Imagem da matéria: Bitcoin chega em US$ 53 mil pela primeira vez desde outubro de 2021
Foto: Shutterstock

O preço do Bitcoin disparou na manhã de segunda-feira, ultrapassando a marca de US$ 53 mil pela primeira vez desde o final de 2021, após um recente período de calmaria na ascensão da criptomoeda líder.

O Bitcoin atingiu o valor máximo de US$ 53.482 nesta segunda-feira (26) e permanece acima do marco de US$ 53 mil com um preço atual de US$ 53.409. O preço chegou perto dos US$ 53.000 na semana passada, mas depois caiu para abaixo da marca de US$ 51.000 em um dia.

Publicidade

O BTC decolou no início de fevereiro após o lançamento de produtos de ETF de Bitcoin à vista no mercado dos EUA em meados de janeiro. Grandes firmas financeiras de Wall Street como a BlackRock e a Fidelity agora oferecem aos seus clientes uma maneira de ganhar exposição ao Bitcoin por meio de ETFs, que são negociados de maneira semelhante às ações. A demanda por ETFs de Bitcoin foi massiva, e os emissores de ETF compraram coletivamente bilhões em Bitcoin para atender a essa demanda.

O Bitcoin começou o mês com um preço pouco acima de US$ 42.000 e continuou ganhando preço até ultrapassar US$ 50.000 em 12 de fevereiro. Foi a primeira vez que o Bitcoin quebrou a barreira dos US$ 50.000 desde dezembro de 2021.

Desde então, no entanto, o Bitcoin não fez movimentos tão substanciais. Permaneceu acima da marca de US$ 50.000 por quase duas semanas agora, mas na maior parte do tempo flutuou entre as barreiras de US$ 51.000 e US$ 52.000.

No entanto, a partir de hoje, parece que o impulso do Bitcoin está de volta. O Bitcoin subiu quase 4% no dia, elevando sua escalada de 30 dias para 27%. O preço da moeda mais do que dobrou desde esta época no ano passado, com um aumento de 129% nesse período.

Publicidade

A última alta do Bitcoin também vem antes do próximo halving, que deve ocorrer por volta de 20 de abril. O halving reduz pela metade as recompensas em BTC dadas aos mineradores para combater a inflação e ocorre programaticamente a cada quatro anos, aproximadamente.

Como resultado, menos Bitcoin novo será criado daqui para frente, desacelerando a expansão da oferta. Analistas esperam que a demanda aumentada por BTC após o lançamento dos ETFs de Bitcoin combinada com a iminente escassez de oferta resultante do halving possa ter um impacto significativo no preço do Bitcoin no segundo semestre de 2024.

Outras criptomoedas de topo por capitalização de mercado estão seguindo a alta do Bitcoin hoje com ganhos similares de cerca de 4% ao longo do último dia, incluindo Ethereum, Solana e Binance Coin. O Ethereum agora está sendo negociado acima de US$ 3.100, o ponto mais alto visto para a segunda maior moeda desde abril de 2022.

*Traduzido com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Paolo Ong, da SEC Filipinas

Termina prazo para saída da Binance das Filipinas e reguladores avisam: “Não há como sacar fundos após bloqueio”

“Não podemos endossar nenhum método de como retirar seu dinheiro agora que a ordem de bloqueio foi emitida”, disse o regulador filipino
bitcoin preso a correntes

Angola proíbe mineração de criptomoedas e China repercute

Embaixada pediu aos chineses que vivem no país sul-africano para não apoiarem ou se envolverem com mineração
homens em miniaturas lidando com moeda gigante de bitcoin

Como o halving do Bitcoin afetará grandes e pequenos mineradores

As mineradoras corporativas estão preparadas para o halving do Bitcoin há meses, mas os mineradores domésticos, por outro lado, podem enfrentar a extinção
Pai Rico Pai Pobre Robert Kiyosaki posa para foto

Autor de “Pai Rico, Pai Pobre” explica por que não vai comprar ETF de Bitcoin

Robert Kiyosaki defende há anos Bitcoin, ouro e prata como as maiores reservas de valor