Imagem da matéria: Facebook monta equipe para focar nos pagamentos via WhatsApp; Brasil e Índia são prioridades
(Foto: Shutterstock)

O Facebook vai se concentrar em pagamentos via WhatsApp com prioridades nos mercados do Brasil e Índia. Para isso, a empresa formou uma nova equipe no setor de pagamentos que será liderada por David Marcus, diretor que esteve à frente do projeto da criptomoeda Libra — que ainda não vingou.

Segundo o Bloomberg, Marcus continuará administrando a Novi, a carteira digital para criptomoedas, antes chamada Calibra. “Ele estará envolvido nos esforços de pagamentos via WhatsApp em países como Índia e Brasil”.

Publicidade

Batizada internamente de equipe F2, o time de executivos vai dar início à execução de todos os projetos de pagamentos, incluindo o Facebook Pay. No Brasil, a solução também foi chamada de Whatsapp Pay.

Trata-se de um recurso para pagamentos universais da empresa que planeja construir dentro de todos os seus aplicativos.

Para trabalhar junto a Marcus, o Facebook já contratou o cientista da computação Stephane Kasriel, ex-CEO da Upwork, plataforma que conecta empresas e freelancers. Ele foi nomeado vice-presidente do novo departamento.

Facebook Pay

Lançado na metade do mês de junho, o Facebook Pay levou uma rasteira do Banco Central do Brasil logo em seguida. No dia 23 daquele mês, a instituição determinou que a Visa e a Mastercard suspendessem o início das atividades com o aplicativo.

No fim de julho, a Mastercard afirmou que o BC havia autorizado a solução para testes. A notícia veio da Reuters.

Publicidade

Na ocasião da decisão, o BC disse que a ação foi motivada para preservar a competição e assegurar o funcionamento do mercado e permitir que o órgão avalie eventuais riscos para o funcionamento adequado do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB).

Contudo, a medida também pode ser observada em outra ótica. O anúncio da solução de pagamentos chegou em um momento em que o PIX, sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, vinha disputando as atenções com o sistema desenvolvido pelo Facebook.

Diversos analistas do mercado de meios de pagamentos notaram a semelhança nas intenções dos dois sistemas, que é facilitar e reduzir os custos de transações financeiras.

O PIX promete revolucionar o mercado brasileiro a partir de 16 de novembro, quando entrará em operação.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Justiça nega pedido de liberdade para PM acusado de vender armas ao "Faraó do Bitcoin"

Justiça nega pedido de liberdade para PM acusado de vender armas ao “Faraó do Bitcoin”

Réu é acusado de ser responsável pela segurança do criador da GAS Consultoria e vender armas para a organização criminosa
Nathalia Arcuri falando em evento

Mercado Bitcoin e Nathalia Arcuri firmam parceria de conteúdo via blockchain

Mercado Bitcoin e Nathalia Arcuri firmam parceria via blockchain e promovem educação financeira de criptoeconomia gratuita
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”