Corrida de moedas
Shutterstock

Bitcoin (BTC), Bitcoin Cash (BCH), Bitcoin SV (BSV) e Bitcoin Gold (BTG) são criptomoedas com algo em comum: todos compartilham a mesma origem, os mesmos fundamentos e o mesmo whitepaper. Elas são hard forks (divisões) que surgiram com atualizações no código do software, que hoje dá vida própria à uma “família” de diferentes criptoativos, negociados de forma independente no mercado.

O BTC ganhou a corrida de preço mais ampla, sendo o fork do Bitcoin mais bem avaliado pelo mercado, negociado atualmente na casa dos US$ 29 mil e com uma capitalização de mercado na faixa dos US$ 570 bilhões. Enquanto isso, o segundo colocado — BCH, com 130 vezes menos valor — é negociado por apenas US$ 226, fruto da primeira divisão na rede, em 2017.

Publicidade

O terceiro por capitalização de mercado, BSV, troca de mãos por US$ 36. E o BTG vale menos da metade deste total, negociado por US$ 16 no preço à vista.

O fork do Bitcoin com melhor desempenho em 2023

Ao olhar para o desempenho de preço em 2023 das principais “versões” de Bitcoin existentes no mercado, no entanto, o quadro é diferente. Alguns investidores podem se surpreender ao notar que o Bitcoin Cash — segundo maior “Bitcoin” por capitalização de mercado — foi o criptoativo que mais valorizou dentro da “família”.

BCH apresenta uma valorização de 135%, de 1 de janeiro até o final de julho. Enquanto isso, o BTC valorizou 77% no mesmo período, perdendo em pouco menos de 80 pontos percentuais para a rede que se posiciona como dinheiro eletrônico ponta a ponta, ante a posição de “ouro digital” do líder.

(Vini Barbosa / Portal do Bitcoin)

O preço do BTG subiu 41% e o BSV, liderado por Crag Wright, foi o único ativo da “família Bitcoin” que apresentou variação negativa desde o início do ano, perdendo 12% de seu valor.

Publicidade

No que diz respeito aos ativos sintéticos, que oferecem exposição à variação de preço do BTC: o WBTC acompanhou seu par com 77% de alta, GBTC subiu 127% e BITH11 +53% no período.

Wrapped BTC é uma versão tokenizada do criptoativo, emitida através de contratos inteligentes em blockchains como o Ethereum (ETH). Os os outros são fundos negociados em bolsa de valores, controlados pela Grayscale e Hashdex, respectivamente.

Apesar da liderança anual do Bitcoin Cash contra o Bitcoin Core, o primeiro apresentou um pior desempenho desde a alta histórica de 2021. Ele perdeu 86% de seu valor desde que atingiu US$ 1.642/bch, em contraste à queda de 57% desde US$ 69.000/btc.

Por que o BCH está subindo em 2023

Para 2023, o momento mais relevante para o BCH foi sua listagem na EDX Markets em junho, fazendo seu preço mais do que dobrar como resultado de um possível interesse institucional na moeda.

Publicidade

A alta de preço começou após listagem na nova exchange institucional, EDX Markets, apoiada por três gigantes do mercado financeiro tradicional. Bitcoin Cash foi uma das quatro criptomoedas listadas pela plataforma e a posição exclusiva foi o gatilho para o aumento de sua cotação em diversos índices.

No dia 20 de junho, 1 BCH estava cotado em cerca de US$ 105,00 e, na semana seguinte (26), foi negociado por cerca de US$ 215,00. Apenas alguns dias antes, o criptoativo havia sido negociado por uma mínima de US$ 87,00.

No dia 30 de junho, o Bitcoin Cash atingiu o preço de US$ 329,71, enquanto o Bitcoin foi negociado por US$ 31.268 na mesma data.

O que é o Bitcoin Cash (BCH)

Bitcoin Cash é uma criptomoeda, resultado da divisão da rede do Bitcoin em 2017, que ocasionou em duas moedas diferentes, com redes próprias. O BTC e o BCH.

A divisão ocorreu, entre diversos motivos, sobre a decisão de aumentar a capacidade máxima dos blocos de transações, limitado em 4 megabytes no Bitcoin (BTC).

Publicidade

Apoiadores do Bitcoin Cash aumentaram o limite dos blocos, sob a premissa de permitir uma maior escalabilidade, capacidade de transações por segundo e menores taxas de rede para o uso da blockchain criada por Satoshi Nakamoto.

Enquanto os opositores mantiveram o tamanho dos blocos conforme a programação inicial, sob a premissa de que o aumento poderia prejudicar a capacidade de operadores de ‘nós’ conseguirem armazenar todo o histórico de transações em uma rede que se tornaria muito pesada.

Em outubro de 2010, Satoshi Nakamoto já havia comentado sobre a possibilidade de aumentar o tamanho dos blocos, caso a demanda pela rede aumentasse no futuro.

Satoshi Nakamoto, sobre função que poderia aumentar o tamanho dos blocos | Bitcointalk.org
Satoshi Nakamoto, sobre função que poderia aumentar o tamanho dos blocos | Bitcointalk.org

Apesar de algumas diferenças, ambos os protocolos são muito parecidos e originados do mesmo whitepaper. Ambos possuem as mesmas regras de distribuição, halving, limite máximo do supply em 21 milhões de unidades, tempo de bloco de 10 minutos e algorítimos criptográficos de segurança.

VOCÊ PODE GOSTAR
Baleia dourada envolto a moedas de bitcoin

Baleia adormecida por 14 anos movimenta R$ 17 milhões em Bitcoin

As transações dos 50 BTCs oriundos da recompensa de bloco em 2010 ocorreram nesta manhã de segunda-feira (15)
moeda de bitcoin partida ao meio e apoiada em máquina de mineração

Bitcoin conclui 4º halving com sucesso e recompensa de mineradores cai pela metade

Saiba como foi o evento e veja as previsões de preço do Bitcoin daqui para frente
Imagem da matéria: Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos cripto brasileiros ficam pela segunda semana consecutiva atrás apenas dos EUA em captação
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Fundador da FTX recorre de sentença de 25 anos e Bitcoin (BTC) estaciona em US$ 70 mil

Manhã Cripto: Fundador da FTX recorre de sentença de 25 anos e Bitcoin (BTC) estaciona em US$ 70 mil

Mercado de criptomoedas opera sem tendência definida nesta sexta-feira (12), apesar do fluxo negativo de fundos com exposição direta ao Bitcoin