Imagem da matéria: ETFs de Bitcoin e Ethereum foram os mais rentáveis dos lançados em 2021 na B3
Foto: Shutterstock

Os quatros ETFs mais rentáveis lançados na B3 em 2021 têm em sua composição criptomoedas. A análise é da plataforma Economatica, que publicou na terça-feira (30) um estudo sobre como esses fundos desempenharam no Brasil durante o ano.

ETF é a sigla em inglês para fundo de índice. Trata-se de uma ferramenta de investimento que permite que investidores comprem ações que representam um ativo.

Publicidade

Assim, um ETF de bitcoin permite que investidores obtenham exposição ao bitcoin sem precisar comprar a criptomoeda em uma corretora e armazená-la em uma carteira cripto, o que ainda é bastante complexo para muitos possíveis investidores do varejo.

O estudo mostra que o número de cotistas de ETFs no Brasil passou para 600 mil em 2021, um salto de 81% em relação ao ano anterior. Além disso, o volume financeiro médio diário ultrapassa R$ 2 bilhões em transações.

EUA e ETFs de Bitcoin

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos deu sua aprovação para o primeiro ETF de futuros de Bitcoin no dia 15 de outubro. Foram quatro anos de negativas para produtos assim. A expectativa fez no mesmo dia o ativo subir 8%.

O produto aprovado foi o ETF de futuros de bitcoin da ProShares, nomeado $BITO. Já de cara entrou para a história como o primeiro ETF do mundo a acumular US$ 1 bilhão em ativos em apenas dois dias de negociação.

Publicidade

Ranking dos ETFs mais rentáveis de 2021

No ranking da Economatica dos ETFs criados em 2021 e que foram mais rentáveis, aparece em primeiro o QBTC11, da QR Asset Management. É o primeiro ETF 100% bitcoin da América Latina, tendo sido lançado no dia 22 de junho e com valorização de 108%.

Em seguida, vem o QETH11, da mesma companhia, também sendo o primeiro ETF 100% ethereum da América Latina. Foi lançado no dia 4 de agosto, com rentabilidade de 76,12%.

Em terceiro e quarto lugar vem os ETFs da Hashdex de Bitcoin e Etehereum, respectivamente.

ETF com mais liquidez da B3

O ETF com maior liquidez na B3, segundo o estudo da Economatica, é o iShares Bova. É um produto da BlackRock criado em 2008 que busca refletir a performance do Índice Bovespa. O fundo teve uma liquidez de R$ 926 milhões em média no ano.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Gnosis (GNO) dispara 20% após lançamento de plano para reviver o token

Gnosis (GNO) dispara 20% após lançamento de plano para reviver o token

Um programa de crescimento com aporte milionário de fundo cripto está sendo votado neste momento pelos usuários do GNO
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

Manhã Cripto: ETFs de Bitcoin voltam a captar mais US$ 100 mi por dia nos EUA; Ex-diretor da FTX pede 18 meses de prisão

Mercado também começa a se preparar para veredito final da SEC sobre os ETFs de Ethereum à vista
Imagem da matéria: 8 ETFs de Ethereum à vista são aprovados pela SEC nos EUA

8 ETFs de Ethereum à vista são aprovados pela SEC nos EUA

Expectativa agora é que Ethereum possa renovar sua máxima histórica de novembro de 2021 e passar com folga a marca dos US$ 5 mil
Ilustração da memcoin em Solana Bonk

Como criar uma memecoin em Solana com a Pump.fun

Protocolo viralizou ao permitir a qualquer pessoa criar uma criptomoeda por cerca de R$ 15