Imagem da matéria: Caixa Econômica Federal deixará corretora de bitcoin sem nenhuma conta bancária
Foto: Shutterstock

A única conta corrente que a Coinbr ainda possui ativa está para ser encerrada pela Caixa Econômica Federal. O banco notificou a empresa de criptomoedas na segunda-feira (26) sobre o fechamento de sua conta.

O caso foi comunicado pela Associação Brasileira de Criptoativos e Blockchain (ABCB) ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) na terça-feira (27).

Publicidade

A ABCB, por meio de sua petição, juntou cópia da notificação ao processo administrativo que visa apurar conduta anticoncorrencial dos bancos.

De acordo com o documento, a Coinbr terá até 15 dias úteis a contar do dia 10 de setembro para comparecer na agência bancária com o objetivo de formalizar o encerramento de sua conta- corrente.

“A partir de 10/09/2019, solicitamos seu comparecimento a agência no prazo máximo de 15 dias úteis, para as providências de encerramento da conta, a partir do qual a conta ficará com movimentação restrita e indisponível para receber novos créditos.”

Essa era a última conta corrente que restava para a Coinbr exercer sua atividade empresarial, conforme a empresa mesmo comunicou ao Cade.

Publicidade

De acordo com a resposta apresenta pela plataforma de criptomoedas ao questionário da autarquia, ela sofreu com contas encerradas pelo Itaú; Banco do Brasil; Bradesco; Sicoob; Banco Cooperativo Sicredi e Agiplan, além de uma conta corrente que sequer foi aberta pelo Santander.

Segundo a Coinbr, a conta no Itaú permanece ainda encerrada, “embora haja um cumprimento de sentença em andamento, uma vez que a empresa havia garantido o direito de manter a conta aberta”.

Desta forma, a plataforma de criptomoedas seguia com apenas uma conta corrente aberta. A Caixa Econômica Federal havia sido a única instituição que se abstinha de encerrar conta dessa empresa.

O Portal do Bitcoin entrou em contato com Rocelo Lopes, CEO da Coinbr e Stratum, que disse que a Caixa fechou a conta da exchange arbitrariamente e se acharam no direito de fechar no Brasil mais de 25 contas.

Publicidade

Lopes também disse que está entrando com uma ação judicial contra o banco e que, apesar de não ter conta corrente agora, está trabalhando com uma empresa de soluções de pagamento chamada Othos, a qual atua no setor de criptomoedas.

Na semana passada a Caixa fechou contas bancárias de diversos P2Ps de criptomoedas e Bitcoin. Não se sabe o motivo dos fechamentos, uma vez que a Caixa Econômica não deu nenhum justificativa. Questionada pela reportagem, a empresa pública não respondeu até o momento. A suspeita é que a empresa venha no embalo da crise do Bitcoin Banco, que foi destaque na imprensa nacional nos últimos dias.

VOCÊ PODE GOSTAR
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
miniatura de homem sob pulpito e moeda gigante de bitcoin ao lado

Brasileiros não podem usar criptomoedas para fazer doações nas eleições municipais

A Procuradoria-Geral da República explicou as regras de doações para as eleições municipais de 2024
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de criptomoedas e forex de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa diária de R$ 1 mil, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Xpoken
Sunny Pires surfando

Surfista brasileiro recebe patrocínio em criptomoedas de comunidade web3

Sunny Pires, de 18 anos, embarca neste mês em expedição à Nicarágua com apoio da comunidade web3 Nouns