Imagem da matéria: Web3: quais empresas estão investindo no futuro da internet blockchain?
Foto: Shutterstock

Desde o final de 2021, o termo “Web3” se tornou bastante comum no meio digital e nos canais de notícias. A Web3 seria uma nova fase na escalada tecnológica da Internet, durante a qual novas funções poderão causar impacto suficiente para desestabilizar o balanço de poder das grandes corporações digitais.

Entre essas novas funções, temos a descentralização de serviços e o surgimento de ambientes de socialização do tipo metaverso, em mundos 3D virtuais. 

Publicidade

Tanto a Web3 quanto os metaversos advêm de aplicações, cada vez mais abrangentes, da tecnologia blockchain. O volume de investimentos feitos nesse setor vem crescendo incessantemente: em 2021, startups que trabalham com blockchain angariaram US$ 25 bilhões em capital de risco, um valor oito vezes maior que o do ano anterior.

A seguir, veremos quem são os maiores players interessados nesse assunto, quais investimentos estão sendo feitos e que consequências isso trará ao setor digital. 

As Big Tech e os investimentos em Web3 

Há muitas discussões acerca da relevância da “Web3” e do “metaverso”. Muitos críticos, a exemplo de Elon Musk e Jack Dorsey, julgam se tratar de um burburinho excessivo e de sensacionalismo da mídia. 

As grandes corporações Big Tech, porém, não parecem partilhar da mesma dúvida. Impulsionadas, talvez, pelo medo do fenômeno de rápida obsolescência e substituição das redes sociais e serviços digitais pelo público, empresas como Microsoft, Meta (Facebook) e Twitter investem cada vez mais em blockchain. 

Publicidade

A Microsoft nunca havia se aventurado muito pelo mundo cripto, tendo feito apenas um investimento anterior na Palm NFT Studio. Recentemente, porém, ela entrou para o time de investidores que sustentam a ConsenSys.

A última rodada de investimento – da qual participaram também o SoftBank japonês e a holding singapurense Temasek – arrecadou US$ 450 milhões. Isso dobrou o valor de mercado da Consensys para US$ 7 bilhões. 

ConsenSys é uma empresa com sede em Nova York, que surgiu em 2014. Ela foi criada por um dos fundadores do Ethereum, Joseph Lubin, e produz software para uso na própria rede Ethereum.

Entre as ferramentas mais populares da ConsenSys estão a carteira MetaMask e a Infura, uma ferramenta para desenvolvedores de apps em Ethereum. A empresa tem sido vista como uma das possíveis líderes a despontar no avanço da Web3, sendo a associação da Microsoft como investidora mais um indício em favor dessa afirmação. 

Publicidade

A Meta Platforms, originalmente conhecida como Facebook, também não esconde seus interesses na Web3. No ano passado, a empresa até mesmo mudou de nome, em uma “celebração” ao que seria uma nova fase de desenvolvimento em direção à visão de metaverso do CEO Mark Zuckerberg.

Esse ano, anunciou que fará da Espanha sua central para desenvolvimento de metaverso, investindo diretamente na contratação de 2 mil pessoas, na construção do laboratório MetaLab e de um cabo submarino transatlântico petabit, além de outros blocos de infraestrutura.

Apesar disso, os negócios não têm sido muito fortuitos para a Meta. Desde o início das atividades em blockchain e metaverso, a empresa registrou um prejuízo de US$ 10 bilhões.

Cerca de 98% da receita anual da empresa ainda provém do modelo de arrecadação por propagandas, o que não é compatível com uma visão de Web3.

Caso o Facebook consiga se tornar interoperável com um novo ambiente metaverso, e seu usuário se torne capaz de deslocar seu conteúdo de dentro da rede social para a Decentraland, por exemplo, a Meta não terá exclusividade sobre aquele usuário e perderá na arrecadação com anúncios.

Publicidade

Ainda não está claro como a empresa pretende proceder, mas caso não consiga redesenhar seu modelo de atividades, poderá não sobreviver à Web3 nos próximos anos. 

Regulamentação 

Um ponto chave, de passagem obrigatória para os que têm interesse em blockchain e Web3, é o da regulamentação das criptomoedas.

O desenvolvimento de leis e o posicionamento de diversos países vem acontecendo gradualmente em todo o mundo. Nos EUA, o presidente Joe Biden solicitou uma ação do governo mediante o tema, mas maiores detalhes ainda não foram divulgados.

Omissões legislativas como essa acabam por frear os investimentos de muitas empresas em blockchain e Web3, gerando fuga de capital para territórios mais amistosos/claros perante o assunto – como é o caso da ida da Meta para a Espanha. 

De qualquer forma, redes blockchains são globais e descentralizadas. Posicionamentos desfavoráveis de países específicos não deverão ser um obstáculo definitivo para o crescimento da Web3 como um todo. 

Conclusão 

Não sabemos ainda que tipos de resultados esperar dos investimentos feitos em Web3 pelas grandes empresas digitais (Big Tech).

O modelo de negócios da maioria delas, baseado em anúncios e extração de valor do usuário, é incompatível com a proposta de descentralização trazida pela tecnologia blockchain, Web3 e metaverso. 

Publicidade

Na Web3, as plataformas passam a pertencer à comunidade e funcionam como ferramentas para que eles mesmos produzam valor. Caso queiram sobreviver, pode ser necessário que empresas como Meta, Twitter, etc., se adaptem e redefinam completamente o modo como operam, ao longo dos próximos anos.

Sobre o autor

Fares Alkudmani é formado em Administração pela Universidade Tishreen, na Síria, com MBA pela Edinburgh Business School, da Escócia. Naturalizado Brasileiro. Atua como Business Development Manager Brasil na Kucoin.

Portal do Bitcoin Summit

O primeiro evento do Portal do Bitcoin será gratuito e online! Jogos NFT, movimentações em Brasília, como receber investimentos na sua startup de criptomoedas e muito mais. Inscreva-se aqui: https://portaldobitcoin.uol.com.br/summit/

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Bitcoin, Ethereum e Solana desabam e R$ 1 bilhão são liquidados do mercado em uma hora

Bitcoin, Ethereum e Solana desabam e R$ 1 bilhão são liquidados do mercado em uma hora

O Bitcoin começou o dia cotado a US$ 71 mil; agora, seu preço desaba para a US$ 66 mil
Imagem da matéria: EUA não têm autoridade para processar trades DeFi, diz advogado do hacker da Mango Markets

EUA não têm autoridade para processar trades DeFi, diz advogado do hacker da Mango Markets

Avraham Eisenberg é o trader cripto acusado de drenar mais de US$ 100 milhões da plataforma de negociação Mango Markets
Imagem da matéria: Ethena (ENA): Conheça a criptomoeda que acaba de estrear no mercado com alta de 45%

Ethena (ENA): Conheça a criptomoeda que acaba de estrear no mercado com alta de 45%

O token de governança ENA da Ethena Labs, junto do USDe, possuem uma história controversa, mas isso não impediu o apoio de investidores e traders
Imagem da matéria: Investidor transforma R$ 20 mil em R$ 178 milhões ao segurar Bitcoin por 12 anos

Investidor transforma R$ 20 mil em R$ 178 milhões ao segurar Bitcoin por 12 anos

Quando o investidor adquiriu 500 BTC em julho de 2012, a quantia valia R$ 20 mil; hoje, ultrapassa R$ 178 milhões