Imagem da matéria: Opinião: Quais as vantagens e desvantagens de investir em ETF de Bitcoin
Foto: Shutterstock

Essa semana tivemos o início de negociações na bolsa de valores B3 do HASH11, ETF que representa uma cesta de criptomoedas. Conforme esperado, as cotas estão negociando com um prêmio para o valor dos ativos contidos no fundo.

Os administradores do fundo, além da taxa de administração, que pode chegar a 1,3% ao ano, cobram 5,5% para criar uma nova cota. Ou seja, quanto mais taxas e custos, maior o prêmio sobre o valor de face. Pense no Iphone vendido no Brasil, cujo valor é sensivelmente maior por conta dos impostos e burocracia para importar e vender produtos por aqui.

Publicidade

As vantagens do ETF

Primeiramente, os clientes que já possuem conta em corretoras autorizadas da bolsa de valores, que são mais de 2,5 milhões, podem negociar essas cotas sem burocracia. Desse modo, não é necessário realizar cadastro em exchange de criptomoedas, nem tampouco transferir valores para outras instituições.

Além disso, a custódia (guarda) das criptomoedas é feita por empresas internacionais renomadas, além de auditoria da KPMG. Nem toda empresa ou fundo de investimento pode investir diretamente em diamantes, imóveis, ouro, ou Bitcoin

As desvantagens do ETF

Primeiramente, as porcarias contidas na cesta de ativos, que segue fielmente o índice Hashdex Nasdaq Crypto Index. Até pouco tempo atrás, isso incluía XRP, que foi removida da Coinbase após imbróglio com a justiça norte-americana. De qualquer maneira, segue contendo BCash (BCH), outra moeda que já foi removida de diversas exchanges.

No caso do ETF da QR Capital (QBTC11), a ser lançado, já não existe este risco. Tampouco foi divulgado qual será o custo de criação destas cotas. De qualquer modo, um produto melhor, considerando que aloca 100% do capital em Bitcoin.

Publicidade

Por último, temos a questão tributária. Fundos contam com o famoso “come-cotas”, que tira parte dos ganhos mesmo quando não há venda do ativo. Além disso, não existe a isenção para vendas de até R$ 35.000 por mês, que existe na negociação do Bitcoin verdadeiro.

ETF é bom para daytrade?

Não, por conta de seu horário de negociação limitado. Se o objetivo é giro, certamente o investidor deve procurar uma exchange com baixo custo de corretagem. Cabe lembrar que a maioria oferece um sistema escalonado, ou seja, quanto maior o volume, menor a taxa.

Quem se beneficia do ETF?

Veículos que simplesmente não podem comprar Bitcoin diretamente, seja por questões regulatórias, tributárias, ou regimento interno. São os fundos de pensão, PGBL, empresas, gestoras de fortunas, ou entidades onde só é permitido investir em ativos listados em bolsa de valores.

Apesar de não ser o produto ideal para todos, certamente é um motivo de celebração e algo positivo para a indústria. Agora, se você pode ter Bitcoin de verdade, com custódia própria, melhor.

Publicidade

Sobre o autor

Marcel Pechman atuou como trader por 18 anos nos bancos UBS, Deutsche e Safra. Desde maio de 2017, faz arbitragem e trading de criptomoedas.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Análise: o preço do Bitcoin está novamente sendo ditado pela política do Fed

“Análise dos últimos 40 dias revela uma maior alinhamento com as expectativas de taxa de juros para junho”, diz firma de análises CoinShares
Imagem da matéria: Investidores aproveitam queda do Bitcoin para acumular ainda mais moedas

Investidores aproveitam queda do Bitcoin para acumular ainda mais moedas

As baleias de Bitcoin compraram avidamente a última queda; investidores de longo prazo agora aguardam a próxima alta para realizar lucros
Imagem da matéria: Bitcoin entra em onda de alta e atinge o seu maior preço desde o halving

Bitcoin entra em onda de alta e atinge o seu maior preço desde o halving

Dados do CoinGecko mostram que o Bitcoin subiu cerca de 3% no último dia e no período de uma semana valorizou em 9%
Ilustração de baleia nadando com moeda de bitcoin em seu interior

Baleia movimenta R$ 321 milhões em Bitcoin pela 1ª vez em uma década

Quando o investidor desconhecido adquiriu os bitcoins em 2013, a cotação do ativo não passava de US$ 120