Imagem da matéria: Binance avança em aprovação para operar em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos
(Foto: Shutterstock)

A corretora de criptomoedas Binance avançou na busca de uma aprovação regulatória de reguladores financeiros em Abu Dhabi, região capital dos Emirados Árabes Unidos, de acordo com o centro financeiro internacional Abu Dhabi Global Market.

A exchange conseguiu a concessão de uma Permissão de Serviços Financeiros (ou FSP, na sigla em inglês) da Autoridade Regulatória de Serviços Financeiros de Abu Dhabi (ou FSRA). A permissão é concedida à Binance para que opere como uma “broker-dealer” de ativos virtuais.

Publicidade

Broker-dealer” é o termo dado a uma pessoa ou empresa envolvida na compra e venda de valores mobiliários em nome de seus clientes.

“Estamos felizes [em anunciar] que a Binance recebeu uma Aprovação a Princípio no ADGM e estamos empolgados em apoiá-la à medida que trabalha para estabelecer uma posição e presença em Abu Dhabi, a capital dos EAU [Emirados Árabes Unidos]”, disse Dhaher bin Dhaher, CEO da autoridade de registro do ADGM, em um comunicado em conjunto com a notícia.

“Devagar, mas com certeza”, tuitou Changpeng Zhao (ou CZ), CEO da Binance.

Richard Teng, líder comercial da Binance no Oriente Médio e no Norte da África, estava bastante otimista.

“A Binance está interagindo cada vez mais com reguladores globais, como ADGM, como parte de seu contínuo comprometimento em respeitar padrões globais e fomentar, de forma coletiva, os desenvolvimentos e o crescimento sustentável do ecossistema cripto”, afirmou Teng.

Em março, a Binance havia recebido uma licença do Banco Central de Bahrein (ou CBB) para operar como uma fornecedora de serviços com criptoativos na região.

Publicidade

Binance, reguladores e licenças

No domingo (10), CZ havia respondido a um tuíte que afirmava que era “interessante” ver a Binance se estabelecer no Oriente Médio após ser “rejeitada” em todos os outros lugares.

“[A Binance] não [foi] rejeitada em todos os lugares. Mais [está] por vir”, respondeu o CEO.

A recente migração da Binance ao Oriente Médio surge após a corretora cripto ter enfrentado problemas regulatórios em jurisdições ao redor do mundo.

Recentemente, um porta-voz da Binance havia confirmado ao Decrypt que acreditava que a licença em Bahrein para a Binance era a primeira que havia sido concedida à corretora.

Em 2021, a Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido (ou FCA) havia dito que a “incapaz” de ser regulamentada após falhar em fornecer informações básicas à reguladora.

Publicidade

No Japão, na Itália e nos Países Baixos, reguladores alertaram que a Binance estava operando sem obter as licenças necessárias.

A Autoridade Monetária das Ilhas Cayman e a Autoridade de Conduta do Setor Financeiro da África do Sul também disseram que a Binance não está autorizada a operar em suas jurisdições.

Em Singapura, reguladores colocaram a corretora cripto na Lista de Alerta a Investidores e, na Malásia, reguladores apresentaram medidas de fiscalização contra a corretora por operar ilegalmente no país.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com o logo da CVM e notebook aberto no site da Comissãod e Valores Mobiliários

Caso contra Atlas Quantum exemplifica a longa demora para CVM julgar processos

O prazo médio para a Comissão de Valores Mobiliários terminar de julgar Termos de Acusação é de quatro anos e meio
Imagem da matéria: Nova York processa minerador de criptomoedas e exchange cripto por fraude de US$ 1 bilhão

Nova York processa minerador de criptomoedas e exchange cripto por fraude de US$ 1 bilhão

Autoridades acusam a exchange cripto NovaTech e a empresa de mineração AWS Mining de “envolvimento em esquemas de pirâmide ilegais”
Imagem da matéria: Com gestão de R$ 350 milhões, BLP Crypto traz novo sócio e passa a se chamar B2V Crypto

Com gestão de R$ 350 milhões, BLP Crypto traz novo sócio e passa a se chamar B2V Crypto

A B2V Crypto registra mais de 5 mil cotistas em seus fundos de investimento
Imagem da matéria: Bitcoin Lightning e soluções de segunda camada podem ser “abusadas ​​por criminosos”, diz UE

Bitcoin Lightning e soluções de segunda camada podem ser “abusadas ​​por criminosos”, diz UE

Um relatório do Centro de Inovação da UE diz que as soluções de Bitcoin e de segunda camada podem causar “problemas para as investigações policiais”