Imagem da matéria: Dificuldade de mineração do bitcoin tem pior ajuste em nove meses e cai 4,3%
Foto: Shutterstock

A dificuldade de mineração do bitcoin sofreu uma queda de 4,3% nesta quarta-feira (25), no que foi o maior ajuste negativo da métrica em nove meses. Em tese, ficou mais fácil minerar o ativo.

A dificuldade para encontrar blocos na blockchain da criptomoeda caiu de 31,25 T (trilhões de hashes) para 29,90 T, segundo dados do BTC.com

Publicidade

Isso significa que uma parcela dos mineradores decidiu desligar suas máquinas nos últimos dias, diminuindo a concorrência e tornando mais fácil encontrar os blocos na rede do Bitcoin. A redução sugere uma diminuição do otimismo dos mineradores com as perspectivas do futuro do preço do ativo.

Ao mesmo tempo, o preço do bitcoin sofre para engatar uma recuperação mais significativa. A moeda está na sua oitava semana consecutiva de desvalorização, algo nunca visto antes.  

O bitcoin está subindo 3,6% nas últimas 24 horas, mas ainda se mantém abaixo da barreira dos US$ 30 mil, negociado a US$ 29,860 segundo o CoinGecko.

Dificuldade de mineração

A dificuldade de mineração, ajustada a cada duas semanas, mede quão fácil ou difícil é para um minerador adicionar novos blocos na blockchain do bitcoin.

Publicidade

Como forma de garantir que um novo bloco seja minerado a cada dez minutos, a dificuldade vai aumentar ou diminuir nesses ajustes periódicos com base em quanto poder computacional estiver dedicado à rede. 

Embora a queda da dificuldade seja um sinal negativo — afinal, significa que há menos mineradores no mercado —, uma correção da métrica já era esperada. 

No último ajuste antes da queda de hoje, a dificuldade de mineração do BTC chegou ao nível mais alto da história e ultrapassou pela primeira vez a marca de 30 trilhões de hashes.

Esse recorde representou o ápice de um movimento de crescimento da dificuldade que vinha acontecendo desde agosto de 2021. A métrica até teve ajustes negativos desde então, mas pouco significativos.

Publicidade

O ajuste de -4,3% de hoje, portanto, é o maior visto desde julho do ano passado, quando a dificuldade desabou de 19,9 T para 14,3 T, uma queda de 28%.

Hashrate

O aumento da dificuldade do bitcoin desde o final do ano passado acompanhou a disparada do hashrate da criptomoeda. Em 15 de maio, o hashrate do BTC chegou a bater um topo histórico de 254 EH/s.

Assim como a dificuldade está em queda nos últimos dias, o hashrate do bitcoin também recua para os atuais 204.61 EH/s.

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com logotipo da BInance

Binance lista 6 novos pares de negociação com USDC e lira turca

A corretora também vai incluir os novos pares em seu serviço de robôs de negociação (trading bots)
moeda de bitcoin com bandeira dos EUA no fundo

Proprietários de criptomoedas são uma força na eleição dos EUA de 2024, diz estudo

Quase um em cada cinco eleitores possui criptomoedas, o que os torna um eleitorado potencialmente poderoso em novembro, segundo a Galaxy Digital
homens em miniaturas lidando com moeda gigante de bitcoin

Como o halving do Bitcoin afetará grandes e pequenos mineradores

As mineradoras corporativas estão preparadas para o halving do Bitcoin há meses, mas os mineradores domésticos, por outro lado, podem enfrentar a extinção
Moedas douradas à frente de bandeira do Brasil

Fundos cripto do Brasil captam R$ 28 mi enquanto balanço global segue negativo pela 2º semana

Fundos de criptomoedas enfrentaram saídas de US$ 206 milhões com mercado tentando entender o que irá acontecer com os preços após o halving; Brasil seguiu sentido contrário e ficou no verde