Imagem da matéria: Gigante americana lança ETF "puro" de bitcoin no Canadá
Foto: Shutterstock

A Fidelity Investments, empresa de investimentos com sede em Boston e com mais de US$ 4 trilhões de ativos sob gestão, está lançando um fundo de índice (ou ETF, na sigla em inglês) lastreado em bitcoin (BTC).

No entanto, investidores americanos não têm muito o que comemorar, pois o ETF Fidelity Advantage Bitcoin (FBTC) será apresentado na Bolsa de Valores de Toronto em vez dos EUA.

Publicidade

Um ETF é um veículo de investimento negociado em bolsa que rastreia o valor de um ativo implícito – no caso de um ETF de bitcoin, esse ativo é o bitcoin.

ETFs de bitcoin já estão disponíveis a investidores em diversos países do mundo, incluindo Canadá, Brasil e Dubai.

Porém, a Comissão de Valores Mobiliários e de Câmbio dos EUA (ou SEC) sempre rejeitou todas as solicitações por um ETF puramente de bitcoin, que ofereceria exposição direta ao bitcoin.

Em vez disso, a SEC aprovou ETFs ligados a contratos futuros de bitcoin, algo que pode ser considerado como um compromisso temporário entre a reguladora e gestores de ativos, mesmo que estes, durante repetidas vezes, falaram a favor de ETFs puramente de bitcoin.

Fidelity, que está entre as dezenas de outros esperançosos de lançar um ETF puramente de bitcoin nos EUA, afirmou que sua proposta pôde avançar com seu produto canadense pois “nenhuma autoridade regulatória de valores mobiliários expressou uma opinião sobre esses valores mobiliários e seria uma ofensa afirmar o contrário”.

Publicidade

O novo fundo será gerenciado de forma ativa e obterá bitcoin físico diretamente em vez de obter exposição ao bitcoin por meio de um instrumento derivativo.

“Deve ser constrangedor para a SEC que um dos maiores e mais lendários nomes do mundo dos investimentos na América ser forçada a ir para o Norte para atender a seus clientes”, tuitou Eric Balchunas, analista sênior de ETFs da Bloomberg.

As mais recentes iniciativas da Fidelity no mundo cripto

A iniciativa surge dias após a Fidelity ter recebido aprovação regulatória para lançar a Fidelity Clearing Canada (FCC), a primeira solução institucional do país a oferecer serviços de negociação e custódia de criptomoedas.

Este ano, a Fidelity Digital Assets, o braço com foco em cripto da empresa, realizou uma pesquisa com investidores institucionais, concluindo que 70% dos respondentes pretende comprar ou investir em criptoativos no futuro próximo, em que 90% deles planejam fazê-lo até 2026.

Publicidade

Esse também pode ser um dos motivos pelos quais a Fidelity Digital Assets ter divulgado planos de acrescentar mais cem novos funcionários à sua equipe para atender à crescente demanda institucional para criptoativos além do bitcoin.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização de Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: CEO da Binance afirma que está considerando "algumas jurisdições" para a sede global

CEO da Binance afirma que está considerando “algumas jurisdições” para a sede global

“Quais são as jurisdições que têm regulamentações que podem atender ao nosso conjunto de produtos?”, questiona Richard Teng
Imagem da matéria: Confira 3 criptomoedas que podem disparar com o halving do Bitcoin

Confira 3 criptomoedas que podem disparar com o halving do Bitcoin

O halving pode atrair a atenção dos investidores para projetos alternativos criados no ecossistema do Bitcoin
Senado, Congresso, Câmara dos Deputados, Brasília, Parlamento

Segregação patrimonial no mercado cripto será tema de audiência pública na Câmara

Na justificativa para a audiência, o deputado Aureo Ribeiro disse que práticas adotadas por algumas exchanges despertam “graves preocupações”
moedas de bitcoin e ethereum sobre mesa envernizada

Manhã Cripto: Bitcoin recua para US$ 70 mil e Ethereum desacelera após maior salto em mais de um mês

Traders de criptomoedas pisam no freio nesta terça-feira (9) depois do rali do Ethereum durante a madrugada