Imagem da matéria: Binance ganha aprovação do governo da França para operar no país
Foto: Shutterstock

A Binance anunciou nesta quarta-feira (4) ter recebido uma aprovação oficial do governo da França para operar no país. Segundo o comunicado da corretora, a Autoridade dos Mercados Financeiros (AMR – Autorité des marchés financiers), em francês) concedeu uma Licença de Provedor de Serviços de Ativos Digitais.

A exchange também informa que a licença foi autorizada pela Autoridade de Controle e Resolução Prudencial (ACPR – Autorité de Contrôle Prudentiel et de Résolution).

Publicidade

Segundo a Binance, a AMF regula e protege o mercado financeiro da França e é responsável por garantir a educação financeira entre os investidores; e a ACPR é uma autoridade independente que monitora banco e instituições financeiras no país.

“Com a aprovação e sob suprevisão da AMF e da ACPR, essa Licença de Provedor irá permitir que a Binance opere na França”, afirma a corretora no comunicado.

Fundador e CEO da Binance, Changpeng CZ Zhao comemorou a licença e disse por meio do comunicado que “regulação efetiva é essencial para a adoção em massa das criptomoedas. A Licença da AMF estabelece uma forte política anti lavagem de dinheiro e condições mínima para que os padrões da França sejam atingidos”.

CZ até arriscou um francês no Twitter:

No comunicado da empresa também foi colcada uma declaração de David Princay, CEO da Binance França. “O registro da Binance é um marco para cripto na Europa. Em particular, os novos níveis de proteção da AML irão ajudar a crescer a adoção de cripto na França e Europa. Maior adoção irá ajudar a trazer maior liquidez ao mercado, o que será bem-vindo pelo usuários e comunidade”.

Publicidade

Licença em Abu Dhabi

A aprovação na França vem menos de um mês após a notícia de que a Binance avançou na busca de uma aprovação regulatória de reguladores financeiros em Abu Dhabi, região capital dos Emirados Árabes Unidos, de acordo com o centro financeiro internacional Abu Dhabi Global Market.

A exchange conseguiu a concessão de uma Permissão de Serviços Financeiros (ou FSP, na sigla em inglês) da Autoridade Regulatória de Serviços Financeiros de Abu Dhabi (ou FSRA). A permissão é concedida à Binance para que opere como uma “broker-dealer” de ativos virtuais.

A recente migração da Binance ao Oriente Médio surge após a corretora cripto ter enfrentado problemas regulatórios em jurisdições ao redor do mundo.

Recentemente, um porta-voz da Binance havia confirmado ao Decrypt que acreditava que a licença em Bahrein para a Binance era a primeira que havia sido concedida à corretora.

Publicidade

Em 2021, a Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido (ou FCA) havia dito que a “incapaz” de ser regulamentada após falhar em fornecer informações básicas à reguladora.

No Japão, na Itália e nos Países Baixos, reguladores alertaram que a Binance estava operando sem obter as licenças necessárias.

A Autoridade Monetária das Ilhas Cayman e a Autoridade de Conduta do Setor Financeiro da África do Sul também disseram que a Binance não está autorizada a operar em suas jurisdições.

Em Singapura, reguladores colocaram a corretora cripto na Lista de Alerta a Investidores e, na Malásia, reguladores apresentaram medidas de fiscalização contra a corretora por operar ilegalmente no país.

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular mostra logotipo da memecoin BONK

Memecoins da Solana Bonk e Billy disparam em meio à queda do mercado

Movimentos significativos foram feitos no mercado, transformando a BONK na maior memecoin de Solana e o Gigachad o maior vencedor semanal
Imagem da matéria: Homem tatua endereço de memecoin, mas deixa passar erro de digitação

Homem tatua endereço de memecoin, mas deixa passar erro de digitação

Um investidor da memecoin Gigachad decidiu tatuar o endereço do contrato, mas rapidamente percebeu que cometeu um erro
Imagem da matéria: Justiça torna sócios da gestora cripto Titanium réus por crimes financeiros

Justiça torna sócios da gestora cripto Titanium réus por crimes financeiros

Juiz aceitou a denúncia do Ministério Público contra os sócios da Titanium e da Sbaraini, além de mais sete pessoas, por investigações da Operação Ouranós
Imagem da matéria: Ethereum em staking alcança 27% do suprimento com o início das negociações de ETF se aproximando

Ethereum em staking alcança 27% do suprimento com o início das negociações de ETF se aproximando

“Definitivamente, não precisamos de tanto ETH em staking,” disse o proeminente pesquisador de Ethereum Evan Van Ness ao Decrypt