Imagem da matéria: Casal não consegue acessar carteira com US$ 7 milhões em Ethereum (ETH) por erro simples
Casal Yuki e Art Williams passeando em via pública. Imagem: Reprodução/abc7News

Um casal de Washington (EUA) alega que até hoje não consegue ter acesso a 3 mil unidades de Ethereum (ETH) comprados em 2014 durante uma pré-venda feita pela Fundação Ethereum. O motivo é a falta de um arquivo JSON, que atua como uma chave privada. A informação foi publicada pela abc7News na semana passada.

Yuki e Art Williams disseram ao veículo que na época da compra utilizaram 1,5 Bitcoin (BTC) que mantinham na Coinbase para adquirir os ETHs. Eles alegam que seguiram a instrução dada pela fundação, que era basicamente deixar o computador ligado por um certo tempo e aguardar a sincronização.

Publicidade

“A instrução foi a seguinte: deixar o computador ligado por uma hora e meia e esperar o arquivo JSON (acrônimo para JavaScript Object Notation), que apareceria assim que a barra de progressão fosse preenchida. Infelizmente para nós, ele não apareceu”, falou Williams ao site. “Isto é no mínimo devastador. Certamente é um dinheiro para mudar de vida”, ressaltou.

Fundação Ethereum prometeu enviar arquivo

Willians disse que, ao acionar uma equipe da Fundação Ethereum na época, foi instruído a enviar um email contando o problema e que por meio deste contato a entidade enviaria um backup de carteira com o arquivo JSON. Eles então enviaram capturas de tela para comprovar a compra. No entanto, o envio do arquivo nunca aconteceu.

Diante disso, o casal resolveu acionar um escritório de advocacia na Suíça, onde fica a sede da Fundação Ethereum. Desde março de 2018, segundo a abc7News, os advogados do casal tentam resolver o problema. Até mesmo um acordo de 2.750 ETHs chegou a ser posto na mesa, mas não houve o acerto, relata o site, que tentou, sem sucesso, comentários da Fundação Ethereum.

Procurado pelo veículo para comentar o assunto, o especialista em criptomoedas Mitchell Moos disse que o problema é que ao contrário de um serviço centralizado tradicional, o Ethereum pode estar sujeito a diferentes tipos de regras quando se trata de lidar com essas informações. “Eles podem nem ter mais acesso a essas informações”, acrescentou.

Publicidade

“Nunca ouvi ninguém admitir diretamente — oficialmente ou não — que exista um cofre ou uma caixa, ou algo parecido, com todos os arquivos JSON”, comentou também Taylor Monahan, outro especialista consultado.

Agora o casal está pedindo ajuda para levar o processo adiante e exigir que a Fundação Ethereum entregue um arquivo JSON. Para isso, eles criaram uma vaquinha para arcar com os custos jurídicos.

Outros casos

O caso do casal Yuki e Art Williams remete a vários outros casos de perda de chaves privadas de carteiras criptografadas, desde as mais complicadas – quando o disco rígido contendo os fundos é perdido – às mais corriqueiras, como pensar que se pode gravar na memória entre 12 e 24 ́palavras-chave e assim não anotá-las em uma folha de papel.

Há casos também em que o único indivíduo que conhecia as chaves privadas morreu, como foi o caso de Gerald Cotten, fundador e CEO da QuadrigaCX, no Canadá. Ele faleceu na Índia em 2018 e até agora as chaves da exchange canadense não foram localizadas.

Publicidade

Um dos casos mais conhecidos é do programador Stefan Thomas, que em 2011 guardou a senha de sua carteira, com 7.002 BTC, no IronKey, um dispositivo que dá ao proprietário apenas 10 chances de acesso. Até hoje ele não conseguiu lembrar dos números e recuperar as criptomoedas.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Depois que 5 bilhões de tokens GALA foram cunhados e roubados na segunda-feira, a Gala Games recuperou parte dos fundos em ETH – e ainda está descobrindo o resto
Bandeira da Argentina com moeda de Bitoin do lado

Argentina se reúne com autoridades de El Salvador para discutir adoção de Bitcoin

Há cerca de três anos, El Salvador se tornou o primeiro país do mundo a incorporar o Bitcoin, junto com o dólar, como moeda oficial
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Banco Central anuncia próximos passos da regulamentação do mercado cripto no Brasil

Sem definir datas, BC diz que irá fazer mais uma consulta pública no segundo semestre e um planejamento interno sobre stablecoins
ilustração mostra logo da pepecoin PEPE subindo ao céu

Trader transforma R$ 2 mil em R$ 17 milhões graças ao triunfo da Pepecoin (PEPE)

Ao comprar a memecoin após o lançamento, o trader teve um ganho de 7.368x no investimento