martelo de juiz com logo da binance no fundo
Shutterstock

Os dois executivos da Binance presos na Nigéria irão continuar detidos pelo menos até o dia 20 de março, quando será feita uma nova audiência no caso. As informações foram repassadas pelos familiares dos acusados, segundo reportagem do The Wall Street Journal de quarta-feira (13). 

O chefe da área de compliance contra crimes financeiros, Tigran Gambaryan (cidadão dos Estados Unidos), e o diretor da Binance na África, Nadeem Anjarwalla (cidadão do Reino Unido e do Quênia), foram presos no dia 26 de fevereiro em Abuja, capital da Nigéria.

Publicidade

Até o momento, não foram apresentadas queixas criminais formais contra os dois executivos. Porém, a Nigéria acusa a Binance de ajudar a desestabilizar a naira, moeda do país. 

Um porta-voz do Conselho Nacional de Segurança da Nigéria disse ao jornal que se trata de uma questão de segurança nacional. 

A esposa de Anjarwalla também falou com o Wall Street Journal e afirmou que uma ordem de detenção de duas semanas foi fixada contra o marido e o colega no dia 28 de fevereiro. 

Os executivos viajaram à Nigéria no final de fevereiro após a decisão do país de bloquear vários sites de corretoras cripto, incluindo o da Binance, mas foram detidos pelo gabinete do conselheiro de segurança nacional e tiveram seus passaportes apreendidos.

Publicidade

Nigéria acusa Binance de manipulação

O governo da Nigéria quer uma indenização de cerca de R$ 50 bilhões (US$ 10 bilhões) da Binance por supostas perdas massivas que a corretora gerou ao país.

As autoridades alegam que a corretora de criptomoedas influenciou o aumento das taxas de câmbio através da especulação da Naira (NGN), o que teria causado uma queda de 70% da moeda nos últimos meses.

Bayo Onanuga, um dos porta-vozes do presidente Bola Tinubu, disse que o governo viu o efeito das operações da Binance na Nigéria. “A plataforma fixa o câmbio do país e é um cálculo ilegal. O CBN (Banco Central da Nigéria) é a única autoridade que pode fixar a taxa de câmbio do país”, disse Onanuga, segundo a BBC.

Além disso, o presidente do banco central nigeriano, Olayemi Cardoso, acusou a exchange de ser usada para canalizar fundos “ilícitos” e “suspeitos”, e que a operação da Binance na Nigéria movimentou no ano passado US$ 26 bilhões em fundos não rastreáveis.

VOCÊ PODE GOSTAR
Dólares equilibrados formam uma pirâmide

Mercado ligado a elite do Camboja movimentou R$ 59 bilhões para golpistas cripto

Um grupo ligado à família Hun, no poder do Camboja, foi acusado de estar envolvido em um golpe multibilionário de cripto
Imagem da matéria: Bitcoin dominou a Esfera de Las Vegas — mas onde está o Dogwifhat?

Bitcoin dominou a Esfera de Las Vegas — mas onde está o Dogwifhat?

O Dogwifhat arrecadou US$ 700 mil em março para aparecer na Esfera, mas o Bitcoin o superou graças à Crypto.com
Ilustração de um hacker de Ethereum

Plataforma DeFi do Ethereum recupera R$ 42 milhões após atender exigências de hacker

Uma exploração que ocorreu na rede de segunda camada do Ethereum, Scroll, fez com que milhões fossem drenados da Rho Markets
Imagem da matéria: Bradesco, Banco Pan, Neon e Next ficam fora do ar durante pane cibernética mundial

Bradesco, Banco Pan, Neon e Next ficam fora do ar durante pane cibernética mundial

Diversos bancos e instituições financeiras do Brasil ficaram várias horas fora do ar nesta sexta-feira