Imagem da matéria: Empresa listada na Nasdaq compra R$ 1,35 bilhão em bitcoin para se proteger da inflação
Foto: Shutterstock

A MicroStrategy, empresa americana de tecnologia listada na Nasdaq, anunciou nesta terça-feira (11) a compra de 21.454 bitcoins avaliados em US$ 250 milhões, (cerca de R$ 1,35 bilhão). Com o investimento alternativo a empresa se torna a primeira de capital aberto a comprar bitcoin como parte de sua estratégia de reserva de valor.

“Nosso investimento em Bitcoin é parte de nossa nova estratégia de alocação de capital, que visa maximizar o valor de longo prazo para nossos acionistas”, disse em comunicado o CEO Michael Saylor. Além disso, diz a nota, trata-se de uma proteção razoável contra a inflação.

Publicidade

Segundo o diretor, o investimento reflete crença da empresa de que o Bitcoin, como a criptomoeda mais amplamente adotada no mundo. Para a instituição, o ativo é uma reserva confiável de valor.

“Um ativo de investimento atraente com maior potencial de valorização de longo prazo do que manter dinheiro”, acrescentou.

A empresa não revelou como adquiriu os bitcoins, se por meio de uma exchange ou mercado balcão (OTC). Mas ressaltou que a intenção de alocar parte do dinheiro institucional na criptomoeda foi revelada no fim do mês passado.

Investimento alternativo em bitcoins

De acordo com Saylor, a decisão de investir em Bitcoin foi impulsionada pelo atual cenário econômico que ele acredita que vai gerar mais risco  a longo prazo para os investimentos feitos em moeda fiduciária ou em ativos convencionais.

Ele citou inclusive a crise sanitária causada pelo Covid-19, as medidas sem precedentes de estímulo financeiro do governo e a incerteza política e econômica global.

Publicidade

Ouro digital

Conforme descreveu Saylor, a equipe da MicroStrategy, que é líder no segmento business intelligence, não tem dúvidas de que o Bitcoin é o ouro digital. 

“É mais sólido, mais forte, mais rápido e mais inteligente do que qualquer outro dinheiro que o precedeu”, disse.

Ainda de acordo com o comunicado, a empresa acredita que o mundo está ficando cada vez mais virtual devido a rápida desmaterialização de produtos, serviços e avanços tecnológicos.

“Essa dinâmica faz com que muitas empresas repensem suas ofertas, operações e sistemas, bem como seus balanços e estratégias financeiras”, concluiu.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: '101 Perguntas sobre Bitcoin': Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

‘101 Perguntas sobre Bitcoin’: Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

A obra discorre os princípios técnicos da moeda até suas implicações socioeconômicas no contexto atual, de modo a proporcionar um entendimento profundo ao público geral
Cofre dourado no formato de baleia receb moedas shiba inu SHIB

Baleias voltam a encher os bolsos de Bitcoin, mostra análise

A acumulação acelerada de baleias é um sinal de que o mercado altista do Bitcoin ainda está ativo
Imagem da matéria: Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Herdeiro paga R$ 2,2 milhões em Bitcoin para resgatar vítima de sequestro em Petrópolis, mas é enganado

Ao todo, vítima gastou quase R$ 5 milhões nos pagamentos: além do envio de Bitcoin, foram 40 depósitos bancários
Michaël van de Poppe em vídeo no Youtube

“É hora de investir em altcoins como Ethereum além do Bitcoin”, diz Michaël van de Poppe

Citando o Ethereum com uma das opções, o analista diz que o mercado de altcoins já passou por correção e que a tendência agora é de alta