Imagem da matéria: Ports Trader bomba no YouTube, mas clientes pedem dinheiro de volta no Reclame Aqui
Trader Suriel Ports falando da atividade de day trade no Youtube (Imagem: Reprodução/Youtube)

*Correção: ao contrário do que foi inicialmente informado, Ports não usa nem divulga a corretora IQ Option. O texto foi corrigido.

Apesar de estar bombando em publicidade no YouTube, os cursos do trader gaúcho Suriel Ports, de 26 anos, não vêm agradando seus clientes. Conforme diversos relatos no Reclame Aqui, um dos maiores problemas está sendo conseguir o dinheiro de volta motivado pela baixa qualidade do produto, demora na entrega e falta de suporte.

Publicidade

Ports, que em alguns vídeos afirma ter vários anos no mercado financeiro e estar no hall da fama entre traders, vem sendo classificado como vendedor de curso. Nas propagandas, ele aparece aparecem fazendo trades com lucros imediatos para pagar atividades banais como um cafezinho ou um tênis em um loja.

Nas redes sociais, se apresenta como “Trader de Elite”. No Facebook, possui cerca de 200 mil seguidores; Instagram, 600 mil; e no seu principal canal, no YouTube, mais de 1 milhão.

Sua estratégia é conseguir o maior número de interessados em atuar no mercado financeiro por meio de uma campanha de marketing chamada ‘Imersão Trader de Elite’. Sua presença em anúncios nas redes sociais é tão forte que ele vem sendo comparado com a Empiricus.

Contudo, operadores com tradição no mercado acreditam que Ports seja uma farsa:

“O cara do cafezinho [Ports] não é transparente quando induz as pessoas a acreditarem que dá para ganhar dinheiro no mercado de maneira tão fácil. Ele não expõe os riscos do negócio. Ganha dinheiro vendendo curso”, disse o sócio da Nord Research Renato Breia ao Portal do Bitcoin.

Publicidade

Nas últimas semanas, Breia vem denunciando traders vendedores de cursos e de operadores de opções binárias em seu perfil no Twitter: “Você clica em um perfil e vê todos. É carrão, relojão e dinheiro em cima da mesa”.

Para ele, o ponto mais fácil de identificar que se trata de um esquema é que os supostos traders colocam apenas os ganhos, nunca mostram os riscos e também não mostram o quando perdem.

Ports trader no Reclame Aqui

Os cursos de Ports são vendidos em diversos locais e por diversos preços. No site Sniper Cursos, por exemplo, o ‘Curso Trader de Elite’ é vendido a R$ 99. No Mercado Livre tem até por R$ 49. Um relato no Reclame Aqui mostra um cliente que comprou um serviço de mentoria por cerca de R$ 400. Outro, um curso por R$ 2.300.

Reprodução/Reclame Aqui

No Reclame Aqui, um dos maiores problemas relatados é a dificuldade no reembolso para quem se arrependeu da compra — um direito do consumidor. Outras relatos falam da demora na entrega dos conteúdos e até mesmo de áudios ruins.

Publicidade

Um cliente de Adamantina (SP), por exemplo, alega que comprou o curso do Ports, mas liberaram somente a plataforma, os conteúdos não. Quando o material completo foi liberado, já havia esgotado o prazo limite para pedir o dinheiro de volta. “Depois de 29 dias vi que estava sendo enganado”, escreveu.

Um cliente de Aparecida (SP) está há vários dias reclamando, porque uma atendente disse que, para ele ser atendido na ‘Ouvidoria do Ports’, não poderia ter reclamações em órgãos de defesa do consumidor.

Cassiano Kishimoto, cliente de Cabo Frio (RJ), disse que quando adquiriu o curso “parecia ser extremamente interessante e de grande valor”. No entanto, concluiu, foi “insatisfação total”.

O aluno relatou que não pôde operar numa conta real e que não recebeu o prometido livro “Manual do Trade”. Disse também que a tal mentoria oferecida por Ports, chamada ‘Diário de Trader’ não passa de trocas de email.

Conforme detalhou em outro ponto, o conteúdo dos vídeos são antigos, curtos e com péssima qualidade de áudio.

“Tem vídeo de menos de 1 minuto”, disse ele, acrescentando que “é fácil você fazer um vídeo de uma hora, cortar em 20 partes e dizer que são vinte aulas”.

Publicidade

Apesar da empresa ter uma avaliação positiva no Reclame Aqui — nota 7,1 de 10, pelo fato de responder às queixas— não significa que os problemas estão sendo resolvidos.

Isso porque a maioria das respostas são genéricas, que pedem para o cliente entrar em contato pelos canais oficiais.

Onipresente

Suriel Ports reside atualmente na Barra da Tijuca (RJ), mas ‘mora’ também nas redes sociais. Pelo menos é a sensação que diversos usuários têm tido ultimamente.

“Todo vídeo que a gente vai assistir o cara tá lá, velho. Eu vejo mais o Suriel do que minha mãe, cara”, é um exemplo de comentário comum que acompanha as redes de Ports dada a quantidade de vezes que ele aparece nas publicidades do YouTube, no Facebook e no Instagram.

Reprodução/Instagram

No Instagram, o usuário ‘ber_kleinum’ apelou:

“Se comprar teu curso as propagandas vão parar????? Pelo amor não aguento mais ver tua cara no YouTube”.

No Facebook, vem sendo chamado de onipresente e de “pior que a Betina”, uma referência à garota-propaganda da Empiricus.

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com o logo da CVM e notebook aberto no site da Comissãod e Valores Mobiliários

CVM reconhece ativo de blockchain como token de pagamento

Dynasty Global AG recebeu na última semana a classificação do D¥N como um token de pagamento pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
Bitcoin e grafico de mercado

Traders de Bitcoin miram US$ 74 mil já na próxima semana com nova onda de fluxo positivo para ETFs

Com ETFs registrando quatro dias seguidos de entradas e dados de inflação nos EUA abaixo do esperado, o Bitcoin já começou a retomar a alta e superou os US$ 66 mil
Imagem da matéria: Entendendo as tecnologias por trás da tokenização de ativos | Opinião

Entendendo as tecnologias por trás da tokenização de ativos | Opinião

Apesar de chamara cada vez mais atenção, muitas pessoas ainda não sabem o que é a tokenização de ativos e como ela funciona
Cristiano Ronaldo veste camisa da Binance

Cristiano Ronaldo lança nova coleção de NFTs enquanto é alvo de processo de US$ 1 bilhão com a Binance

O anúncio do jogador chega 27 dias depois de os EUA condenarem o criador da Binance, Changpeng “CZ” Zhao, a 4 meses de prisão