Imagem da matéria: Atlas Quantum fecha cadastro para novos clientes de arbitragem com bitcoin
Foto: Shutterstock

A Atlas Quantum fechou os cadastros da plataforma de arbitragem e não está mais aceitando novos clientes. No site da empresa, existe agora apenas a opção para comprar Bitcoin.

Até poucos dias atrás, o site da startup continha apenas três avisos sobre a notificação da Comissão de Valores Mobiliários, que determinou a suspensão dos contratos de investimentos coletivos. Entre segunda (26) e terça-feira (27), foi colocada a seguinte informação:

Publicidade

Ainda não sou cliente. Mas quero me cadastrar. O que isso significa?‍ Para novos clientes no Brasil, estamos atuando apenas na compra de bitcoin”. 

Na prática, significa que não há novas pessoas entrando para utilizar o robô chamado Quantum que, segundo a empresa, faz as operações de compra e venda de criptomoedas.

Na mesma página, o primeiro tópico mantém que a CVM proibiu somente a veiculação de publicidade. “Essa medida requer a suspensão de qualquer comunicação de publicidade, incluindo propagandas de TV e mídia em geral”, diz o texto.

Ao mesmo tempo que a empresa não reconhece a proibição dos contratos coletivos de investimentos, ela suspendeu-os. Questionada, a empresa disse o seguinte:

Publicidade

“Atendendo às determinações da CVM, o Atlas suspendeu integralmente a oferta pública do serviço de arbitragem automatizada de Bitcoins”.

Conforme a nota enviada pela assessoria de imprensa, o serviço a antigos clientes não será afetado. Como forme de cumprir a determinação da autarquia, diz, para novos clientes está realizando apenas a venda de bitcoin.

Além disso, agora trabalha na “implementação do processo de separação da plataforma para clientes novos e antigos, que está em curso”.

Com a corrida de saques, a Atlas ampliou o prazo das retirada de Bitcoin de um para quatro dias. Segundo relatos recentes de clientes, a nova informação é que o prazo foi ampliado novamente e sem previsão de regularização.

Questionada, a empresa disse que passava por problemas técnicos mas não especificou quais eram. Apenas pediu desculpas e prometeu um bônus de 25% para cada dia de atraso dos saques.

Publicidade

Atlas Quantum, auditoria e CVM

Sobre o atraso, Bruno Peroni, o diretor institucional da Atlas, disse na sexta-feira (23) que o volume de saques decorrentes crise provocada pela notificação da CVM foi considerado relevante e bem acima da média.

A justificativa, segundo ele, é que os problemas foram causados nas exchanges pois a empresa está em um momento de “troca da titularidade das contas provocada pela mudança de Delaware, nos Estados Unidos, para as Ilhas Virgens”.

O aumento das retiradas dos últimos dias começou depois que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) notificou a empresa no dia 13 de agosto.

Na sexta-feira, a Atlas Quantum informou que um relatório sobre a empresa havia sido feito pela empresa de contabilidade Grant Thornon. O documento, que não é uma auditoria completa mas um PPA (Procedimentos Previamente Acordados), diz que o auditor encontrou 15.226,1 Bitcoins e 34.793.966,2 de criptodólares nas contas da empresa em diferentes exchanges.

A promessa de que a Atlas faria uma auditoria foi feita publicamente pela primeira vez em maio de 2018 pelo seu CEO, Rodrigo Marques.

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
Três policiais na porta de suspeito de tráfico de drogas no MT

Servidor que usava sistema de secretaria para vendas de drogas com criptomoedas na dark web é preso no MT

A plataforma de comércio ilegal de entorpecentes funcionava através da rede Tor
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Scarpa x Bigode: Pedras preciosas não valem como garantia em processo contra pirâmide cripto, diz PF

Um laudo das pedras de alexandrita apreendidas da suposta pirâmide Xland foi avaliado por um juiz, que determinou que elas não têm valor significativo