dd corporation,dreams digger,pirâmide,bitcoin
Gabriel Rodrigues em entrevista no Safe Podcast (Imagem: Reprodução)

O ex-divulgador da DD Corporation, Gabriel Rodrigues, também conhecido como ‘Sheik do Bitcoin’, participou no mês passado de um podcast onde revelou ter gastado mais de R$ 250 mil com bebidas em apenas uma noite em um evento em Dubai, nos Emirados Árabes.

A DD ‘quebrou’ no final de 2019, depois de várias acusações de atuar como uma pirâmide financeira dando calote nos clientes. Na época, o criador do negócio que prometia 250% de rendimento ao ano, Leonardo Araújo, afirmou que se tratavam de cerca de 300 mil contas.

Publicidade

“Hoje eu tenho cara de playboy, mas vim de baixo velho!”, disse Gabriel durante entrevista no Safe Podcast, comandado pelos apresentadores Samuca e Digo. No entanto, o que eles não podem estar antenados é de como o jovem chegou a tal patamar financeiro. Há pouco mais de um ano, o Portal do Bitcoin mostrou que enquanto os investidores da DD Corporation estavam em pânico, Gabriel já esbanjava sua vida de ostentação e riqueza nas redes sociais.

A data em que esteve em Dubai não foi revelada na entrevista, mas a cidade é onde também o mentor do golpe Dreams Digger (DD), Leonardo Araújo, supostamente mantém residência — sem descartar Portugal, onde inclusive ele tinha planos de abrir empresas com o mesmo objetivo da DD, conforme áudios vazados no ano passado.

Rodrigues, que apareceu em um reportagem da TV Record sobre o caso da DD Corporation, chegou a gravar um vídeo para tentar se explicar.

O passado de Gabriel Rodrigues

Apesar de Gabriel afirmar que os gastos de R$ 250 mil em apenas uma noite em Dubai realmente ocorreram, ele explicou que aquele valor não era o planejado, tanto que quando foi pagar a conta, o primeiro cartão de crédito que apresentou não aprovou o pagamento; o segundo passou. Foi quando veio a surpresa, pois ela achava que a moeda dos Emirados Árabes, o dirham, era desvalorizada, ‘como o peso da Argentina’, explicou — a conta veio 250 mil dirhams, e na época a moeda valia cerca de R$ 1.

Publicidade

Contudo, o que Gabriel queria aconteceu, que era ser mostrado no telão da festa como o cliente da noite para poder promover seu nome e provavelmente seu novo negócio, uma plataforma de cursos TMT Academy.

Aliás, foi com o mesmo tipo de negócio que a DD Corporation fez várias vítimas, vendendo cursos — diga-se sonhos — para quem investisse no negócio, cujo principal atrativo era um suposto robô de arbitragem de bitcoin

Recentemente, Gabriel Rodrigues vem promovendo sua plataforma de cursos TMT Academy, bem como um ecommerce e um suposto banco digital e vídeos no Youtube em seu canal homônimo e também no da marca. Mas uma coisa parece certa: enquanto ele se expor publicamente será cobrado do golpe sofrido por milhares de pessoas que apostaram na Dreams Digger, posteriormente DD Corporation. Prova disso são os vários comentários no vídeo de um dos trechos da entrevista.

“Dreams digger mandou lembranças !”, comentou o usuário Douglas Holanda. “Tem cara de playboy n parça, tem cara é de estelionatário msm”, escreveu o usuário Alequis. Outro usuário, Wagner Quest, foi irônico: “Deu um puta golpe junto com o CEO da Dreams Digger e agr virou Sheik kkkk”.

Confira um trecho da entrevista.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Estudo mostra que 61% dos investidores brasileiros não pretendem vender Bitcoin

Pesquisa realizada pela Bitget releva otimismo pós-halving do Bitcoin
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
Ilustração mostra mapa do Brasil com pontos ligados em blockchain

Banco Central, UFRJ, Polkadot e Ripple se unem para aprofundar pesquisas sobre interoperabilidade entre blockchains e DREX

A Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) antecipa…