Bandeira da Inglaterra
Shutterstock

À medida que autoridades globais continuam se esforçando para entender como regulamentar criptomoedas, a Comissão de Direito do Reino Unido propôs mudanças para esclarecer a forma como leis sobre propriedade se aplicam a ativos digitais na Inglaterra e no País de Gales.

A comissão que existe há 57 anos alega que ativos digitais, como “criptotokens” e tokens não fungíveis (ou NFTs, na sigla em inglês) — que são tokens exclusivos e desenvolvidos em blockchain que representam propriedade — têm um papel cada vez mais importante na sociedade moderna.

Publicidade

“Ativos digitais, como NFTs e outro ‘criptotokens’ evoluíram e proliferaram a uma velocidade maior, então é vital que nossas leis sejam adaptáveis o suficiente para conseguirem acomodá-los”, explicou a professora Sarah Green, a comissariada de Comércio e “Common Law” — o sistema jurídico da Inglaterra —, em um comunicado.

De acordo com uma publicação da Comissão de Direito, o governo britânico encarregou o órgão de revisar a lei para garantir que esta possa abranger ativos digitais conforme continuam evoluindo e se expandindo como reservas de valor, formas de pagamento, investimentos ou títulos de dívida.

Para fortalecer essa abordagem, a agência sugere reconhecer uma nova categoria de propriedade pessoal chamada “objetos de dados”.

“Concluímos, provisoriamente, que criptotokens correspondem ao nosso critério proposto de objetos de dados e são objetos adequados de direitos de propriedade”, explicou a comissão.

Dentre as consequências dessa classificação está a possibilidade de conceder adjudicações ou multas com criptomoedas.

“Concluímos, provisoriamente, que existe uma situação discutível para uma reforma legislativa e fornecer ao tribunal o poder de obter uma medida judicial (geralmente denominada em dinheiro) denominada em determinados criptotokens em determinados casos.”

Publicidade

A comissão afirma que novas propostas visam apresentar um maior reconhecimento e mais proteções jurídicas para ativos digitais, permitindo que uma ampla variedade de pessoas e empresas interajam on-line e se beneficiem com esses elementos.

“Embora a lei da Inglaterra e de Gales tenha avançado para contemplar o surgimento de novas tecnologias, a comissão alega que existem diversos novos setores que precisam de uma reforma legislativa, para reconhecer e proteger o direito dos usuários e maximizar o potencial dos ativos digitais”, afirmou.

Como a lei se aplica ao mundo das criptomoedas?

A comissão agora busca por feedback de especialistas em tecnologia e usuários para ajudá-la a avaliar como leis existentes de propriedade móvel se aplicam a cripto, afirmando que a natureza não tangível de ativos digitais é o motivo pelo qual muitos não se encaixam nas definições atuais de leis de propriedade privada.

A nova proposta reconhece explicitamente “objetos de dados” como uma categoria de propriedade móvel pela lei, opções de como o governo pode desenvolver essa propriedade específica, a lei em relação à propriedade e ao controle e a lei em relação a transferências e transações envolvendo ativos digitais.

Publicidade

“É importante que foquemos no desenvolvimento das bases jurídicas de direito para apoiar essas tecnologias em ascensão, em vez de nos apressarmos e impor estruturas que podem prejudicar seu desenvolvimento”, continuou Green. “Ao esclarecer a lei, a Inglaterra e Gales podem colher os possíveis benefícios e se posicionar como um núcleo global para ativos digitais.”

Em um caso isolado, um tribunal britânico decidiu que pessoas e entidades agora podem intimar documentos jurídicos via NFTs, demonstrando uma iniciativa em aderir à tecnologia blockchain.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

Quer negociar mais de 200 ativos digitais na maior exchange da América Latina? Conheça o Mercado Bitcoin! Com 3,8 milhões de clientes, a plataforma do MB já movimentou mais de R$ 50 bilhões em trade in. Crie sua conta grátis!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Pavel Durov detém 1% do maior token de jogo deste ano, doado pelos jogadores. E ele não está vendendo seus Notcoin – não agora, pelo menos
Antônio Ais posa para foto ao lado de carro

Criador da Braiscompany, Antônio Neto Ais é solto na Argentina

O benefício de prisão domiciliar valerá até que o processo de extradição para Brasil seja resolvido
Imagem da matéria: Gnosis (GNO) dispara 20% após lançamento de plano para reviver o token

Gnosis (GNO) dispara 20% após lançamento de plano para reviver o token

Um programa de crescimento com aporte milionário de fundo cripto está sendo votado neste momento pelos usuários do GNO
Imagem da matéria: EUA acusam  2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

EUA acusam 2 chineses de lavarem US$ 73 milhões em esquema com criptomoedas

O Departamento de Justiça acusou Daren Li e Yicheng Zhang de orquestrar um esquema com criptomoedas de “abate de porcos”