Lupa sobre a tela de um computador com logotipo da BInance
Shutterstock

A proximidade Binance com a falida concorrente FTX deu aos promotores federais dos EUA motivos para buscar novas informações em sua investigação de quatro anos sobre a maior exchange de criptomoedas do mundo.

Nos últimos meses, os investigadores americanos pediram a empresas financeiras que entregassem registros de comunicação com a Binance, de acordo com uma reportagem do jornal Washington Post publicada no último final de semana. O jornal cita duas fontes anônimas que analisaram as intimações.

Publicidade

A investigação envolve a equipe de lavagem de dinheiro do Departamento de Justiça, a Procuradoria dos EUA em Seattle e a Equipe Nacional de Fiscalização de Criptomoedas. Elas analisam se a Binance violou as leis de combate à lavagem de dinheiro e desrespeitou sanções impostas pelo governo americano a outros países como o Irã.

A própria investigação da Binance é anterior à criação da equipe cripto do Departamento de Justiça, que foi formada em 2021 e ganhou um novo diretor, Eun Young Choi, em fevereiro do ano passado.

“Como foi amplamente divulgado, os reguladores estão fazendo uma revisão abrangente de toda a indústria cripto sobre os mesmos problemas”, disse um porta-voz da Binance ao Decrypt.

“Esta indústria nascente cresceu rapidamente e a Binance demonstrou seu compromisso com a segurança e a conformidade por meio de grandes investimentos em nossa equipe, bem como nas ferramentas e tecnologias que usamos para detectar e impedir atividades ilícitas”, completou o porta-voz.

Publicidade

Os promotores do Departamento de Justiça dos EUA estão em desacordo sobre se as evidências já reunidas são suficientes para apresentar acusações contra os executivos da Binance, de acordo com a agência de notícias Reuters, incluindo o criador da companhia, Changpeng “CZ” Zhao.

Quatro fontes não identificadas familiarizadas com o assunto disseram à agência em dezembro que pelo menos alguns dos promotores envolvidos na investigação acham que o governo precisa continuar construindo seu caso antes que as acusações sejam apresentadas. Até agora, elas conseguiram o que queriam.

Binance contra a Reuters

A Binance criticou publicamente a Reuters no Twitter, dizendo que a reportagem de dezembro estava “atacando nossa incrível equipe de aplicação da lei” e vinculando o texto a uma postagem de Tigran Gambaryan, o chefe de inteligência e investigações da empresa.

No post, Gambaryan elogia o tratamento dado pela Binance a mais de 47 mil pedidos de aplicação da lei em 2022. “O peso do que fazemos acontece nos bastidores, escondido dos holofotes e raramente reconhecido pela mídia ou pelo público em geral”, escreveu ele.

Publicidade

Mesmo com a investigação dos EUA em andamento discreto, a Binance tem contratado para seu departamento de conformidade ex-investigadores federais como Gambaryan, falando publicamente sobre trabalhar com a polícia para encontrar hackers e congelar fundos roubados.

Binance e FTX

Embora as consequências do colapso da FTX pareçam ter despertado o interesse dos investigadores na empresa, CZ foi inflexível ao dizer que ele e sua empresa não causaram isso.

“A FTX caiu porque se apropriou indevidamente de ativos de usuários, e uma empresa saudável não seria destruída por um tweet”, afirmou ele de acordo com a tradução de um post no blog chinês da Binance. A postagem parece se referir ao tweet de Zhao em 6 de novembro, que anunciou que a empresa liquidaria seu estoque de tokens nativos da concorrente, o FTT.

“Liquidar nosso FTT é apenas gerenciamento de risco pós-saída, aprendendo com a LUNA”, escreveu ele no Twitter, faendo referência à principal cripotmoeda do derretido projeto Terra. “Já demos apoio antes, mas não vamos fingir que fazemos amor depois do divórcio.”

Investigação da CFTC

Enquanto isso, também há uma investigação separada em andamento pela Commodities Future Trading Commission (CFTC) sobre possível negociação com informações privilegiadas na Binance.

Publicidade

A notícia dessa investigação foi tornada pública pela primeira vez em 2021, mesmo ano em que a CFTC tentou determinar se a empresa havia dado aos comerciantes de derivativos dos EUA acesso direto à sua plataforma, em vez de seu braço com sede nos EUA, a Binance US.

Dado o andamento das coisas nos mercados de criptomoedas no ano passado, cada colapso intensifica o escrutínio sobre as empresas que ainda estão de pé.

*Traduzido com autorização do Decrypt

Já pensou em inserir o seu negócio na nova economia digital? Se você tem um projeto, você pode tokenizar. Clique aqui, inscreva-se no programa Tokenize Sua Ideia e entre para o universo da Web 3.0!

VOCÊ PODE GOSTAR
Pessoa inserindo chip no celular

Justiça manda TIM pagar R$ 21 mil a cliente que teve celular clonado e perda de criptomoedas

A partir da clonagem do celular, os invasores tiveram acesso ao email e posteriormente a uma carteira cripto na Binance
Bitcoin e grafico de mercado

Traders de Bitcoin miram US$ 74 mil já na próxima semana com nova onda de fluxo positivo para ETFs

Com ETFs registrando quatro dias seguidos de entradas e dados de inflação nos EUA abaixo do esperado, o Bitcoin já começou a retomar a alta e superou os US$ 66 mil
Logo da ftx, dólares e bitcoin

Analistas preveem alta no mercado cripto com ressarcimento bilionário a clientes da FTX

A FTX deve cerca de US$ 11 bilhões a credores, mas a massa falida conseguiu levantar mais de US$ 14 bilhões
Ilustração da memcoin em Solana Bonk

Como criar uma memecoin em Solana com a Pump.fun

Protocolo viralizou ao permitir a qualquer pessoa criar uma criptomoeda por cerca de R$ 15