Imagem da matéria: "Se eu fosse regulador, estaria me armando para lidar com o bitcoin", diz ex-CEO do Goldman Sachs
Lloyd Blankfein, ex-CEO do Goldman Sachs (Foto: Stuart Isett/Fortune Most Powerful Women Summit)

O banqueiro Lloyd Blankfein, ex-CEO do Goldman Sachs, criticou o Bitcoin (BTC) em uma entrevista à CNBC exibida pelo canal na segunda-feira (25). De acordo com ele, a criptomoeda será minada pela regulamentação dos governos.

Blankfein acredita que o Bitcoin não tem utilidade como um meio de pagamentos convencional. Para ele, o fato do preço do bitcoin poder se oscilar 10% num único dia pesa contra o seu uso no dia a dia.

Publicidade

Outro ponto criticado pelo banqueiro foi a impossibilidade de recuperar os fundos de criptomoedas na hipótese da perda da senha ou da chave privada.

“Se eu fosse um regulador, eu estaria ‘hiperventilando’ com o sucesso atual do Bitcoin e estaria me armando para lidar com isso”; essa é a maneira como Blankfein descreve a situação do BTC.

O banqueiro foi além, ao criticar a suposta falta de transparência da moeda: “Você não sabe se está pagando os norte-coreanos, a Al-Qaeda ou a Guarda Revolucionária do Irã”. Tudo isso motiva, na visão dele, uma regulamentação estrita por parte dos governos.

Por outro lado, o entrevistado afirmou que o Bitcoin pode funcionar, caso vença todos os obstáculos citados por ele.

Regulação e Bitcoin

A declaração de Blankfein vai no mesmo sentido da opinião de Kenneth Rogoff, ex-economista-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Recentemente, Rogoff alegou que os governos vão barrar as criptomoedas. Também houve uma manifestação semelhante de Ray Dalio, que é gestor do fundo de investimentos Bridgewater.

Publicidade

O Goldman Sachs, por sua vez, possui uma visão ambivalente sobre os criptoativos. Na metade de 2020, o banco revelou planos para criar a sua própria criptomoeda. Contudo, a instituição se manifestou contra o investimento em Bitcoin alguns meses antes disso.

You May Also Like
Moeda dourada de Bitcoin (BTC) próxima a uma seta que indica uma alta nos preços

Qual é o preço real que o Bitcoin deve atingir para superar seu recorde histórico de US$ 69 mil?

Um único Bitcoin não compra o que costumava comprar. Veja como o ativo se comporta quando comparado à inflação na economia dos EUA
Imagem da matéria: PEPE salta 36%, enquanto BONK e Dogwifhat também registram ganhos de dois dígitos

PEPE salta 36%, enquanto BONK e Dogwifhat também registram ganhos de dois dígitos

A capitalização de mercado da memecoin Pepe voltou a ultrapassar US$ 900 milhões pela primeira vez desde maio de 2023
Imagem da matéria: Honduras proíbe cripto em bancos, contrariando tendências regionais do Bitcoin

Honduras proíbe cripto em bancos, contrariando tendências regionais do Bitcoin

A América Latina é mais favorável às criptomoedas do que a maioria das regiões, mas Honduras as excluiu — e derivativos como ETFs também
Casa Rosada, sede oficial do poder executivo do governo da Argentina

Argentina corre para regulamentar corretoras de criptomoedas antes de visita do GAFI, diz imprensa

O cadastro de exchanges está entre as principais modificações propostas pelo GAFI para a Argentina, que receberá a organização no próximo dia 6