Imagem da matéria: “Estamos preocupados com o avanço das criptomoedas”, diz presidente do Banco Central da Argentina
Foto: Shutterstock

Miguel Ángel Pesce, presidente do Banco Central da Argentina (BCRA), voltou a demonstrar preocupação com o avanço das criptomoedas durante um evento da Câmara Argentina de Fintech na terça-feira (31). Pesce, que recentemente deixou claro que quer evitar a conexão de criptoativos com o mercado de câmbio, desta vez ressaltou a alta oscilação das moedas virtuais e a falta de informação ao cidadão argentino.

“Essas moedas foram criadas como um mecanismo de pagamento, não como um instrumento de investimento. Mas devido à sua escassez, tem motivado a financeirização desses instrumentos e que seus preços sobem e lhes dão um grau de volatilidade muito alto e isso é justamente de as características que uma moeda não precisa ter”, disse o presidente.

Publicidade

Pesce também criticou a nomenclatura usada no setor: “Acho que o nome da criptomoeda não é apropriado e eles deveriam trocá-lo porque se refere a algo oculto, opaco. Estamos preocupados com o desenvolvimento das criptomoedas”.

Sobre a falta de informação, o presidente disse que as instituições governamentais devem criar ações de educação sobre o novo mercado para combater a desinformação. Ele entende que educar a população sobre o que se tratam esses novos instrumentos vai alertar o investidor a não aportar dinheiro no que não se tem o controle.

Câmbio, criptomoedas e dólar

Pesce voltou ao tema sobre as criptomoedas e câmbio argentino quando foi questionado sobre seu uso para receber pagamentos do exterior.

Ele ressaltou que os pagamentos atrelados ao dólar devem passar pelo mercado único de câmbio, como manda a regra da instituição, ou seja, da mesma forma que se recebe um pagamento em espécie, você pode receber um pagamento em criptomoedas.

Publicidade

Ao comentar as declarações de Pesce, o Clarin relembrou uma frase do presidente quando começou a criticar o mercado de criptomoedas. “As fintechs vieram colocar gasolina em um mercado que não tinha. Os bancos começaram a trabalhar para estar em sintonia com a dinâmica que eles impuseram”.

“Bitcoin não é um ativo financeiro”

Em conferência no último dia 10, Miguel Ángel Pesce disse que o bitcoin não é um ativo financeiro porque não está subjacente a nenhum ativo, não pode gerar qualquer rentabilidade, e que por isso deve ficar de fora de novas soluções para os meios de pagamentos. Disse também que iria “regular a interseção do Bitcoin com o mercado de câmbio”.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Trader que roubou US$ 110 mi da plataforma DeFi Mango Markets é considerado culpado

Trader que roubou US$ 110 mi da plataforma DeFi Mango Markets é considerado culpado

Avraham Eisenberg foi considerado culpado de manipular a plataforma Solana DeFi Mango Markets em 2022 e fugir dos EUA com os fundos
Logotipo do token CorgiAI

Mercado Bitcoin lista token CorgiAI

O ativo é ligado a projeto que usa utiliza inteligência artificial para criar uma comunidade de entusiastas no ecossistema cripto
Amostra de NFT de tênis da Adidas par ao jogo Move to Earn

Adidas lança NFTs de tênis de R$ 13 mil em parceria com empresa cripto Stepn

A gigante de roupas esportivas Adidas fez parceria com o jogo baseado na rede Solana para lançar alguns tênis virtuais de corrida
Imagem da matéria: Como a Binance entrou em pé de guerra com o governo da Nigéria

Como a Binance entrou em pé de guerra com o governo da Nigéria

Nigéria acusa a Binance de facilitar corrupção e outros crimes e já até prendeu executivos da exchange no país