Imagem da matéria: Vagas para profissionais em blockchain, no Brasil e no mundo | Opinião
(Foto: Shutterstock)

A tecnologia blockchain continua sendo um campo determinante para investimento, desenvolvimento, pesquisa e inovação em todo o mundo. Diversos países já possuem planos estratégicos voltados para o mercado digital com seções que mencionam diretamente a tecnologia blockchain.

Vimos ser estabelecida, nos últimos anos, uma espécie de “corrida” entre diversas nações em busca da liderança em patentes e know-how em blockchain, independentemente do mercado de criptomoedas.

Publicidade

Os países na liderança são China, Japão, Vietnã, Índia, Reino Unido, Estados Unidos, Suíça, Alemanha, Estônia, África do Sul, Nigéria, Canadá, Singapura e Bahamas. Essa corrida é muitas vezes amistosa, com associações internacionais unindo esforços em alguns projetos.

Um dos efeitos mais importantes desse fenômeno é a alta demanda gerada por profissionais capacitados em blockchain. Confira, a seguir, quais os principais cargos em blockchain disponíveis no mercado e como esse setor de qualificação tem se beneficiado com a etapa atual da revolução digital do século XXI, no Brasil e no mundo.

Os dez principais cargos em blockchain

Os postos de trabalho em blockchain são, em geral, adaptações de postos clássicos exigindo conhecimentos técnicos em blockchain de níveis variados mais experiência específica para a posição. Veja quais são os 10 principais cargos do mercado atualmente:

Desenvolvedor de Blockchain

Este profissional é o programador de blockchain, que projeta e escreve os algoritmos dos aplicativos descentralizados (dApps). São necessários conhecimentos em contratos inteligentes, Solidity, AngularJS, ReactJS e outras ferramentas de ponta. A principal plataforma de trabalho é a rede Ethereum.

Publicidade

Auditor de Contratos Inteligentes

O auditor é responsável por averiguar a segurança e consistência dos contratos inteligentes das diversas plataformas existentes, como Ethereum e Cardano. Conhecimentos necessários incluem segurança computacional e criptografia.

Consultor de Blockchain

Profissional que auxilia empresas e instituições que buscam começar a utilizar blockchain em seus negócios. Dá suporte no planejamento estratégico e, possivelmente, no encaminhamento de uma “blockchain as a service”.

Gestor de Projetos em Blockchain

Profissional responsável por planejar, executar e submeter projetos em blockchain segundo os prazos e condições preestabelecidos.

Analista de Negócios em Blockchain

Este profissional faz a ponte entre a identificação dos problemas e necessidades de uma empresa e a escolha de tecnologias e soluções que se adequem a elas. Normalmente trabalha em consonância com outras empresas de consultoria blockchain.

Designer de Blockchain UX

UX, ou experiência do usuário, é o campo encarregado de fazer com que a interação “usuário-blockchain” flua de maneira descomplicada e agradável. Trabalham diretamente com os outros desenvolvedores na criação de interfaces de usuário otimizadas.

Publicidade

Cientista de Dados em Blockchain

Este profissional é responsável pela análise de dados, machine learning, estatística e ciência da computação. As decisões são usadas nas empresas para o desenvolvimento estratégico e inovação.

Pesquisador de Blockchain

Responsável pelo estudo, pesquisa acadêmica e inovação em tecnologia blockchain.

Consultor Legal em Blockchain

Profissional responsável pelo assessoramento legal em blockchain. Este campo tem alta demanda e importância, pois está em desenvolvimento contínuo na medida em que mais países solidificam suas legislações para blockchain e criptomoedas.

Especialista da Comunicação em Blockchain

Responsável por criar e executar as estratégias de comunicação em blockchain dentro das empresas. Campo associado à atuação em marketing e relações públicas.

A demanda por esses profissionais só aumenta

Apesar da alta volatilidade do mercado de criptomoedas – que é, de fato, responsável por uma parcela da demanda por profissionais em blockchain – a procura por profissionais qualificados segue relativamente inabalada.

Isso acontece devido às inúmeras aplicações secundárias da tecnologia blockchain, que vem adentrando empresas, instituições e governos nacionais cada vez mais em ramos como saúde, educação, gestão de cadeias de suprimentos, computação em nuvem, mercado de ações e imobiliário e jogos, entre outros.

Publicidade

A busca por empregos do tipo, em plataformas como LinkedIn e Indeed, mostra um grande número de cargos em aberto. Um relatório divulgado recentemente pela LinkedIn e OKX mostra que o número de cargos aumentou 76% ao ano, com salários que facilmente ultrapassam os US$125 mil ao ano.

Em média, o salário de desenvolvedores de blockchain é de 50% a 100% maior que o de desenvolvedores clássicos. Esses altos valores refletem a alta procura por profissionais para uma tecnologia em desenvolvimento, contraposta a uma baixíssima disponibilidade desses profissionais no mercado.

Mais instituições de qualificação também vêm surgindo ao longo do tempo, mas é improvável que elas sejam capazes de suprir essa demanda, que também deve continuar crescendo ao longo desta década. A Gartner prevê que a indústria blockchain, como um todo, atingirá o valor de US$ 3 trilhões até 2030.

E no Brasil?

No Brasil não é diferente. Em termos absolutos, já somos o sétimo país com maior demanda por profissionais especializados em blockchain. Apesar de o nosso país não ocupar a lista dos maiores líderes em pesquisa blockchain e criação de patentes, aqui a demanda também cresce e não faltam oportunidades.

O Brasil está em terceiro lugar entre os países que mais crescem em relação à demanda por profissionais de blockchain, a uma taxa anual de 518% (dados de 2021). Em segundo lugar está o Canadá, com 560%, e em primeiro a Espanha, com 609%.

Já existem alguns cursos de qualificação na área disponíveis no país. Além disso, há iniciativas como o programa Novos Rumos, do BNDES, e outras empresas (Energisa, FALM, Ifood, Norte Energia), para a capacitação de indivíduos. Este projeto foca a capacitação de pessoas em vulnerabilidade social, através de um investimento de cerca de R$30 milhões.

Publicidade

Sobre o autor

Fares Alkudmani é formado em Administração pela Universidade Tishreen, na Síria, com MBA pela Edinburgh Business School, da Escócia. Naturalizado Brasileiro. Atua como Business Development Manager Brasil na Kucoin.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin reduz perdas após atingir US$ 59 mil; Kraken lança carteira e Binance pode retornar à Índia

Manhã Cripto: Bitcoin reduz perdas após atingir US$ 59 mil; Kraken lança carteira e Binance pode retornar à Índia

Mercado de criptomoedas segue em baixa antes do halving do Bitcoin, com o Ethereum lutando para manter os US$ 3 mil
Silhueta de pessoa jogando videogame À frente de TV

Tokens de jogos desabam junto com queda do Bitcoin antes do halving

Tokens importantes como Gala Games, Pixels, Portal e Xai caíram 30% ou mais na semana passada, com alguns estabelecendo novas mínimas
Imagem da matéria: Coleção de NFTs Bored Ape atinge o preço mais baixo desde 2021

Coleção de NFTs Bored Ape atinge o preço mais baixo desde 2021

O preço mínimo dos NFTs Bored Ape caiu para 10,9 Ether (cerca de US$ 34.000) um valor 90% abaixo do que valia em abril de 2022
Imagem da matéria: Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”

Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”

O jogador do Atlético Mineiro está desde o ano passado atrás dos valores investidos na WLJC Gestão Financeira através de Bigode