Binance mira mercado europeu e lança afiliada regulada no Reino Unido

Nova plataforma está sob as regras da Financial Conduct Authority (FCA), entidade responsável por regular o mercado financeiro britânico

Binance mira mercado europeu e lança afiliada regulada no Reino Unido
Binance Coin, a criptomoeda da exchange Binance (Foto: Shutterstock)


Considerada a maior corretora de criptomoedas do mundo, a Binance mantém sua política global de expansão. O mais novo passo da empresa foi anunciado na quarta-feira (17), com o lançamento da Binance.UK, no Reino Unido.

A nova plataforma, atua sob as regras da Financial Conduct Authority (FCA), entidade que regula o mercado financeiro britânico. Com esse aval, a Binance.UK permitirá a compra e venda de criptomoedas usando tanto libras esterlinas — a moeda corrente no Reino Unido — quanto euros, adotado pela maioria dos países do continente.

De acordo com comunicado à imprensa, a plataforma permitirá a realização fácil e ágil de depósitos e saques para a compra e venda de moedas digitais, utilizando os meios já existentes no Reino Unido e demais países europeus para transferências internacionais.

Lançada inicialmente apenas para desktop/web, a plataforma deverá ganhar uma versão para smartphones ainda em 2020. Segundo a Binance.UK, ao menos 65 ativos digitais já estarão disponíveis para negociação no lançamento.

Epicentro financeiro e de inovação

Para Changpeng Zhao (CZ), CEO da Binance, o Reino Unido é um histórico epicentro financeiro global — especialmente levando em conta a capital, Londres —, mas também um local de grande inovação e de fomento para tecnologias disruptivas como as criptomoedas.

“Faz parte dos nossos esforços apoiar o crescimento dos mercados
locais em todo o mundo, tangibilizando o acesso financeiro por meio do poder dos ativos digitais e de sua tecnologia disruptiva. O Reino Unido está na vanguarda no fomento do interesse pela criptoeconomia, não apenas em sua região, mas em toda a Europa. Esperamos que a Binance.UK seja propulsora para a próxima geração de finanças”, disse no comunicado.

Tal visão é reforçada pela diretora da Binance no país europeu, Teana Baker-Taylor, também via comunicado. “O papel central do Reino Unido como líder global em inovação para fintechs abriu o caminho para que a tecnologia disruptiva desafie os serviços financeiros tradicionais. Estamos entusiasmados em fazer parte desse ecossistema tão vibrante”.



De olho também no Brasil

Além do Reino Unido, a Binance conta com plataformas de negociação de moeda fiduciária para criptomoedas em países como Singapura, Coréia do Sul, Uganda e Estados Unidos. Essa expansão, contudo, leva em conta a regulação existente em cada país.

Mesmo ainda sem uma legislação específica para o mercado de criptomoedas, o Brasil também tem sido alvo de anúncios recentes da Binance. Desde abril passado os clientes no país contam com suporte e versão do aplicativo da corretora em português.

Desde o final do março os clientes brasileiros também podem comprar bitcoin e outras cinco criptomoedas junto à Binance utilizando cartões de débito e de crédito com bandeira Visa sem cobrança de IOF.

O país também entra no rol das nações latino-americanas contempladas pelo sistema de negociações P2P (ponto a ponto) para a região. O serviço contempla cinco moedas do continente, incluindo o real brasileiro.