Moeda de Bitcoin substitui o zero de 2024
Shutterstock

2023 foi um ano excelente para o mercado de criptomoedas, com o Bitcoin se recuperando de um longo inverno cripto e naturalmente ajudando na valorização de outros ativos.

Mas o que esperar da maior criptomoeda do mundo e de outros notáveis projetos, como Ethereum, Solana e Polygon no ano que vem? E quais são as outras moedas fora do radar do grande público que podem decolar num futuro próximo?

Publicidade

O Portal do Bitcoin consultou diversos especialistas da indústria cripto brasileira para descobrir quais criptomoedas eles consideram as mais promissoras.

Bitcoin (BTC)

O Bitcoin é a criptomoeda mais promissora na visão da maioria dos especialistas, tanto por sua segurança até agora inabalada quanto por seu status de reserva de valor.

Para André Franco, head of research do Mercado Bitcoin, o BTC pode brilhar ainda mais com a possível aprovação de ETFs de Bitcoin à vista nos EUA no primeiro trimestre de 2024.

O mesmo brilho também é aguardado pelo gerente de Customer Experience da NovaDAX, César Felix, que vê a compra de Bitcoin como uma oportunidade a médio e longo prazo, fundamentada nos ETFS e no halving.

Publicidade

“O Bitcoin possui fundamentos sólidos, e com os eventos previstos para 2024, a perspectiva de valorização é significativa”, diz também Luiz Parreira, CEO da Bipa. Segundo ele, além dos ETFs e halving, outro ponto que pode impulsionar o Bitcoin ano que vem é sua possível inclusão como forma de pagamento no X, antigo Twitter, agora controlado por Elon Musk.

Para Ricardo Da Ros, CEO da Patex, “o Bitcoin seguirá em aceleração ao longo do próximo ano e deve, obviamente, aquecer as outras moedas também”. Ele vê como positiva a regulamentação do setor cripto e sua adoção por grandes instituições, “o que deve colaborar com um crescimento ainda mais acelerado do preço do Bitcoin”.

Daniel González, analista de criptomoedas da Bitso, acredita no “crescimento cíclico” do Bitcoin. “O preço do Bitcoin é conhecido por aumentar após eventos de halving, uma tendência esperada para continuar em 2024”, comenta.

“Como vemos na história, este evento tende a marcar o início de um ciclo de alta que geralmente renova máximas históricas”, comenta Beto Fernandes, analista de criptomoedas da Foxbit, sobre o halving. 

Publicidade

Ethereum (ETH)

A atualização da rede do Ethereum com um novo fork no primeiro trimestre de 2024, é o que pode mover para frente o preço da segunda maior criptomoeda do mercado, segundo André Franco.

A segurança e escalabilidade elevada do Ethereum também é citada por César Felix, que observa um notável acúmulo de ETH pelas baleias, o que indica uma ação de alta no preço. Felix acredita que a aprovação de ETFs à vista de Ethereum nos EUA também podem causar euforia no mercado.

A confiança institucional robusta no Ethereum, dados os pedidos de ETF pela BlackRock e Fidelity, por exemplo, pode se traduzir em um sinal otimista para o ativo em 2024, comenta Daniel González.

Para Ricardo Da Ros, o ether pode ganhar uma valorização em 2024 com os muitos projetos rodando na sua rede principal. Afinal, o Ethereum é a principal blockchain para dApps e todo o setor DeFi de modo geral.

Solana (SOL)

César Felix também incluiu a Solana em sua lista de criptomoedas promissoras para 2024. “Atualmente, a rede segue sendo uma interessante plataforma para a construção de aplicativos e outros tokens de forma escalável, chamando a atenção por suas iniciativas recentes no setor de jogos”, aponta.

Publicidade

Para Daniel González, uma notável mudança de investimentos institucionais de Ethereum para Solana sugere uma preferência crescente pelo ecossistema SOL, o que ele chama de “mudança institucional”.

Ele cita a recente superação da Solana sobre o Ethereum como líder de volume de negociação no setor de finanças descentralizas, indicando uma mudança na preferência e adoção no varejo.

Altcoins para ficar de olho em 2024

André Franco destacou três altcoins para manter no radar no ano que vem:

Ronin (RON)

Para Franco, a Ronin, que é uma sidechain baseada no Ethereum com foco em jogos, se torna promissora para 2024 devido “a volta da tese de jogos”. Por isso, seu token nativo, RON, tem potencial de trazer bons resultados para os investidores.

Echelon Prime (PRIME)

O jogo de cartas que pretende utilizar inteligência artificial (IA) e tem crescido bastante deve continuar atraindo usuários no ano que vem, segundo o especialista.

Pendel (PENDLE)

Para Franco, o PENDLE, que é um ativo de finanças descentralizadas (DeFi), pode se favorecer no próximo ano devido ao crescimento do staking do Ethereum.

Os especialistas César Felix e Beto Fernandes recomendam quatro outras criptomoedas:

Polygon (MATIC)

Felix descreve o projeto Polygon como “sólido, com diversos objetivos interessantes e aplicáveis”, cuja rede é amplamente utilizada em transações por sua alta escalabilidade.

Publicidade

“Apesar de não apresentar um momento de grandes altas recentemente, vejo a criptomoeda como uma oportunidade, por seu baixo valor e possibilidade de ganhos a longo prazo”, avalia.

Para Beto Fernandes, mudanças importantes podem tornar a rede Polygon muito mais eficiente, mesmo que, para isso, seja preciso lançar um novo token, o POL. “Até lá, a MATIC segue com boas perspectivas, ainda mais quando o update for totalmente implementado e, claro, caso evolua mesmo o protocolo”.

Aave (AAVE)

Sobre Aave, Felix disse acreditar no potencial da proposta do projeto, ressaltando sua “equipe focada em resolver todos os percalços enfrentados e uma comunidade engajada”.

“Acredito que, conforme mais regulamentações forem estabelecidas e a clareza do mercado cripto se torne ainda maior, melhores serão as oportunidades relacionadas à criptomoeda”, afirma.

Avalanche (AVAX)

Segundo Beto Fernandes, o token nativo da Avalanche ganhou destaque depois da parceria com o gigante JP Morgan. Para 2024, comentou ele, “o desempenho vai além de um simples e possível hype, mostrando uma construção forte em cima de seus próprios fundamentos”.

“Caso a proposta funcione com o JP Morgan, é natural esperar que outros grandes players também passem a utilizar a rede Avalanche para seus gerenciamentos de ativos, valorizando a AVAX”, acrescentou.

Cosmos (ATOM)

Fernandes também destacou o token ATOM como promissor para o ano que vem, ressaltando que a rede passa por uma atualização bastante interessante no quesito de segurança.

“Isso não só deve trazer fluidez e segurança aos projetos que utilizam a plataforma, como ainda tendem a favorecer os stakers, que podem passar a receber mais taxas, sem deixar a blockchain”, destaca.

Pedro Gutierrez, Business Development Manager LATAM da CoinEx, destacou outras cinco criptomoedas:

XRP

Gutierrez reconhece o foco da XRP em facilitar transações de fronteiras rápidas e econômicas e o lançamento da XRP SideChain que, segundo ele, “abrirá um oceano de possibilidades para desenvolvedores de todos os lugares do mundo utilizarem os benefícios desta bockchain”, o que pode aumentar ainda mais os casos de uso para o token nativo da Ripple.

Além disso, ele ressalta as diversas parcerias que a empresa estabelece pelo mundo, o que deve alavancar a adoção contínua da tecnologia utilizada pela XRP Ledger.

Algorand (ALGO)

Acerca da Algorand, Gutierrez destaca a escalabilidade e velocidade da rede, bem com sua funcionalidade de contrato inteligente que permite o desenvolvimento de aplicações descentralizadas (dApps) e projetos de finanças descentralizadas (DeFi), contribuindo para o seu crescimento potencial à medida que estes setores continuam a se expandir.

“Na América Latina eles têm casos de uso importantes como o AgroToken e uma grande colaboração com uma empresa de desenvolvimento de software chamada Koibanx. Isto também sugere que Algorand ainda tem um longo caminho a percorrer”, avalia.

Near Protocol (NEAR)

Destacando o Near Protocol como “amigável ao desenvolvedor”, o especialista acredita que isso pode levar o projeto em 2024 a um crescente ecossistema, incentivando a adoção e a valorização do token NEAR.

Ele acrescenta que a escalabilidade por meio de sharding confere ao NEAR um bom posicionamento para lidar com o aumento da demanda:

“NEAR se posiciona como um protocolo blockchain que não apenas fornece uma infraestrutura para a criação e execução de contratos inteligentes, mas também apresenta uma visão mais ampla de ser um sistema operacional completo para a web descentralizada.”

Aptos (APT)

Sobre a Aptos, Gutierrez destaca seus recursos de privacidade, já que à medida que a privacidade se torna uma preocupação cada vez mais importante para os usuários, as criptomoedas com fortes recursos de privacidade podem ganhar força.

“Uma comunidade forte e empenhada, juntamente com mecanismos de governação eficazes, pode contribuir para o desenvolvimento sustentável e a adoção de Aptos, potencialmente gerando maior valor”, projeta.

Polkadot (DOT)

O especialista destaca a interoperabilidade como principal ponto forte do ecossistema da Polkadot. “Sua cadeia de retransmissão permite que várias blockchains operem de maneira escalável e interconectada, incentivando a colaboração entre projetos”, explica.

Ele destaca também as “parachains” que tornam a rede mais versátil. “Esta flexibilidade pode atrair uma ampla gama de projetos e usuários, o que impactará positivamente o valor do DOT.”

Wander Guedes e Gabriel Lacerda, executivos da Transfero, destacaram para 2024 as seguintes criptomoedas:

UniBot (UNIBOT)

Com foco na rapidez, UniBot é uma plataforma que utiliza o Telegram para permitir operações instantâneas e taxas de transação de apenas 1%. Sua combinação de tecnologia inovadora, velocidade e benefícios significativos o torna um projeto a ser observado no mercado cripto, diz Guedes.

“Uma importante observação a ser feita é que todos os tokens da plataforma já foram emitidos. Ou seja, uma grande procura por esse ativo pode elevar significativamente seu preço”, acrescentam.

Realio (RIO)

Lacerda ressalta que a Realio utiliza a tecnologia blockchain para oferecer os seus serviços de SaaS (software como serviço). A ideia da plataforma é oferecer a experiência de uma exchange descentralizada (DEX) com recursos de emissão, investimento e gestão de criptoativos e títulos digitais. 

“Como o tema tokenização tem ganhado espaço no mercado, é uma plataforma que tende a ser procurada por players institucionais, o que implicaria em uma valorização do seu token”, destaca.

Injective (INJ)

Acerca da Injective, o especialista ressalta que o projeto foi desenvolvido exclusivamente para o setor financeiro e que o seu grande diferencial é o livro de ofertas totalmente descentralizado, o que já atraiu investidores relevantes para o projeto, como a Binance e Mark Cuban.

You May Also Like
Imagem da matéria: Tokenização se torna opção interessante para CRIs e CRAs | Opinião

Tokenização se torna opção interessante para CRIs e CRAs | Opinião

Através da tokenização o emissor dos certificados consegue garantir uma operação com menos gastos graças à infraestrutura utilizada
Celular com logotipo da BInance

Binance vai listar quatro novos pares de negociação com USDC e Lira turca, incluindo Worldcoin

Os novos pares também serão incluídos no serviço Trading Bots (robôs de negociação) da plataforma
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Gustavo Scarpa comenta processo contra Willian Bigode: “Favorável”

O jogador que investiu cerca de R$ 6 milhões em um suposto negócio de criptomoedas do ex-companheiro de clube acredita que será ressarcido
Imagem mostra mix de moeda de bitcoin, formulário de imposto e bandeira dos EUA

Receita Federal dos EUA contrata ex-executivo da Binance para fiscalizar traders de criptomoedas

A contratação do executivo se soma aos esforços do IRS na fiscalização da área de ativos digitais