Imagem da matéria: Empresa que aposta na Web3 passa a valer US$ 10 bilhões após novo investimento
Os cofundadores da Alchemy Nikil Viswanathan e Joe Lau. Foto: Divulgação

Alchemy, startup que fornece ferramentas blockchain, está crescendo rápido: arrecadou rios de dinheiro em 2021 e atraiu dezenas de grandes clientes no mundo cripto e além. Agora, está crescendo ainda mais.

Nesta terça-feira (8), Alchemy anunciou ter arrecadado mais US$ 200 milhões das empresas de capital de risco Lightspeed e Silver Lake, dando à empresa uma avaliação e US$ 10,2 bilhões.

Publicidade

O financiamento é, tecnicamente, uma extensão da rodada “series C” (para reforçar suas operações e continuar crescendo) anunciada pela Alchemy em outubro, quando arrecadou US$ 250 milhões e tinha uma avaliação de US$ 3,5 bilhões.

Os números mais recentes são um salto impressionante de abril de 2021, quando a Alchemy arrecadou US$ 80 milhões e tinha uma avaliação de US$ 500 milhões, refletindo como a startup havia atingido um nicho extremamente lucrativo ao fornecer as ferramentas necessárias para o restante da indústria cripto.

Fundada há menos de dois anos pelos ex-alunos de Stanford Nikil Viswanathan e Joe Lau, a Alchemy desenvolve ferramentas que permitem que empresas interajam facilmente com blockchains (escrevendo transações, hospedando nós e assim por diante).

Seu conjunto inicial de produtos focava apenas no Ethereum mas, hoje, Alchemy oferece ferramentas para uma variedade de outras blockchains, incluindo Flow e Polygon.

Publicidade

No anúncio sobre o financiamento mais recente, Alchemy disse que o número de equipes que usa seus serviços triplicou desde outubro e que o valor de transações em blockchain que movimenta aumentou de US$ 45 bilhões para US$ 105 bilhões.

Clientes da Alchemy incluem grandes nomes cripto como Coinbase e OpenSea, mas também bancos de investimento, que a empresa não pode divulgar publicamente devido a acordos de confidencialidade.

Viswanathan e Lau parecem estar lidando bem com o hipercrescimento. Em entrevista ao Decrypt, os fundadores da Alchemy disseram que continuam focados no serviço a clientes e estão expandindo cuidadosamente sua equipe.

Enquanto isso, afirmam que a startup é rentável há tempos e que não precisa encostar nas enormes quantias de capital arrecadadas (integrar Lightspeed e Silver Lake foi uma questão de acrescentar instrutores e mentores, afirmam).

Publicidade

Até agora, Alchemy se destacou ao evitar a turbulência que startups de rápido crescimento geralmente enfrentam.

Em janeiro, houve controvérsias, quando o influente programador e fundador do Signal Moxie Marlingspike mencionou a Alchemy e sua adversária Infura em uma longa publicação.

O texto de Marlinspike, que apresentou uma ampla crítica à Web 3, destacou que muitas empresas dependem da Alchemy para realizar operações cotidianas sem garantir a privacidade dos dados de usuários e que isso equivale a uma forma de centralização (uma situação anátema aos ideais de descentralização do setor cripto).

Viswanathan rejeita as alegações.

“Entendo que ele está entrando para a Web 3 e explorando. Ele está errado sobre muitas coisas”, disse. “O que ele não entende sobre a infraestrutura de Web 3 é que nós não desativamos dados.”

Segundo Viswanathan, as alegações de centralização não têm fundamento, pois a Alchemy não atua como uma guardiã central, como Amazon Web Services (ou AWS, na sigla em inglês), que pode desativar agentes individuais à vontade.

Ele acrescentou que a Alchemy não lida com dados pessoais, destacando que todas as transações facilitadas são gravadas em blockchains públicas.

Publicidade

Em relação ao futuro, os fundadores da Alchemy descreveram 2021 como o ano em que tokens não fungíveis (ou NFTs) foram o centro das atenções.

Esperam que o foco da indústria cripto (e, por consequência, a Alchemy) migre para usuários comuns conforme produtos se tornam mais acessíveis ou populares.

Enquanto isso, a empresa está aperfeiçoando uma série de iniciativas recentes, que incluem o lançamento de uma “Universidade de Web 3” gratuita, bem como um fundo de capital de risco chamado Alchemy Ventures.

Recentemente, também lançou uma interface de programação de aplicações (ou API) para ajudar desenvolvedores a integrarem NFTs em seus sites.

Investidores antigos da Alchemy incluem Coinbase, Andreessen-Horowitz (ou a16z), Pantera, Coatue, bem como celebridades, como Jay-Z, Jared Leto e Will Smith.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Michaël van de Poppe em vídeo no Youtube

“É hora de investir em altcoins como Ethereum além do Bitcoin”, diz Michaël van de Poppe

Citando o Ethereum com uma das opções, o analista diz que o mercado de altcoins já passou por correção e que a tendência agora é de alta
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Câmara dos EUA aprova nova lei cripto em dia decisivo para ETFs de Ethereum

Manhã Cripto: Câmara dos EUA aprova nova lei cripto em dia decisivo para ETFs de Ethereum

Nesta quinta-feira termina o prazo para a SEC aprovar ou rejeitar o ETF de Ethereum da VanEck
Ilustração da memcoin em Solana Bonk

Como criar uma memecoin em Solana com a Pump.fun

Protocolo viralizou ao permitir a qualquer pessoa criar uma criptomoeda por cerca de R$ 15
dupla de homens sendo presa

Irmãos são presos por roubo de R$ 130 milhões em ataque de 12 segundos na rede Ethereum

O procurador americano Damian Williams disse que “este suposto esquema era novo e nunca havia sido acusado antes”