Letras que formam a sigla ETF próximas a uma moeda dourada de Bitcoin (BTC)
Foto: Shutterstock

À medida que o tempo avança para o limite de janeiro para a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) aprovar, negar ou adiar sua decisão sobre ETFs de Bitcoin à vista, há um último obstáculo para potenciais emissores: Participantes Autorizados (AP).

O analista da Bloomberg Intelligence, Eric Balchunas, previu que cada candidato a ETF Bitcoin precisará ter parâmetros explícitos de participantes autorizados em seu formulário S-1 antes de ser considerado para aprovação.

Publicidade

“Este não é um último passo fácil e pode impedir alguns de começar”, disse Balchunas na sexta-feira no Twitter. Ele passou a levantar a hipótese de que “acordo AP + criação de dinheiro = aprovação”.

A questão do participante autorizado parece ser outra tentativa da SEC de definir explicitamente quem pode e quem não pode estar envolvido na criação e resgate de ações do ETF de Bitcoin – e, por extensão, quem pode lidar diretamente com o BTC.

Por definição, um participante autorizado é uma organização – que não seja o próprio emissor – que tem permissão para criar e resgatar ações de um ETF. Normalmente são os grandes bancos e instituições financeiras que assumem esse papel.

E de modo geral, quanto mais participantes autorizados houver para um ETF, maior será a liquidez. Quando há escassez de ações no mercado, os participantes autorizados podem criar mais. E quando há muitas ações do ETF no mercado, os participantes autorizados podem reduzir o número de ações disponíveis. Em ambos os casos, os participantes adicionais ajudam a manter o preço das ações de um ETF alinhadas com o seu ativo subjacente – neste caso, o Bitcoin.

Publicidade

Um ETF Bitcoin à vista é um produto que a indústria deseja que seja aprovado para investidores dos EUA há mais de uma década. Mas a SEC tem sido firme ao afirmar que havia demasiados riscos para permitir aos investidores o acesso a um deles. O principal desses riscos: manipulação de mercado e descoberta confiável de preços.

Em uma captura de tela, Balchunas mostrou uma tabela rastreando o status dos candidatos ao ETF Bitcoin. Destes, metade ainda permite a criação de ações em dinheiro ou em espécie (que não seja dinheiro). Mas, como o próprio analista da Bloomberg disse, a criação de ações em espécie é um fracasso para a SEC.

“A SEC simplesmente não se sentiria confortável o suficiente com pagamentos em espécie porque permite que corretores registrados usem Bitcoin e isso não é permitido”, disse ele em um webinar no início desta semana. “Não acho que eles queiram que nenhuma subsidiária não registrada toque no Bitcoin. A criação de dinheiro resolve isso – significa que o emissor basicamente toca o Bitcoin e mais ninguém”.

Os últimos dois meses foram repletos de reuniões e telefonemas entre reguladores e potenciais emissores como Grayscale, Valkyrie e BlackRock. Neste ponto, dizem muitos especuladores, seria altamente improvável que a SEC tivesse dedicado tanto trabalho para ajudar os requerentes a ajustar os seus registos S-1 se não fosse com o objetivo de eventualmente aprovar pelo menos alguns deles.

Publicidade

Atualmente, há mais de uma dúzia de candidatos a ETF Bitcoin com aplicações em consideração junto ao regulador dos EUA. Embora as empresas estejam tentando obter aprovação desde 2013, a expectativa aumentou em junho, quando a gigante de Wall Street, BlackRock, lançou seu chapéu no ringue com seu iShares Bitcoin Trust.

O pedido S-1 da BlackRock recebeu três alterações desde que foi apresentado, a última das quais especificava explicitamente que o ETF só permitiria a criação de ações com dinheiro e mudou o ticker do fundo de IBTC para IBIT. Se for aprovado, o ETF será negociado na Nasdaq.

*Traduzido com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Diretor da Binance no Brasil faz reunião com Banco Central para tratar sobre “supervisão”

Diretor da Binance no Brasil faz reunião com Banco Central para tratar sobre “supervisão”

Sobrinho do Ministro da Economia, Guilherme Haddad Nazar irá se encontrar o diretor de fiscalização e a diretora de supervisão de conduta do BC
CEO da Messari Ryan Selkis

CEO da Messari renuncia após apoio extremista a Trump gerar reações negativas

Ryan Selkis disse a um usuário não americano do Crypto Twitter que ele deveria ser deportado do país por suas “visões esquerdistas”
Imagem da matéria: Grayscale lança fundo para oferecer exposição  a protocolos que conectam blockchain e IA

Grayscale lança fundo para oferecer exposição a protocolos que conectam blockchain e IA

“Os protocolos de IA baseados em blockchain incorporam descentralização, acessibilidade e transparência”, diz Grayscale
Sunny Pires

Surfista brasileiro patrocinado por comunidade Web3 lança documentário no Woohoo

Patrocinado pela comunidade Web3 Nouns, Sunny desbravou o vulcão Cerro Negro, um dos mais ativos da Nicarágua