Imagem da matéria: CVM aprova primeiro ETF de bitcoin do Brasil
Foto: Shutterstock

A QR Asset Management, gestora de recursos da holding QR Capital, anunciou nesta sexta-feira (19) que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou seu ETF (Exchange Traded Fund) de bitcoin, que poderá ser negociado na Bolsa de Valores Brasileira, a B3. É o primeiro do Brasil e da América Latina.

O ETF ficará disponível nas plataformas das corretoras ainda neste semestre, com o ticker ‘QBTC11’, segundo a empresa. A gestora espera captar R$ 500 milhões na captação de oferta primária.

Publicidade

Fernando Carvalho, CEO da QR Capital, disse em nota enviada aos jornalistas que o lançamento colabora com o amadurecimento do mercado brasileiro de capitais.

“Observo um amadurecimento do mercado, em sua busca constante por garantir opções seguras e muito simples de exposição ao bitcoin. Nosso ETF, a ser negociado com o ticker QBTC11, é um marco no mercado brasileiro”.

Um ETF replica o desempenho de índices que são negociados em bolsas. No caso do instrumento financeiro da QR, o índice usado será o mesmo dos contratos futuros da Chicago Mercantile Exchange (CME), a Bolsa de Mercadorias de Chicago.

Além do novo instrumento financeiro brasileiro, existem outros três ETFs de bitcoin no mundo, todos no Canadá. Nos Estados Unidos, a Comissão de Valores Mobiliários do país (SEC) está analisando um pedido de ETF feito pela administradora de investimento global VanEck.

Publicidade

Carvalho disse que o lançamento do QBTC11 pode, indiretamente, influenciar a criação de um ETF de bitcoin nos Estados Unidos.

“Há um caminho aberto, e, agora, com o ETF brasileiro, está ainda mais forte para pleitear a criação de um ETF a partir da chamada Benchmark Regulation, que aumenta o poder de pressão sobre a SEC”, disse.

Primeiro ETF de criptomoedas

No início da semana, a gestora de recursos Hashdex também recebeu sinal verde da CVM para lançar no mercado o primeiro ETF brasileiro de criptomoedas da B3.

Diferente do instrumento financeiro da QR Asset Management, o da Hasdex, cujo ticker é ‘HASH11’, é atrelado a um índice composto por seis criptomoedas — o Nasdaq Crypto Index.

Publicidade

Os ativos digitais do indíce são os seguintes: bitcoin, ethereum, litecoin, chainlink, bitcoin cash e stellar. O maior peso, segundo a gestora, é do BTC, com 79,71%, seguido pelo ETH com 16,9%.

VOCÊ PODE GOSTAR
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
Imagem da matéria: Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Ao todo, vítima gastou quase R$ 5 milhões nos pagamentos: além do envio de Bitcoin, foram 40 depósitos bancários
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

MPF faz nova denúncia contra donos da Braiscompany e doleiro por lavagem de dinheiro

Antônio Neto e Fabrícia Farias realizaram operações financeiras de grande porte com características de lavagem de dinheiro em pleno colapso da pirâmide
Imagem da matéria: '101 Perguntas sobre Bitcoin': Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

‘101 Perguntas sobre Bitcoin’: Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

A obra discorre os princípios técnicos da moeda até suas implicações socioeconômicas no contexto atual, de modo a proporcionar um entendimento profundo ao público geral