Como os estímulos do Banco Central Americano podem afetar o Bitcoin

O Fed planeja comprar "junk bonds" para combater a crise econômica causada pelo coronavírus. Mas especialistas têm sentimentos contraditórios sobre isso.

Foto: Shutterstock


Em uma última tentativa de sustentar a economia em declínio, o Banco Central dos EUA (Fed) divulgou planos para comprar títulos “podres” – investimentos mais arriscados.

Nesta semana, o Fed ampliou os estímulos injetando mais US$ 2,3 trilhões na economia, em um esforço para oferecer “alívio e estabilidade”, segundo o presidente Jerome Powell.

Isso inclui provisões para pequenas e médias empresas na forma de um fundo de empréstimos de US$ 600 bilhões, além da compra de US$ 500 bilhões em dívidas de curto prazo de estados, condados e cidades de todo o país.

No entanto, a verdadeira jogada é o compromisso de comprar títulos “podres” – os chamados ‘junk bonds’ devido à propensão de seu emissor à inadimplência. A provisão do Fed é atuar como um bote salva-vidas para empresas com alto risco após a implosão econômica.

De acordo com Charles Bovaird, vice-presidente de conteúdo da Quantum Economics, esse movimento “sem precedentes” pode beneficiar diretamente o Bitcoin.

“A iniciativa do Fed de comprar títulos de alto risco e ajudar a sustentar os chamados “anjos caídos” é sem precedentes”, disse Bovaird ao Decrypt. “Além disso, poderia ser facilmente interpretado como um movimento para ajudar a apoiar os títulos de empresas sem grau de investimento e que negociam com valores fundamentalmente inflacionados”.

Bovaird argumenta que o excesso de percepção do Fed pode minar ainda mais a fé no sistema financeiro.



“Um grande impulso para a criação do Bitcoin foi o desenvolvimento de um novo sistema econômico que pode funcionar independentemente dos bancos e do governo”, diz ele, “muitas pessoas também não confiam, e a Grande Crise Financeira lhes deu um motivo particularmente bom para se sentir desconfiado. “

Seguindo uma linha semelhante, Mati Greenspan, fundador da Quantum Economics, comentou sobre o balanço do Fed, twittando: “A parte mais preocupante é a decisão de começar a comprar junk bonds do mercado. A morte do capitalismo está completa”.

O economista e co-fundador do Real Vision Group, Raoul Pal, também destacou uma correlação entre estímulos fiscais agressivos e o uso de Bitcoin.

“Quanto mais extrema a ação monetária globalmente, mais convincente é o caso do Bitcoin ao longo do tempo.” Pal explicou ao Decrypt. “Provavelmente, muito mais virá dos bancos centrais nos próximos 12 meses”.

No entanto, Pal lembrou a quase-relação do Bitcoin com os mercados tradicionais, ressalvando que uma correlação contínua poderia significar problemas.

“A questão principal é se a fase de liquidação dos mercados terminou. Caso contrário, o Bitcoin poderia muito bem ter dificuldades no curto prazo”, alertou.

Embora os últimos esforços do Fed para ressuscitar a economia possam impulsionar a lógica do Bitcoin, pode haver outro benefício nas táticas agressivas. À medida que mais ajuda é introduzida e os mercados mais amplos se recuperam no curto prazo, o estímulo excedente pode entrar nos mercados de criptomoedas.

*Traduzido e republicado com autorização da Decrypt Media


BitcoinTrade: Depósitos aprovados em minutos!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em menos de 5 minutos! Acesse: bitcointrade.com.br