Francisley Valdevino da Silva, apelidado de “Sheik das criptomoedas”
Sheik das criptomoedas em festa à fantasia (Foto: Reprodução)

A Polícia Federal do Paraná indiciou nesta segunda-feira (12) seis pessoas acusadas de lesar milhares de investidores brasileiros por meio da Rental Coins, a pirâmide financeira com criptomoedas de Francisley Valdevino da Silva, o conhecido “Sheik das Criptomoedas”.

Fancisley é um dos indiciados pela PF nesta fase que representa a conclusão das investigações da Operação Poyais, que derrubou a Rental Coins e, posteriormente, prendeu o líder da pirâmide.

Publicidade

Em nota à imprensa, a PF aponta que o “Sheik” vai responder pelos crimes de constituição de organização criminosa, estelionato, obtenção de ganhos ilícitos em detrimento de número indeterminado de pessoas mediante processos fraudulentos, lavagem internacional de dinheiro e oferecimento de valores mobiliários sem registro.

Com o fim do processo investigativo pela PF, o Ministério Público Federal passa a analisar as provas produzidas e o eventual oferecimento de denúncia para que só então inicie a ação penal contra os investigados.

Leia também: Sheik das Criptomoedas: conheça a trajetória do cuidador de pets que virou líder da pirâmide financeira Rental Coins

Prejuízo de US$ 1 bilhão

A PF apurou durante a investigação que o prejuízo causado pela organização criminosa por trás da Rental Coins pode ter sido de R$ 583,9 milhões até R$ 1,15 bilhão.

Publicidade

“Existiu uma organização criminosa com atuação nacional e internacional que, de forma estruturada e com divisão de tarefas, promoveu a prática de fraudes no Brasil e no exterior mediante diversas plataformas virtuais e empresas relacionadas a criptoativos e marketing multinível, corriqueiramente envolvendo captação de recursos com oferecimento de pagamentos de rendimentos superiores ao usualmente encontrados no mercado”, diz trecho da nota da PF.

As autoridades foram capazes de comprovar durante a investigação que nunca houve rentabilização dos recursos das vítimas. Ou seja, os piramideiros captavam o dinheiro e, ao invés de aplicar no trade de criptomoedas como prometido, o valor era desviado.

“Tão logo os valores ingressavam nas contas e carteiras de criptoativos do grupo criminoso, deles imediatamente se apropriavam os indiciados, utilizando um pequeno percentual dos recursos para pagamento mensal das vítimas e gastando o restante conforme seus interesses particulares”, explica a PF.

A Polícia Federal conseguiu as provas por meio da análise de materiais obtidos ao longo da fase sigilosa da investigação, além dos equipamentos eletrônicos e documentos apreendidos com os investigados durante a Operação Poyais. 

Publicidade

“Foram ainda realizadas diversas oitivas de testemunhas, ex-funcionários, vítimas e pessoas com informações relevantes à apuração dos crimes. A todos os investigados também foi oportunizado apresentarem suas versões dos fatos”, acrescenta a PF.

Participe da comunidade de criptomoedas que mais cresce no Brasil. Clique aqui e venha conversar no Discord com os principais especialistas do país.

VOCÊ PODE GOSTAR
Bandeira da Argentina com moeda de Bitoin do lado

Argentina se reúne com autoridades de El Salvador para discutir adoção de Bitcoin

Há cerca de três anos, El Salvador se tornou o primeiro país do mundo a incorporar o Bitcoin, junto com o dólar, como moeda oficial
Imagem da matéria: Gnosis (GNO) dispara 20% após lançamento de plano para reviver o token

Gnosis (GNO) dispara 20% após lançamento de plano para reviver o token

Um programa de crescimento com aporte milionário de fundo cripto está sendo votado neste momento pelos usuários do GNO
moedas de Bitcoin, Solana e Ethereum emparelhadas - ao fundo gráfico de mercado

Solana será a próxima criptomoeda a ganhar um ETF? Especialistas respondem

Veja também se Dogecoin, Toncoin e outras criptomoedas poderão futuramente estrear no mercado financeiro tradicional como o Bitcoin e o Ethereum
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin recua para US$ 61 mil enquanto GameStop agita mercado e faz memecoin subir 363% 

Manhã Cripto: Bitcoin recua para US$ 61 mil enquanto GameStop agita mercado e faz memecoin subir 363% 

A volta do hype da GameStop desencadeou a criação de milhares de memecoins – uma delas saltou 1.900% na tarde passada