Imagem da matéria: Gêmeos do Facebook acusam Genesis de fraude com staking de criptomoedas: "Mentia"
Irmãos Winklevoss ficaram famosos após processo contra Mark Zuckerberg (Foto: Shutterstock)

Após ameaçar por meses, a Gemini Trust Company acusou formalmente a Digital Currency Group (DCG) e seu CEO, Barry Silbert, de fraude em um processo movido nesta sexta-feira (7).

A Gemini é uma corretora de criptomoedas fundada pelos gêmeos Winklevoss, que ficaram famosos por entrarem com um processo judicial contra Mark Zuckerberg alegando que ele roubou a ideia do Facebook deles. Eventualmente um acordo foi feito para resolver a questão fora das cortes.

Publicidade

Na queixa, os “gêmeos do Facebook” acusam a DCG, empresa-mãe da Genesis, uma empresa de ativos digitais falida, e seu fundador de fazer “representações e omissões falsas, enganosas e incompletas para a Gemini”.

A Gemini e a Genesis têm travado uma batalha pública sobre o Gemini Earn, um programa que permitia aos usuários receber entre 0,45% e 8% de juros em troca do depósito de seus ativos cripto. A Genesis era a principal parceira do serviço.

A Gemini afirmou que acreditava que os fundos de seus clientes do Earn estavam sendo emprestados pela Genesis de forma a minimizar o risco e gerar retorno sobre os depósitos.

“Aquilo eram mentiras”, escreveu a Gemini em seu processo. “Como se constatou, a Genesis estava emprestando quantias enormes de forma irresponsável a uma contraparte que os réus sabiam que estava usando essas quantias enormes para alimentar uma estratégia de arbitragem arriscada.”

Publicidade

Algumas horas após a entrada do processo, a DCG emitiu uma declaração própria, afirmando que “nem Cameron nem Tyler Winklevoss estiveram envolvidos em nenhuma das recentes reuniões presenciais” do processo de mediação entre as duas empresas.

“Este é apenas mais um truque publicitário de Cameron Winklevoss para desviar a culpa e a responsabilidade de si mesmo e da Gemini, que operava o programa Gemini Earn”, disse um porta-voz da DCG em um e-mail enviado ao Decrypt.

“Qualquer insinuação de má conduta por parte da DCG ou de qualquer um de seus funcionários é infundada, difamatória e completamente falsa.”

Potência das criptomoedas

A DCG, que é dona da Genesis e do gestor de ativos criptográficos Grayscale, é uma potência na indústria de criptomoedas.

Publicidade

Durante o auge do final de 2021, quando a capitalização de mercado global das criptomoedas atingiu um recorde de US$ 3 trilhões, a DCG tinha aproximadamente US$ 50 bilhões em ativos sob gestão. Mas, até o final do ano passado, a empresa afirmou em um relatório do quarto trimestre para investidores que tinha US$ 5 bilhões em seu balanço.

A Genesis, de propriedade da DCG, travou os saques em novembro de 2022, levando usuários e o fundador da Gemini a ameaçarem ações legais contra a empresa.

Nos meses seguintes, houve uma discussão pública. Cameron e Tyler Winklevoss, os fundadores da Gemini, exigiram que a Genesis apresentasse um plano para reembolsar o empréstimo de US$ 900 milhões que a Gemini fez para a Genesis Global, que agora está falida.

Silbert e a DCG pediram mais tempo em janeiro. Em seguida, em fevereiro, parecia haver um acordo entre as empresas para o reembolso. Mas, até o final de maio, as coisas já tinham azedado: a Genesis deixou de fazer um pagamento de empréstimo de US$ 630 milhões.

A Gemini fez uma última oferta para reestruturar a dívida da Genesis, a fim de evitar um processo judicial no início desta semana e publicou uma carta aberta, uma das várias, alegando que Silbert estava envolvido em “comportamento fraudulento”.

Publicidade

*Traduzido com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Joe Biden posa para foto

Biden vira sobre Kamala: mercados de criptomoedas esperam que o presidente seja indicado

Apostadores de criptomoedas no popular mercado de previsões Polymarket novamente favorecem Joe Biden como candidato dos democratas
Ilustração de vários hamsters lado a lado vestidos de paletó e gravata

“Hamster Kombat é o serviço digital de crescimento mais rápido do mundo”, diz CEO do Telegram

Pavel Durov afirmou também que o jogo de criptomoedas atingiu 239 milhões de usuários mesmo sem uma data específica para o lançamento do token
Imagem da matéria: Exchanges da Coreia do Sul definem diretrizes para barrar deslistagens em massa de criptomoedas

Exchanges da Coreia do Sul definem diretrizes para barrar deslistagens em massa de criptomoedas

As diretrizes padronizam os critérios para apoiar e encerrar a negociação de ativos digitais em plataformas de câmbio
Imagem da matéria: Circle é a primeira emissora de stablecoins a obter licença do MiCA na Europa

Circle é a primeira emissora de stablecoins a obter licença do MiCA na Europa

A Circle se tornou a primeira emissora global de stablecoin a se tornar compatível com o MiCA