homem tela computador serviço secreto
Foto: Shutterstock

O Serviço Secreto dos EUA (USSS), agência federal responsável por conduzir investigações criminais secretas e proteger figuras políticas, apreendeu cerca de R$ 1,5 milhão em criptomoedas mantidas nas contas de dois clientes da Binance.

Um relatório divulgado nesta segunda-feira (5) mostra que um dos alvos da apreensão, identificado como Srunchhay Kov, teve 200.352 USDT confiscados na corretora no dia 7 de outubro, na Califórnia (EUA).

Publicidade

Além de valores na stablecoin pareada ao dólar americano equivalente a US$ 200.079 no momento da apreensão, Kov também perdeu 3.260.631.664 Shiba Inu (SHIB), cerca de US$ 29,4 mil.

O usuário também teve apreendido US$ 20,3 mil em Filecoin (FIL); US$ 5 mil em iExec RLC (RLC); US$ 1,4 mil em Cardano (ADA); e US$ 97 em Binance USD (BUSD).

O Serviço Secreto dos EUA também mirou um segundo cliente da Binance chamado Usman Olajide Akinsola. 

Da conta dele, foram 1.9 Bitcoin (BTC) apreendidos em maio deste ano, avaliados em US$ 43 mil na cotação da época. Ele também perdeu naquele mesmo dia 1.21 Ethereum (ETH), equivalente a US$ 1,4 mil no momento da apreensão.

No total, o Serviço Secreto dos EUA apreendeu desses dois clientes da Binance US$ 300.676 em criptomoedas, cerca de R$ 1,5 milhão.

Publicidade

Razões do serviço secreto

As razões que levaram as autoridades a fazer essas apreensões ainda não foram divulgadas. No relatório que tornou os valores públicos, a agência diz que a ação cumpre as leis de confisco civil (Título 18, U.S.C., Seção 981) que a permite apreender qualquer bem/produto/valor obtido de uma atividade criminal.

No caso das criptomoedas, a apreensão de valores por governos geralmente são de ativos usados na lavagem de dinheiro e, nos EUA, por pessoas de países sancionados.

Na última quarta-feira (30), as autoridades americanas deflagraram a operação Crypto Runner, conduzida pelo Serviço Secreto e Departamento de Justiça (DOJ), para processar 21 cidadãos dos EUA que supostamente ajudaram criminosos transnacionais a lavar seus ganhos ilícitos usando criptomoedas. 

A nota divulgada naquele dia diz que a ação “interrompeu mais de US$ 300 milhões em transações anuais de lavagem de dinheiro, apreendeu e confiscou milhões em dinheiro e criptomoedas e identificou milhares de vítimas”.

Publicidade

Procurando uma corretora segura que não congele seus saques? No Mercado Bitcoin, você tem segurança e controle sobre seus ativos. Faça como nossos 3,8 milhões de clientes e abra já sua conta!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Bitcoin sobe mais de 3% após dado de inflação dos EUA cair em abril

Bitcoin sobe mais de 3% após dado de inflação dos EUA cair em abril

Bitcoin, Ethereum e outras criptomoedas sobem nesta quarta-feira após o relatório do CPI dos EUA mostrar que os preços subiram mais lentamente que o esperado
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Banco Central anuncia próximos passos da regulamentação do mercado cripto no Brasil

Sem definir datas, BC diz que irá fazer mais uma consulta pública no segundo semestre e um planejamento interno sobre stablecoins
Imagem da matéria: Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Depois que 5 bilhões de tokens GALA foram cunhados e roubados na segunda-feira, a Gala Games recuperou parte dos fundos em ETH – e ainda está descobrindo o resto
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”