Imagem da matéria: Reguladores ameaçam processar corretora Coinbase e CEO se revolta: “Intimidação"
Foto: Shutterstock

A maior exchange de criptomoedas dos EUA, Coinbase, se tornou o novo alvo da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês).

O CEO da empresa, Brian Armstrong, revelou em uma série de tweets na manhã desta quarta (8) que os reguladores ameaçaram processar a exchange se ela continuasse com os planos de oferecer rendimentos aos usuários por meio da sua plataforma de empréstimos.

Publicidade

A SEC interpretou que a oferta desses serviços infringe as leis de valores mobiliários dos EUA, o que espantou o empresário, já que diversas outras empresas do setor têm oferecido versões desses serviços há anos sem enfrentar problemas com os reguladores. 

“Milhões de detentores de criptomoedas têm obtido rendimento com seus ativos nos últimos anos. Faz sentido, se você quiser emprestar seus fundos, você pode obter um retorno. Todo mundo parece feliz”, escreveu Armstrong, que planejava lançar empréstimos de USDC na plataforma nas próximas semanas.

“Eles se recusam a nos dizer por que acham que é um valor mobiliário e, em vez disso, nos intimam um monte de registros (nós cumprimos), exigem o testemunho de nossos funcionários (nós cumprimos) e, em seguida, nos dizem que vão nos processar se continuarmos para lançar, sem nenhuma explicação sobre o porquê”.

O comportamento dos reguladores parece ter enfurecido Armstrong que acusou a SEC de operar “táticas de intimidação à porta fechada” ao invés de orientar a indústria de forma clara.

Publicidade

“Estamos sendo ameaçados com uma ação legal antes que uma única orientação real seja dada à indústria sobre esses produtos. Se acabarmos em tribunal, poderemos finalmente obter a clareza regulatória que a SEC se recusa a fornecer. Mas a regulamentação por litígio deve ser o último recurso para a SEC, não o primeiro”, escreveu.

Na opinião do empresário, a medida da SEC vai prejudicar os consumidores mais do que protegê-los, bem como criar um “mercado injusto” ao impedir que a Coinbase lance um produto que outros concorrentes do setor já oferecem.

SEC de olho nas criptomoedas

Brian Armstrong recuperou falas do passado de Gary Gensler, o presidente da SEC, em que ele disse ser “importante para a SEC fornecer orientação e clareza”, para sinalizar que o contrário estava acontecendo.

No mês passado, Gensler voltou a defender a regulamentação do setor que na sua visão, era uma espécie de “Velho Oeste” que não oferece proteção suficiente para os investidores. 

Publicidade

“Se você não quiser essa atividade, simplesmente publique sua posição por escrito e aplique-a de maneira uniforme em todo o setor”, criticou Armstrong. Ele também apontou que logo após a Coinbase se tornar a primeira empresa de criptomoedas a abrir capital dos EUA, ele procurou os reguladores, mas a SEC foi o único órgão que se recusou a conversar. 

Desde o ano passado, a SEC processa a Ripple por sua suposta oferta ilegal da criptomoeda XRP. Já na semana passada, a principal exchange descentralizada do mercado, Uniswap, também passou a ser investigada pelos reguladores.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Nova York processa minerador de criptomoedas e exchange cripto por fraude de US$ 1 bilhão

Nova York processa minerador de criptomoedas e exchange cripto por fraude de US$ 1 bilhão

Autoridades acusam a exchange cripto NovaTech e a empresa de mineração AWS Mining de “envolvimento em esquemas de pirâmide ilegais”
moedas de bitcoin e letras ETF

Analista prevê que ETFs de Ethereum podem capturar até 20% dos fluxos de ETFs de Bitcoin

Performance, contudo, pode depender de como a SEC vai classificar o staking de ETH
Ilustração de moeda NOT dourada com logotipo do jogo Notcoin do Telegram

Manhã Cripto: Bitcoin entra em compasso de espera, mas Notcoin dispara 5%

Notcoin, um jogo Play-to-Earn no Telegram, anunciou que sua base total de jogadores agora é de 40 milhões
Imagem da matéria: Mercado Bitcoin celebra 11 anos com nova assinatura de marca

Mercado Bitcoin celebra 11 anos com nova assinatura de marca

Completando 11 anos, o MB introduz um novo posicionamento de marca, caracterizado por uma atualização na identidade visual