Imagem da matéria: EUA investigam se corretora Voyager enganou clientes  com suposto seguro contra falência
Foto: Shutterstock

A Corporação Federal de Seguros de Depósito dos EUA (FDIC, na sigla em inglês) está investigando a empresa de criptomoedas Voyager Digital por supostamente enganar seus clientes.

A FDIC é uma agência de proteção a consumidores que garante depósitos a usuários. Por questões de segurança, supervisiona instituições financeiras, incluindo bancos, e protege investidores caso um banco venha a falir.

Publicidade

A Voyager Digital, empresa cripto com sede na cidade canadense de Toronto, supostamente divulgou que todos os depositantes da empresa estavam protegidos pelo seguro da FDIC por meio de sua parceria com o Metropolitan Commercial Bank, parceiro bancário da Voyager.

Basicamente, a Voyager se vendeu como uma empresa assegurada pela FDIC. Um porta-voz da FDIC confirmou à Bloomberg que apenas o Metropolitan Commercial Bank é assegurado, e não a Voyager.

Além disso, os depositantes não estão protegidos contra uma falência da Voyager, incluindo a recuperação judicial e desvalorização de seus produtos.

Na semana passada, a Voyager entrou com um pedido de recuperação judicial após um de seus principais devedores, o fundo Three Arrows Capital (3AC), que a deve US$ 650 milhões, pedir falência, deixando o fundo de seus usuários em risco.

Publicidade

Na quarta-feira (6), a Bolsa de Valores de Toronto suspendeu a negociação da ação da Voyager (VOYG) precificada em US$ 0,27 — uma queda de 98% no ano.

Na quinta-feira (7), a Voyager anunciou que irá voluntariamente remover suas ações da Bolsa de Toronto. Sua negociação também foi suspensa no OTC Markets dos EUA.

Voyager deturpa seguro da FDIC

Em uma publicação que data de dezembro de 2019, a Voyager explicou que o seguro da FDIC cobriria tanto a falência da Voyager como de seu parceiro bancário.

“No raro caso de seus fundos em dólares forem comprometidos por conta da falência da empresa ou de nosso parceiro bancário, lhe será garantido o reembolso total (de até US$ 250 mil)”, de acordo com a antiga versão da publicação.

Publicidade

Porém, na quinta-feira, o texto foi modificado e a afirmação da proteção do seguro da FDIC contra a falência da Voyager foi removida.

Agora, a afirmação é a seguinte: “No raro caso de seus fundos em dólares forem comprometidos, lhe será garantido o reembolso total (de até US$ 250 mil), então o dinheiro que você alocou na Voyager está protegido”.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

Procurando uma corretora segura que não congele seus saques? No Mercado Bitcoin, você tem segurança e controle sobre seus ativos. Faça como nossos 3,8 milhões de clientes e abra já sua conta!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Entendendo as tecnologias por trás da tokenização de ativos | Opinião

Entendendo as tecnologias por trás da tokenização de ativos | Opinião

Apesar de chamara cada vez mais atenção, muitas pessoas ainda não sabem o que é a tokenização de ativos e como ela funciona
Tela de celular mostra logotipo Drex- no fundo notas de cem reais

Banco Central adia Drex para realizar novos de testes de privacidade

BC explica que primeira fase de testes foi focada em elementos de privacidade, mas as soluções encontradas “ainda não estão maduras”
Pessoa olha para scanner da Worldcoin

Hong Kong bane Worldcoin por coleta de dados “desnecessária e excessiva”

A Worldcoin chegou a escanear o rosto e a íris de 8.302 indivíduos durante sua operação em Hong Kong, segundo autoridades
Bob Burnquist

Bob Burnquist e sua cruzada para empoderar os artistas por meio da Web3

O skatista é membro ativo de duas DAOs e participou do Ethereum Rio para falar sobre como as comunidades estão se tornando um novo meio de conexão para os artistas