O russo Sergey Cherkasov que se passou por Victor Ferreira
O russo Sergey Cherkasov que se passou por Victor Ferreira (Foto: Reprodução)

Há exatamente um ano, o russo Sergey Vladimirovich Cherkasov foi preso pela Polícia Federal no Aeroporto de Guarulhos portando documentos falsos com o falso nome brasileiro Victor Müller Ferreira.

Após perícia em seus dispositivos móveis, soube-se que ele poderia ser um espião comandado pela Agência de Inteligência da Rússia (GRU) e que ele também era ‘bancado’ por uma rede de apoio no Brasil criada pela instituição, com transferências de dinheiro e Bitcoin. As informações são de uma reportagem do jornal O Globo publicada nesta segunda-feira (03).

Publicidade

Segundo o jornal, os fundos que Cherkasov recebia — geralmente fracionados —, visavam apoiar a suas ações de espionagem e ocultação para transitar no país e em outras partes do mundo. Seu objetivo seria tentar se infiltrar no Tribunal Penal Internacional, em Haia.

E-mails trocados com pessoas na Rússia, vistos pela PF, reforçam a suspeita de atividade junto ao país comandado por Vladimir Putin. Enquanto rodava pelo mundo – em uma pós-graduação nos EUA, por exemplo – ele recebia depósitos na Irlanda e em uma agência bancária do Rio de Janeiro e movimentava altos valores em corretoras de criptomoedas.

Quando questionado por agentes do FBI no exterior, acrescenta o jornal, ele alegava que seu patrimônio era fruto de negociações de Bitcoin. Ele chegou a comprar um automóvel e uma casa de R$ 190 mil em Cotia, cidade do interior de São Paulo, depois de conseguir subornar um funcionário de um cartório com um colar de joias, avaliado em R$ 2,2 mil. Cherkasov chegava a movimentar cerca de US$ 100 mil quando precisava. 

Discrição

Ao ser preso, recebeu a visita de um representante do consulado russo e em seguida assumiu perante um juiz sua verdadeira identidade. No início deste ano, descreve o jornal, o russo foi transferido para um presídio de segurança máxima em Brasília, resultado de uma condenação de 15 anos de prisão por uso de documentos falsos.

Publicidade

A embaixada russa pediu então sua extradição, alegando que ele não era um espião, mas sim um traficante de heroína.

A solicitação foi dirigida ao então ministro da Justiça, Anderson Torres, que encaminhou o caso ao Supremo Tribunal Federal (STF). O futuro do russo agora está nas mãos do ministro Edson Fachin.

O jornal conclui afirmando que a prisão de Cherkasov foi tratada pelo governo Bolsonaro e pela PF com discrição máxima para evitar conflito com a Rússia em meio à Guerra da Ucrânia, já que os russos são fornecedores de fertilizantes para o setor agro do Brasil.

VOCÊ PODE GOSTAR
Fachada da GameStop em Tyler no Texas

Memecoin da rede Solana com tema GameStop sobe 1.900% e desperta febre do GME

A memecoin GME decolou na segunda-feira (13), entregando retornos consideráveis, superando os das ações da GameStop
Imagem da matéria: Volume de negociação de 'Notcoin' ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Volume de negociação de ‘Notcoin’ ultrapassa US$ 1 bilhão no maior airdrop de jogos de 2024

Jogo Notcoin, baseado no Telegram, lançou mais de 80 bilhões de tokens para cerca de 35 milhões de jogadores em um airdrop
Imagem da matéria: Memecoin que usa nome de Trump rouba R$ 410 mil de investidores

Memecoin que usa nome de Trump rouba R$ 410 mil de investidores

Endereço despejou uma enorme quantidade do token TrumpAI, recebeu R$ 410 mil em WETH e derrubou o preço em 100%
Imagem da matéria: MB estreia no ranking de Exchange Benchmark em 1º lugar no Brasil

MB estreia no ranking de Exchange Benchmark em 1º lugar no Brasil

O relatório semestral, realizado pela CCData, é considerado uma estrutura robusta para classificar a atuação de exchanges do Brasil e do mundo