Imagem da matéria: Binance e Bitfinex Podem Trocar Ásia Pela Europa
(Foto: Berit Watkin/Flickr)

Binance e Bitfinex, as duas maiores plataformas de negociação de criptomoedas, podem deixar totalmente a Ásia ainda este ano. O motivo é a adoção de regras locais cada vez mais atraentes na Europa, como aponta reportagem do portal CCN.

Na semana passada, a Binance, maior exchange em volume de negócios – a plataforma movimenta US$ 1,4 bilhão por dia – mudou-se para a Malta, na Europa. Em comunicado oficial, Changpeng Zhao, conhecido pelas iniciais CZ, disse concordar com o projeto de longo prazo do governo de Malta de transformar o país na “Ilha do blockchain”.

Publicidade

Na semana passada, a empresa recebeu um aviso formal das autoridades financeiras do Japão, onde era baseada, por operar no país sem se registrar na agência reguladora como uma plataforma de negociação de criptomoedas.

Binance já em Malta

“Após uma reunião com o secretário parlamentar Silvio Schembri, ficamos impressionados com a natureza lógica, clara e progressista da liderança de Malta. Depois de revisar um projeto de lei de proposta, estamos convencidos de que Malta será o próximo berço de empresas inovadoras de blockchain e um centro do ecossistema blockchain na Europa. A Binance está empenhada em emprestar nossa expertise para ajudar a moldar uma estrutura regulatória saudável, bem como fornecer fundos para outras startups se desenvolverem no país”, disse CZ.

Outra gigante do setor, a Bitfinex, plataforma de negociação sediada em Taiwan e Hong Kong, se prepara para mudar para a Suíça. A exchange processa operações de criptomoedas em dólar. Jean-Louis van der Velde, CEO da empresa, disse que as conversas com as autoridades suíças estão sendo construtivas e por isso considera a mudança de continente.

“Procuramos um novo lar permanente para a Bitfinex e para a nossa controladora, a iFinex, para centralizar as operações anteriormente espalhadas por vários locais”, declarou Velde.

Publicidade

Por muitos anos, a Suíça, e em particular a cidade de Zug, foi conhecida como a capital mundial da tecnologia blockchain. A fama decorre dos decorre das regras amigáveis às ofertas iniciais (ICOs) e à negociação de moedas digitais. A EOS, sexta maior plataforma do mundo, avaliada em US$ 4,5 bilhões, também está baseada no país.

A transferência do Bitfinex, de Taiwan para a Suíça, faria com que duas das maiores plataformas de negociação de criptomoedas do mundo trocassem a Ásia pela Europa num único mês. Se a fuga persistir, ocasionada por regras cada vez mais restritivas no Oriente, Japão, Coréia do Sul e Hong Kong podem perder o domínio sobre o mercado global, acirrando a competição entre os demais países dispostos a atrair empresas de criptomoedas.

Leia Também: Justiça Permite que Santander Feche Conta da Mercado Bitcoin

 

BitcoinTrade

BitcoinTrade é a plataforma mais segura do Brasil para comprar e vender Bitcoin e Ethereum, junte-se agora a mais de 135 mil clientes satisfeitos. Gerencie também suas moedas digitais utilizando nosso aplicativo para dispositivos com iOS ou Android. Acesse aqui: https://www.bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Edificio do BCE

Manhã Cripto: Bitcoin segue alta e busca máxima histórica com corte de juros na Europa

Banco Central Europeu (BCE) reduziu 25 pontos percentuais de cada uma das suas três principais taxas de juros
Donald Trump posa para foto em evento político nos EUA

Trump se apresenta como ‘criptopresidente’ em evento de arrecadação de fundos

O candidato presidencial republicano dobrou sua postura pró-cripto durante evento em São Francisco, EUA
Tigran Gambaryan, chefe de compliance da Binance, posa para foto

Deputados pressionam Biden para trazer de volta aos EUA executivo da Binance detido na Nigéria

Em carta ao executivo, os deputados alegam que Tigran Gambaryan está na condição de refém do governo da Nigéria e corre risco de morrer de malária
moeda de bitcoin com bandeira dos EUA

O que faria os americanos comprarem mais Bitcoin? Regulamentações mais claras, afirma pesquisa

Pesquisa da Grayscale mostra que 44% dos eleitores dos EUA que não possuem criptos dizem que estão “esperando regulamentações adicionais”