Imagem da matéria: Bitpreço deixa associação de corretoras de criptomoedas após polêmica com Binance
Foto: Shutterstock

A Bitpreço, marketplace que conecta exchanges de criptomoedas, anunciou nesta quarta-feira (10) que deixou Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto) para “evitar parcialidades” em caso contra a Binance.

A saída da empresa é resultado do recente movimento da ABCripto de pressionar as autoridades contra a atuação da Binance no Brasil.

Publicidade

De acordo com a empresa, que conecta em seu serviço tanto corretoras nacionais, como Mercado Bitcoin e Foxbit, quanto internacionais, como Binance e FTX, seu modelo de negócios “demanda neutralidade”.

“Portanto, para evitar parcialidades, a BitPreço desfiliou-se da ABCripto. Esperamos que o mercado encontre um denominador comum para ambos os lados, de forma que possam competir e evoluir saudavelmente”, disse a empresa em nota.

Não foi a única baixa da associação. Segundo Rodrigo Monteiro, atual diretor-executivo da ABCripto, a Ripio também anunciou a saída entidade na mesma reunião — que ocorreu na terça (09) à noite. O motivo, diz, não está ligado à posição contra a Binance, mas sim a questões de reestruturação gerencial.

Procurada, Ripio respondeu em nota:

“A decisão foi tomada pela matriz (Argentina) nesta quarta-feira (10 de março), após avaliar que a postura da associação, neste caso, é diferente da visão mais inclusiva da Ripio, que deveria buscar um framework que fosse inclusivo para diferentes frentes de atuação no setor e permitisse a atuação de empresas globais que trabalham sério e olham para o Brasil com visão de longo prazo”.

Publicidade

“Nós vínhamos discutindo a questão de dezembro para cá. No início de março, foi decidido por unanimidade o envio das cartas de denúncia, inclusive pela Bitpreço. Após a repercussão, eles entenderam que estavam em um possível conflito de interesses, o que foi uma conduta muito correta e honesta”, diz Monteiro.

Em nota, a Bitpreço confirmou: “A votação foi unânime, pois a BitPreço não avaliou adequadamente os conflitos entre seu modelo de negócios e a ação em questão. Após reflexão, notamos a necessidade de nos mantermos neutros, temos parceiros em ambos os lados. Optamos então pela desfiliação”.

Polêmica em torno da Binance

O diretor lembrou da importância dos antigos membros e lamentou a saída. Conforme consta no site da associação, restaram Mercado Bitcoin, Foxbit e Novadax. Um quarto membro deve ser anunciado em breve.

Sobre a questão que provocou a toda a polêmica, Monteiro afirmou:

“Nossa posição é uma questão de arbitragem regulatória contra todos os players que atuam no Brasil sem oferecer segurança e sem obedecer à legislação, como no caso da oferta de serviços de derivativos com criptomoedas”.

Publicidade

Questionado sobre o foco na Binance, o diretor da ABCripto diz que ela foi a primeira pois era a que tinham provas reunidas, mas que outros casos viriam.

Em recente entrevista ao Portal do Bitcoin, o novo diretor da Binance no Brasil, Ricardo Da Ros, comentou a iniciativa da associação:

“A atitude mais saudável seria sentar para conversar, as empresas se coordenarem para avançar. Quando eu estava na Ripio, se alguma coisa como esta viesse para o debate eu votaria contra”.

Por fim, também foi confirmada saída da direção da ABCripto de Fernando Bresslau. Desde o final de janeiro ele não estava mais na função. Sua saída foi motivada por questões pessoais.

VOCÊ PODE GOSTAR
Policial algemando suspeito durante a noite

Médico perde R$ 500 mil em criptomoedas após encontro por aplicativo e sequestro; suspeitos são presos

Os sequestradores que aplicaram o famoso ‘golpe do amor’ foram presos rapidamente pela PM de SP; Polícia Civil investiga o paradeiro dos ativos
Homem preso com as mãos algemadas nas costas

Polícia do Rio prende suspeitos de integrar quadrilha especializada em golpes com criptomoedas

Operação ‘Investimento de Araque’ foi deflagrada nos estados do Rio, Amazonas e Pará; suspeitos movimentaram mais de R$ 15 milhões em dois anos
Sede da Braiscompany em Campina Grande, Paraíba

TRF anula contrato e Braiscompany é condenada a pagar R$ 50 mil a cliente

O contrato de serviço de cessão temporária de criptoativos foi anulado pela 17ª Vara Cível de Brasília
moeda e notas pendurada em um varal

Operação contra maior milícia do RJ revela que suspeitos compravam Bitcoin para lavar dinheiro

Fonte do dinheiro movimentado pelos suspeitos seria oriundo de grilagem de terras, extorsão contra comerciantes e exploração do transporte