Imagem da matéria: Fundo para empresas de criptomoedas apoiado pelos irmãos Winklevoss quer arrecadar US$ 300 milhões
Foto: Shutterstock

CMCC Global, empresa de capital de risco com sede em Hong Kong, quer arrecadar cerca de US$ 300 milhões para seu mais novo fundo cripto.

Para alcançar seu objetivo, CMCC está atraindo diversos investidores, incluindo Cameron e Tyler Winklevoss, os fundadores da corretora cripto Gemini, e o bilionário Richard Li, de acordo com um artigo da Bloomberg publicado nesta sexta-feira (29).

Publicidade

De acordo com Charlie Morris, cofundador da CMCC, uma parte do novo fundo cripto será alocada em setores de rápido crescimento, como Finanças Descentralizadas (DeFi) e tokens não fungíveis (NFTs).

“A infraestrutura implícita está amadurecendo ao ponto de termos aplicações interessantes”, explicou. “Principalmente nas DeFi, vimos equipes de alta qualidade.”

Atualmente, CMCC parece estar no processo de obtenção de licenças com a reguladora de valores mobiliários de Hong Kong para criar um novo fundo de capital de cripto.

Lançado em abril deste ano, o quarto fundo cripto da CMCC já garantiu quase US$ 90 milhões de ativos sob gestão, com um alvo de arrecadação de US$ 300 milhões até 2022.

Publicidade

Por meio de sua gestora de investimentos Pacific Century Group, Richard Li foi o nome por trás do anterior fundo cripto da CMCC. Também poderá apoiar o fundo mais recente, apresentando investidores existentes a um novo empreendimento.

Os primeiros investimentos da CMCC

De acordo com a Bloomberg, CMCC é uma das primeiras e maiores investidoras da plataforma blockchain proof of stake (PoS) Solana, tendo investido US$ 1 milhão na venda privada de tokens SOL em 2018.

Na época, o token nativo da Solana valia US$ 0,20. Hoje, é a sexta maior criptomoeda do mundo, com uma capitalização de mercado de cerca de US$ 60 bilhões, e está sendo negociada a US$ 202.

Outros investimentos da CMCC, de acordo com o site da empresa, incluem Ethereum, Cosmos, Terra, Hedera Hashgraph, Qtum e Decentraland.

Publicidade

CMCC Global foi fundada em 2016 por Martin Baumann e Charlie Morris, que têm uma participação majoritária na empresa. Li e os irmãos Winklevoss também são investidores na holding da CMCC.

Tyler Winklevoss, CEO da Gemini, contou à Bloomberg que havia conhecido a equipe da CMCC há alguns anos em uma viagem à Ásia e decidiu investir por conta da abordagem do fundo.

“Seu histórico é impressionante e fala por si só”, afirmou Tyler.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização da Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

MPF faz nova denúncia contra donos da Braiscompany e doleiro por lavagem de dinheiro

Antônio Neto e Fabrícia Farias realizaram operações financeiras de grande porte com características de lavagem de dinheiro em pleno colapso da pirâmide
máquinas de mineração de criptomoedas apreenidas em

Polícia apreende 396 mineradoras de Bitcoin em casa de ex-deputado paraguaio

Miguel Cuevas, que já foi preso por enriquecimento ilícito, agora pode também ser investigado por furto de energia
Fachada da GameStop em Tyler no Texas

GameStop e AMC desabam com fim da euforia do retorno de Roaring Kitty

As ações memes da GameStop e AMC caíram drasticamente após a abertura dos mercados dos EUA na quinta-feira, recuando pelo menos 15%
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza acima de US$ 67 mil; Ethereum atinge US$ 3 mil em semana decisiva para ETFs

Manhã Cripto: Bitcoin se estabiliza acima de US$ 67 mil; Ethereum atinge US$ 3 mil em semana decisiva para ETFs

A semana promete ser agitada à medida que chega o prazo final para a SEC decidir se aprova ou rejeita o lançamento de ETFs de Ethereum à vista