"Real Digital: o Futuro do DInheiro?", evento por Gustavo Franco na Faculdade de direito da USP
Eventbrite

Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central do Brasil, vai participar do evento “Real Digital: o futuro do dinheiro?“, que será sediado na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FDUSP) na quarta-feira, 14 de junho, das 17h às 19:30h.

O evento é gratuito, organizado pela REAL (Rede de Estudos e Aprofundamento Legal do Real Digital) e deverá abordar as propriedades legais da Moeda Digital do Banco Central (CBDC, na sigla em inglês).

Publicidade

Gustavo Franco é professor, economista e ex-presidente do Banco Central e vai liderar a conversa, respondendo à questão sobre o Real Digital ser o futuro do dinheiro para nosso país.

Após a palestra com o ex-presidente do Banco Central, os alunos da REAL também participarão de um debate aberto sobre o livro “A Moeda e a Lei” de Gustavo Franco, além de outros textos e artigos relacionados do mesmo autor.

O debate será moderado por Anne Chang e contará com a participação dos estudantes: Beatriz Brichucka, Daniel Almeida, Isabella Cristina Pereira, Lucas Carneiro e Luiz Octávio V. Bandeira.

VOCÊ PODE GOSTAR
Rafael Rodrigo , dono da, One Club, dando palestra

Clientes acusam empresa que operava opções binárias na Quotex de dar calote milionário; dono nega

Processos judiciais tentam bloquear R$ 700 mil ligados à One Club, empresa de Rafael Rodrigo
Imagem da matéria: Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos cripto brasileiros ficam pela segunda semana consecutiva atrás apenas dos EUA em captação
Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó do Bitcoin"

Livro sobre a ascensão e a queda do “Faraó do Bitcoin” chega às livrarias em maio

Os jornalistas Chico Otávio e Isabela Palmeira contam sobre o golpe de R$ 38 bilhões do Faraó do Bitcoin que usou criptomoedas como isca
homem segura com duas mãos uma piramide de dinheiro

Polícia do RJ investiga grupo acusado de roubar R$ 30 milhões com pirâmide financeira

Para ganhar a confiança dos investidores, a empresa fraudulenta fazia convites para assistir jogos de futebol em camarote do Maracanã