Imagem da matéria: Dogecoin e Shiba Inu registram quedas drásticas; será o fim do auge das meme coins?
Foto: Shutterstock

As criptomoedas de cachorrinho ainda estão de castigo, pois Dogecoin (DOGE) e Shiba Inu (SHIB), as líderes da matilha de criptomoedas meme, continuam caindo.

Dogecoin, a 13ª maior criptomoeda por capitalização de mercado, caiu mais de 6% na última semana, segundo dados do site CoinMarketCap.

Publicidade

Na manhã desta terça-feira (15), DOGE está sendo negociada a apenas US$ 0,11, tendo sofrido uma queda de quase 85% de seu topo histórico de US$ 0,73 registrado em maio de 2021.

Criada como uma piada em 2013, DOGE se tornou o rosto do dinheiro meme. Ao longo dos anos, houve poucas atualizações importantes ao protocolo original da dogecoin e a moeda não oferece nenhum tipo de “staking” (alocação de criptoativos a uma rede específica para ajudar a blockchain a validar transações), “yield farming” (estratégia de maximização de lucros) ou recursos de finanças descentralizadas (DeFi).

Apesar de haver debates entre os desenvolvedores responsáveis pelo projeto para continuarem melhorando a velocidade de transação da criptomoeda, essas discussões ainda não foram consolidadas.

Sofrimento da SHIB

Pelo canil cripto, Shiba Inu também não está tendo sorte. Atualmente, SHIB está sendo negociada a US$ 0,0000215 após despencar mais de 8% na última semana.

Publicidade

Apesar de seu status de moeda desvalorizada, SHIB continua sendo a 15ª maior da indústria, acima de grandes nomes como a stablecoin DAI, Cosmos (ATOM) e Polygon (MATIC).

Essa queda foi bem dolorosa para fãs de Shiba Inu pois, em outubro de 2021, SHIB era o 9º maior criptoativo por capitalização de mercado.

Apesar do ciclo de baixa, ambos os ativos viraram manchetes ao longo da semana. AMC Theaters, por exemplo, anunciou opções de pagamento online tanto para SHIB como para DOGE na última quinta-feira (10). O recurso é disponibilizado via BitPay, de acordo com Adam Aron, CEO do AMC.

A taxa de queima de SHIB (a destruição de uma parte da oferta de um token) também acelerou recentemente. O site rastreador de queimas Shibburn informa que mais de 400 trilhões de tokens SHIB já foram destruídas até hoje, sendo mais de 400 milhões de SHIB queimados na segunda-feira (14) em uma única transação.

Publicidade

Geralmente, a queima de tokens é considerada como um gatilho positivo para projetos, pois a remoção de tokens de circulação faz com que o ativo se torne mais escasso. Ainda assim, ao mesmo tempo que projeto está queimando SHIB, uma grande quantia de novos tokens são emitidos todos os dias.

Talvez o sinal mais revelador da queda das moedas de cachorrinho foi o pequeno impacto que Elon Musk teve no preço da dogecoin quando falou nesta semana que ainda não venderia suas moedas.

No passado, tuítes do CEO da Tesla e da SpaceX resultaram em um enorme aumento no preço da criptomoeda.

No entanto, quando ele disse, na segunda-feira (14), que não venderia suas dogecoins em meio a preocupações sobre a crescente inflação, o token subiu meros 2% antes de continuar caindo.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Policiais federais fotografados de costas

PF e Receita Federal caçam grupo suspeito de lavagem de dinheiro com criptomoedas

Policiais federais e auditores-fiscais se mobilizaram em quatro estados para cumprir mandados de prisão, busca e apreensão em um esquema de importações ilegais
Imagem da matéria: Exchange japonesa DMM Bitcoin apresenta plano após perder US$ 300 milhões em BTC

Exchange japonesa DMM Bitcoin apresenta plano após perder US$ 300 milhões em BTC

Empresa já iniciou processo de captação para comprar a quantidade suficiente em Bitcoin para pagar os clientes impactados pelo ataque
Jerome Powell, presidente do Fed, mostrado em tela de computador

Bitcoin cai para a casa dos US$ 67 mil após Fed manter taxa de juros

Jerome Powell afirmou que a busca do banco central dos EUA pela meta de 2% de inflação ainda não acabou
Pessoa olha para scanner da Worldcoin

Peru abre investigação contra Worldcoin por coleta de dados biométricos

Autoridades acompanham há quase um mês as sete operações da empresa que escaneia o rosto e a íris das pessoas em troca de tokens WLD