Ocidente, o burburinho na Ásia em torno do protocolo continuou a crescer — principalmente entre investidores institucionais e equipes de construção mais centralizadas, que o veem como uma variação mais sofisticada da tecnologia em comparação com o padrão anterior de token fungível BRC-20.

Os tokens BRC-20, a primeira onda de memecoins do Bitcoin, criaram muita empolgação orgânica quando dominaram as aplicações cripto em 2023, nascidos de um ajuste improvisado no código do Bitcoin Ordinals. Sua estreia foi caótica, altamente experimental e descentralizada — a tempestade perfeita para o sucesso no universo cripto. 

O protocolo Runes, por outro lado, foi implementado de forma muito mais metódica, por uma equipe de engenheiros respeitáveis que se concentraram em segurança, escalabilidade e ferramentas de construção de fácil navegação. Na verdade, ele foi criado pelo criador original do Ordinals, Casey Rodarmor, que acreditava que poderia criar um protocolo de token fungível melhor do que aquele que se baseava em seu próprio código anterior.

Publicidade

Essa ênfase, sem dúvida, ainda não causou muita impressão nos traders de alto risco em cripto. Mas os investidores do Leste Asiático dizem que isso já fez uma grande diferença para eles. 

“As Runes estão estruturadas para atender potencialmente aos requisitos rigorosos dos investidores institucionais, enfatizando a escalabilidade, a eficiência e a segurança”, disse Ciara Sun, fundadora e sócia-gerente da empresa de investimentos em criptoativos com foco na Ásia C Squared Ventures, ao Decrypt. “Esse alinhamento pode tornar as Runes mais atraentes para uma base institucional mais ampla.”

Algumas empresas de investimento asiáticas, como o Newman Group, sediado em Hong Kong, já entraram de cabeça nas Runes. A empresa diz que está promovendo ativamente o desenvolvimento delas por meio de empresas do portfólio, como a Xverse e a Liquidium, considerando o que a empresa vê como o potencial das Runes para se tornarem uma camada de infraestrutura fundamental para todo o setor cripto. 

“Acreditamos que as Runes do Bitcoin podem acabar sendo maiores do que o BRC-20, especialmente considerando o interesse institucional”, disse Adrian Lai, fundador do Newman Group, ao Decrypt. “As vantagens técnicas do protocolo Runes e o potencial para transações eficientes entre redes podem torná-la a escolha preferida para instituições que desejam acessar DeFi no Bitcoin.”

Publicidade

Algumas das empresas mais proeminentes do setor cripto já apoiaram o protocolo. O Magic Eden, marketplace líder de NFT cross-chain, lançou uma plataforma Runes dedicada em abril. A OKX, uma das principais exchanges centralizadas de criptomoedas da Ásia, adotou o protocolo com entusiasmo; foi a primeira exchange desse tipo a oferecer negociação de Runes com taxa zero.

Paige Xu, investidora da OKX, diz que as Runes foram projetadas de forma quase perfeita para atender a todas as necessidades de um investidor institucional. Ela observou particularmente o modelo de saída de transação não gasta (UTXO) do protocolo, o qual permite que os tokens interajam de forma muito mais perfeita com carteiras de criptomoedas, redes de segunda camada e aplicativos DeFi do que os tokens BRC-20 ou as inscrições Ordinals atualmente. 

“As Runes têm as características certas — eficiência e uma pegada de blockchain leve — que as instituições normalmente procuram em tecnologia, que pode lidar com demandas pesadas de forma segura”, disse Xu ao Decrypt, acrescentando que suas opiniões pessoais não refletem necessariamente as de seu empregador. 

O investidor observou, no entanto, que a ascensão das Runes ao domínio por meio de apoio institucional está longe de ser um negócio fechado. 

“A adoção de tecnologia baseada em Bitcoin como essa ainda é muito nova, e muito depende de como podemos educar e integrar esses ativos no mundo financeiro mais amplo”, disse ela. 

Publicidade

Nos dias após o lançamento em 19 de abril, o interesse pelas Runes disparou; três dias depois, o protocolo registrou mais de um milhão de transações, de acordo com dados da cadeia da Dune.  O volume de transações caiu até 90% nas semanas seguintes, em meio a um período mais amplo de arrefecimento em todo o ecossistema cripto.

No entanto, no final de maio, a atividade das Runes mais do que triplicou. Pela primeira vez, a capitalização de mercado total dos ativos no protocolo atingiu US$ 1 bilhão, de acordo com a GeniiData. Desde então, esse número ultrapassou US$ 2 bilhões, indicando que as Runes podem estar desfrutando de uma espécie de retorno (apesar de ter apenas um mês de existência). 

Não há garantia de que a empolgação institucional com as Runes do Bitcoin levará o protocolo a dominar o setor cripto, como muitos presumiram no passado. Mas se o sentimento atual no Leste Asiático for uma indicação, então os maiores players do setor cripto estão chegando à conclusão de que há apenas um caminho para a integração de tokens fungíveis de Bitcoin — e esse caminho é o uso das Runes.

“Se a emissão de tokens fungíveis na blockchain do Bitcoin for a decisão certa, então decidir entre as Runes e o BRC-20 se resume a qual tem mais chances de viabilidade e diversidade a longo prazo”, disse MiXWeb3, o fundador da comunidade Runes China ao Decrypt. “Isso torna a escolha muito mais clara”.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Empresa cripto Bakkt está considerando uma potencial venda ou desmembramento, diz site

Empresa cripto Bakkt está considerando uma potencial venda ou desmembramento, diz site

A Bakkt recorreu à ajuda de um consultor financeiro para tomar a decisão, embora ainda não tenha definido o seu próximo passo
Imagem da matéria: Hacks de criptomoedas roubaram US$ 19 bilhões desde 2011 e atividades ilegais seguem crescendo

Hacks de criptomoedas roubaram US$ 19 bilhões desde 2011 e atividades ilegais seguem crescendo

Relatório da Crystal Intelligence mostra que em 13 anos ocorreram 785 casos de roubos de criptomoedas, no valor total de US$ 19 bilhões
Vitalik Buterin posa para foto na ETH Taipei 2024

Criador do Ethereum, Vitalik Buterin explica qual é o erro dos tokens de celebridades

O veterano do setor cripto criticou a captação de dinheiro pelas estrelas, afirmando que o hype pode ser aproveitado para fazer o bem
moedas de Bitcoin, Solana e Ethereum emparelhadas - ao fundo gráfico de mercado

O papel das criptomoedas como armazenamento de valor | Opinião

Em um cenário global de inflação, as criptomoedas podem servir como um porto seguro para proteger o poder de compra do seu patrimônio