Imagem da matéria: Coinbase lança campanha em defesa da regulação das criptomoedas nos EUA
Foto: Shutterstock

A maior exchange de criptomoedas dos Estados Unidos, a Coinbase, lançou na terça-feira (19) uma campanha popular para defender que uma lei para o setor cripto seja aprovada no Congresso americano, o que trará mais clareza regulatória.

A empresa iniciou uma grande campanha de mídia paga, que inclui anúncios na capital americana, Washington D.C., e pedidos em sua própria plataforma para que os usuários entrem em contato com deputados e senadores para pedirem a aprovação da lei cripto.

Publicidade

Um comitê do Congresso apresentou em julho um projeto de lei sobre criptomoedas que definiria quando uma moeda digital é um valor mobiliário ou uma commodity. A indústria quer que esse projeto seja votado integralmente na Câmara dos EUA.

Esse é um dos maiores debates hoje nos EUA já que existem muitos reguladores no país e, dependendo em qual categoria um ativo se encaixa, será um órgão diferente o responsável pela regulação. Caso um ativo seja um valor mobiliário, será a Comissão de Valores Mobiliários (SEC) que irá avaliar, enquanto uma commodity iria para a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC).

“Cripto precisa de uma legislação clara e sensata. A atual abordagem coloca em risco o emprego, a inovação e a liderança global”, disse a empresa em uma postagem em seu blog.

Em busca de regras mais claras

O texto ainda ressalta que “países de todo o mundo estão avançando cada vez mais com quadros regulamentares responsáveis em matéria de criptomoedas para se posicionarem estrategicamente como ‘centros cripto’ – atraindo novas empresas inovadoras, empregos e receitas”.

Publicidade

Apesar da Coinbase não citar nenhum país específico no texto, a corretora já reconheceu no passado que o Brasil tem se posicionado bem em relação à regulação cripto.

Leia também: Coinbase destaca Brasil em lista de países com “regras claras” em que planeja expandir operações

No ano passado foi aprovado um projeto de lei do setor, enquanto o país já conta com a Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto), que une as principais empresas do setor em defesa do mercado.

Em entrevista recente ao Portal do Bitcoin, Bernardo Srur, presidente-executivo da ABCripto, explicou que entre as atribuições da entidade está exatamente a de formação de políticas, sejam elas públicas, como discussão de regulação, como também na formação de políticas privadas, que envolve a autorregulação.

No caso da Coinbase, a estratégia da empresa também é lutar para que o setor cripto sofra menos em meio a brigas recorrentes da SEC, por exemplo. O regulador está processando a Coinbase por supostamente vender títulos não registrados, o que a exchange nega.

Publicidade

A Coinbase liderou os esforços de defesa da indústria nos últimos anos, gastando US$ 3,39 milhões em lobby no ciclo eleitoral de 2022, o maior valor entre qualquer empresa de cripto por ampla margem, de acordo com a OpenSecrets.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Os NFTs ficaram para trás com boom do Bitcoin – mas a Animoca ainda acredita nos tokens

Os NFTs ficaram para trás com boom do Bitcoin – mas a Animoca ainda acredita nos tokens

Na Paris Blockchain Week, o presidente da Animoca Brands, Yat Siu, discutiu a regulamentação da SEC, o ressurgimento do mercado de NFT e as finanças de sua empresa
Silhueta de pessoa jogando videogame À frente de TV

Agência federal de fiscalização dos Estados Unidos começa a olhar para games cripto

Comprar vidas extras ou ganhar tokens em um jogo do tipo play-to-earn equivale a um “banco em games e mundos virtuais”, diz agência
silhueta de executivo triste em frente a computador

Trader que lucrou milhões com manipulação de preços vai a julgamento; caso pode impactar setor DeFi

Trader que lucrou US$ 100 milhões manipulando preços na exchange descentralizada Mango Markets começa a ser julgado hoje nos EUA
Imagem da matéria: Ethereum atinge a marca de 1 milhão de validadores

Ethereum atinge a marca de 1 milhão de validadores

Com isso, agora são de 32 milhões de Ether em staking, o que equivale a mais de US$ 114 bilhões, representando cerca de 26% da oferta total de Ethereum