Imagem da matéria: A história do homem que perdeu uma senha e não consegue recuperar R$ 1 bilhão em bitcoin
Programador e empresário Stefan Thomas (Foto: Reprodução/YouTube)

O programador e empresário Stefan Thomas ganhou 7.002 bitcoins em 2011 (cerca de US$ 7.000 na cotação da época) como recompensa por ter feito o vídeo ‘What is Bitcoin’, que normalmente introduz as pessoas ao universo das criptomoedas. Ele guardou os ativos em uma carteira e as senhas da wallet em um dispositivo chamado IronKey.

O problema, segundo reportagem do The New York Times, é que anos atrás ele acabou perdendo a senha de acesso ao IronKey, que dá ao proprietário 10 chances de acesso. Thomas já fez oito tentativas, mas não teve sucesso. Agora restam duas.

Publicidade

Se errar, o programador, que foi o primeiro CTO da Ripple, perderá para sempre US$ 236 milhões em bitcoins, o equivalente a cerca de R$ 1 bilhão na cotação desta terça-feira (12).

“Eu simplesmente ficava deitado na cama e pensava a respeito”, disse Thomas. “Então, eu ia para o computador com alguma estratégia nova, que não funcionava, e então eu entrava em desespero”, disse ao jornal norte-americano.

O programador, como é de se esperar de alguém na situação dele, anda irritado com umas das principais ideias por traz do bitcoin, que é a noção de que a pessoa deve ser seu próprio banco e, portanto, cuidadar de suas informações, como senha.

“Toda essa ideia de ser seu próprio banco – deixe me colocar dessa forma. Você faz seu próprio sapato?”, disse. “A razão de termos bancos é que não queremos lidar com todas as coisas que os bancos fazem”, falou ao jornal.

Publicidade

Programador não é o único

Outros investidores estão em situação semelhante a de Thomas. O empresário Brad Yasar, de Los Angeles (EUA), é um deles. Ele contou ao The New York Times que não consegue recuperar milhões em criptomoedas porque perdeu as senhas dos dispositivos.

Gabriel Abed, 34, um empresário de Barbados, na América Central, relatou ao veículo que perdeu 800 bitcoins – cerca de US$ 25 milhões — quando um colega formatou, em 2011, um notebook que continha as chaves privadas de sua wallet.

À reportagem do jornal, ele disse que, apesar da perda, continuou trabalhando com criptomoedas e hoje tem mais dinheiro do que o valor perdido. Para evitar possíveis sumiços de senhas no futuro – e bitcoins -, ele disse que agora guarda seu IronKey em uma instalação segura.

Desespero de investidores e novos negócios

De acordo com estudo da Chainalysis citado pelo jornal norte-americano, dos 18,5 milhões de bitcoins existentes no mercado hoje, cerca de 20% — US$ 140 bilhões — podem estar em carteiras perdidas.

Publicidade

Isso, segundo a reportagem, abriu espaço para o surgimento de empresas que oferecem o serviço de localização chaves privadas.

A Wallet Recovery Services, empresa citada no texto, informou que recebe 70 solicitações por dia de pessoas que querem apoio para recuperar passwords. A quantidade, disse a startup para a reportagem, é três vezes que o número registrado em dezembro de 2020.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

“Parte técnica você descreve como funciona e acabou. Nas vacas sagradas leva um bom tanto de desconstrução de conceitos”, diz Breno Brito
Moeda prateada da Chainlink com reflexo em um fundo roxo

Chainlink sobe 18% ao lançar projeto piloto em Wall Street com JP Morgan, BNY Mellon e DTCC

A DTCC anunciou que acaba de concluir um projeto piloto de tokenização com gigantes de Wall Street, como JP Morgan e BNY Mellon, aproveitando o CCIP da Chainlink
Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank

Nubank libera envio e recebimento de criptomoedas de carteiras externas

Já estão disponíveis para essas transações Bitcoin, Ethereum e Solana; outras moedas e redes serão adicionadas em breve
Michaël van de Poppe em vídeo no Youtube

“É hora de investir em altcoins como Ethereum além do Bitcoin”, diz Michaël van de Poppe

Citando o Ethereum com uma das opções, o analista diz que o mercado de altcoins já passou por correção e que a tendência agora é de alta