Imagem da matéria: Ethereum (ETH) recua após problema na Beacon Chain e perde 13% em uma semana
(Foto: Shutterstock)

O ether (ETH) está entre as baixas mais importantes do mercado de criptomoedas nesta sexta-feira (27).

No final da manhã, o Ethereum está sendo negociado em US$ 1.770, com um recuo de 2% nas últimas 24 horas, segundo o CoinMarketCap – mas chegou a registrar perdas de 11% algumas horas antes. Nos últimos sete dias, o ether perdeu 13% de seu valor.

Publicidade

A drástica variação de preço também resultou em  mais de US$ 140 milhões de liquidações em ether, de acordo com dados obtidos do Coinglass. Mais de 75% dessas liquidações eram de posições compradas (“long”) de traders cripto otimistas.

A recente ação de preço do ativo possui várias causas.

Porém, talvez a mais notável seja o recente problema na Beacon Chain, relacionado à futura fusão do Ethereum, prevista para agosto.

A fusão fará com que a atual versão proof of work (ou PoW, na sigla em inglês) do Ethereum se funda com sua contraparte proof of stake (ou PoS). Sua contraparte é tecnicamente chamada de Beacon Chain e está funcionando desde dezembro de 2020.

Quando for finalizada, a versão PoW irá terminar — deixará de depender da mineração —, tornando o Ethereum em uma rede blockchain PoS e apresentando novos benefícios.

Porém, na quarta-feira (25), a Beacon Chain, uma espécie de “versão fantasma” do Ethereum, que é executada em paralelo à rede atual do Ethereum, passou por uma reorganização de blocos. Isso significa que, por um breve momento, a Beacon Chain foi bifurcada e blocos de transação estavam sendo processados em outra versão paralela da Beacon Chain.

Publicidade

Desde então, a rede começou a produzir blocos de forma ininterrupta, segundo o explorador de blocos BeaconScan. A expectativa é que seja publicado um “post mortem” em breve, segundo o desenvolvedor Preston Van Loon.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Ministério Público contrata empresa para rastrear transações com criptomoedas

Ministério Público contrata empresa para rastrear transações com criptomoedas

Segundo o MPF, contratação é para “sistema de identificação, monitoramento, rastreamento, pesquisa e análise de transações eletrônicas com uso de criptomoedas”
ilustração mostra logo da pepecoin PEPE subindo ao céu

Trader transforma R$ 2 mil em R$ 17 milhões graças ao triunfo da Pepecoin (PEPE)

Ao comprar a memecoin após o lançamento, o trader teve um ganho de 7.368x no investimento
Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank

Nubank libera envio e recebimento de criptomoedas de carteiras externas

Já estão disponíveis para essas transações Bitcoin, Ethereum e Solana; outras moedas e redes serão adicionadas em breve
Ilustração mostra mapa do Brasil com pontos ligados em blockchain

Banco Central, UFRJ, Polkadot e Ripple se unem para aprofundar pesquisas sobre interoperabilidade entre blockchains e DREX

A Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) antecipa…