Imagem da matéria: Por que o Bitcoin subiu mais de 150% no primeiro semestre de 2019
Foto: Shutterstock

O ano de 2019 tem sido bom para o Bitcoin, que acumulou alta de 150% no primeiro semestre, rompendo a barreira dos US$ 10 mil e superando a marca dos US$ 11 mil. De acordo com especialistas, dentre os motivos para essa alta está o interesse de investidores institucionais nas criptomoedas.

Marcel Pechman, analista e cofundador do Radar BTC, afirma que o projeto Quorum da Microsoft em parceria com o JP Morgan, bem como a confirmação da mesa de negociações de Bitcoin para clientes da gigante Fidelity ambos ocorridos em maio desse ano resultaram nessa alavancagem das criptomoedas.

Publicidade

Pechman também atribui a essa alta “o anúncio dos testes da Flexa/Spedn oferecendo pagamento via criptomoedas nas gigantes varejistas Barnes & Noble, Office Depot e Whole Foods em 13 de maio”.

Para ele, essa subida do bitcoin é também efeito do “aporte de US$ 182 milhões na Bakkt” que ocorreu em dezembro do ano passado.

“O fato é que diversos projetos de cripto estão ganhando corpo contando com investimentos de empresas tradicionais da área de finanças, tecnologia e varejo. Tornou-se indiscutível o sucesso das criptomoedas”.

Bitcoin em alta

Para Richard Rytenband, fundador da Convex Research, o que está ocorrendo há meses é “a transição de um grande mercado de baixa para um grande mercado de alta”.

Publicidade

Na visão de Rytenband não há como determinar precisamente uma causa para a alta.

“Em sistemas complexos, que é o caso das criptomoedas não temos, como determinar com precisão as relações de causa-efeito. Há opacidade, diante de tantas possibilidades e suas interações”.

Pechman concorda. Para ele o que há é “um conjunto de coisas que vem acontecendo há 6 meses” e devido a isso, a alta tem sido continua e robusta.

“Se fosse uma única notícia, subia 40% e depois teria um ajuste, mas não é o caso”.

Correção x halving do Bitcoin

Nesse ponto, entretanto, é que surge a divergência. Para Rytenband haverá uma correção em breve.

“Os preços se descolaram dos fundamentos de curto prazo, portanto uma correção é uma mera questão de tempo. No médio prazo, as perspectivas permanecem positivas, sem sinais de mudança”.

Mati Greenspan, analista sênior da eToro, chegou a afirmar que entre os principais fatores responsáveis está o halving, que acontecerá na rede do bitcoin em meados de 2020.

Publicidade

Essa expectativa com a sequência da alta de preços e os chamados rompimentos tem criado o fenômeno conhecido como FOMO (sigla em inglês para a expressão Medo de perder uma oportunidade).

Rytenband explica que essa sequência da alta nos preços e a crença de que isso continuará a suceder, em termos técnicos é o chamado de efeito José.

“Isso seria uma espécie de inércia dos preços, uma quase tendência que o matemático Benoit Mandelbrot, pai de geometria fractal e grande estudioso de flutuações de preços de ativos cunhou de Efeito José”.

Sob o ponto de vista de Pechman, o FOMO ainda não ocorreu e ele depende da vinda de uma correção.

“O mercado ainda tá na fase de esperança de que vai cair para US$8 mil ou US$ 9mil. Se não vier a correção, aí começa o FOMO”.

Publicidade

Pechman diz que o mercado e analistas sempre exageram e concorda com Rytenban sobre a inércia dos preços.

“Após 3 meses de alta acham que vai subir mais e após esse mesmo período de queda, acham que vai cair mais. É sempre assim e com qualquer ativo”.

Sem relação com a Libra

Rytenband descarta qualquer relação da alta dos bitcoins com a notícia da criação da criptomoeda do facebook, a Libra pois “não há qualquer concorrência com o Bitcoin, por diversos motivos, começando pela própria estrutura que não é descentralizada”.

Ele, no entanto, aponta que com a chegada da Libra vai se reacender “o debate em relação a emissão de moedas privadas e o monopólio monetário estatal”, o que ao seu ver é algo positivo para o Bitcoin à médio prazo.


Compre criptomoedas na 3xBit

Inovação e segurança. Troque suas criptomoedas na corretora que mais inova do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://3xbit.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
bitcoin e ethereum em grafico vermelho de queda

Bitcoin e Ethereum passam a cair e provocam liquidações de US$ 150 milhões

Tanto o Bitcoin quanto o Ethereum despencaram na manhã de sexta-feira (10), provocando uma onda de liquidação de longo prazo
Criador do Twitter e da Square, Jack Dorsey em palestra no TED

Preço do Bitcoin atingirá US$ 1 milhão até 2030, diz Jack Dorsey

Em uma entrevista recente, o cofundador do Twitter e da Block argumentou que o Bitcoin poderia atingir US$ 1 milhão e ir “além” no futuro
Imagem da matéria: '101 Perguntas sobre Bitcoin': Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

‘101 Perguntas sobre Bitcoin’: Editora Portal do Bitcoin lança livro sobre a criptomoeda mais famosa do mundo

A obra discorre os princípios técnicos da moeda até suas implicações socioeconômicas no contexto atual, de modo a proporcionar um entendimento profundo ao público geral
Imagem da matéria: Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

“Parte técnica você descreve como funciona e acabou. Nas vacas sagradas leva um bom tanto de desconstrução de conceitos”, diz Breno Brito