Imagem da matéria: Tether emite US$ 600 milhões de USDT durante a alta do Bitcoin
Foto: Shutterstock

A Tether emitiu US$ 600 milhões de USDT na manhã desta segunda-feira (8), de acordo com o Whale Alert. O montante, que equivale a R$ 3,2 bilhões, foi expedido pela empresa ao mesmo tempo que o preço do Bitcoin (BTC) estava disparando.

No caso, o USDT é a stablecoin mais popular da atualidade. Ela possui o valor pareado ao dólar e aparece em terceiro na lista dos criptoativos mais valiosos do mercado, com uma capitalização total de R$ 154 bilhões, de acordo com o CoinGecko.

Publicidade

A emissão de tantos USDT de uma só vez causa polêmica. Frequentemente, a empresa “imprime” novos USDT e gera suspeitas de que tem, por objetivo, inflacionar o preço do Bitcoin e das demais criptomoedas. Por conta das ações da companhia, a Procuradoria de Nova York (EUA) investiga a Tether desde 2019. Na teoria, no entanto, a empresa alega que as novas emissões são lastreadas em novos depósitos de dólares, que ela mantém a custódia.

Tether imprime novos USDT em meio a polêmicas

A criação de novos USDT pode causar um efeito semelhante aquele provocado pela política monetária do Banco Central dos EUA (Fed). Especialistas acusam o Fed de inflacionar o preço do Bitcoin e do mercado de ações, ao imprimir dinheiro de forma desenfreada. O mesmo acontece com o USDT; a diferença é que a Tether emite USDT de forma autônoma, sem regulamentação ou restrições significativas das autoridades americanas.

As suspeitas em torno da manipulação de mercado, por parte da Tether, vêm desde o rali de 2018 do Bitcoin , de acordo com o Wall Street Journal. Naquela época, o Departamento de Justiça dos EUA investigou a responsabilidade da empresa pela disparada no preço da criptomoeda. Agora, nesse novo rali, a questão volta à tona.

A criação dos U$ 600 milhões em USDT coincide com a disparada do Bitcoin, que acaba de atingir o seu maior valor da história. Isso pode levantar suspeitas, por parte das autoridades americanas, a respeito das razões que levaram a Tether a emitir as stablecoins durante o mercado de alta.

Publicidade

Em 2018, a corretora Bitfinex – empresa-irmã da Tether – foi acusada de sumir com US$ 750 milhões (R$ 4 bilhões) em criptoativos dos seus clientes. Na época, a exchange emprestou essa mesma quantia da Tether para cobrir o prejuízo. Apenas agora, em 2021, a Bitfinex terminou de pagar o empréstimo, de acordo com o Portal Decrypt.

No mais, os detalhes técnicos da emissão estão disponíveis na blockchain do Tron.

Talvez você queira ler
Smartphone com logo da Binance sob uma mesa de vidro

Binance remove mais 10 pares com BUSD e apressa clientes: “Convertam os ativos antes de fevereiro”

Trading bots para pares com Ethereum Classic (ETC), Aptos (APT), entre outros, também serão encerrados nesta semana
Nascer do sol atrás de uma cidade

Lá vem o SOL: Solana atinge outro recorde anual

Céu ensolarado para Solana? A previsão parece assim por enquanto
Imagem da matéria: Veja 12 criptomoedas “baratas” para comprar nesta Black Friday

Veja 12 criptomoedas “baratas” para comprar nesta Black Friday

O Portal do Bitcoin conversou com analistas para identificar quais criptomoedas representam boas oportunidades de investimento neste momento
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum retomam alta; Comissão do Senado aprova imposto de criptomoedas

Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum retomam alta; Comissão do Senado aprova imposto de criptomoedas

O CAE do Senado aprovou na quarta-feira o projeto de lei que altera a cobrança de impostos em investimentos no exterior; texto ainda precisa passar por votação no plenário