Pessoas em fila com caixas de papelão nas mãos
Foto: Shutterstock

A Polygon Labs, empresa de blockchain fornecedora de infraestruturas Web3 e emissora do token MATIC, anunciou nesta terça-feira (21) que irá reduzir 20% de sua equipe de funcionários. Segundo a empresa, que tem sede em Santa Mônica, na Califórnia (EUA), as demissões vão impactar várias equipes e pelo menos 100 pessoas.

A notícia pode ter impactado o preço da MATIC, que entrou em queda nesta manhã de terça. No momento da escrita, o token desvaloriza cerca de 5,2%. A Polygon é a 9ª criptomoeda mais valiosa, com um mercado avaliado em US$ 12 bilhões, segundo informações do site Coinmarketcap.

Publicidade

De acordo com o comunicado publicado em seu blog oficial, a empresa afirma estar sólida financeiramente, mas não explica o motivo das demissões, afirmando apenas que a ação faz parte do processo que consolidou várias unidades neste ano de 2023. No perfil da Polygon Labs no LinkedIn, a informação é de que a empresa possui 624 funcionários.

“Esta foi uma decisão dolorosamente difícil, mas um passo necessário em nossa jornada”, escreveu os fundadores, que prometeram uma indenização de três salários para cada funcionário demitido, “independentemente de seu nível ou permanência na Polygon Labs”.

Acerca da saúde financeira da empresa, o comunicado descreve que o caixa da Polygon possui “um saldo de mais de US$ 250 milhões e mais de 1,9 bilhão de MATIC”.

A nota conclui: “Sabemos que isso não é difícil apenas para aqueles que estão saindo hoje, mas para todos nós que administraremos o Polygon Labs e o protocolo Polygon daqui para frente”.

Publicidade

Demissões no setor cripto

O ano de 2022 e início de 2023 não estão sendo marcados apenas pelo “inverno das criptomoedas”, mas também como períodos de demissões em massa no setor cripto que ocorriam à medida que o declínio dramático no valor das criptomoedas, juntamente com o aumento da inflação no mundo todo, impactava as empresas. Entre elas estão a Coinbase, Crypto.com, Gemini e Robinhood.

Os problemas econômicos globais também atingiram grandes empresas de tecnologia, como a gigante do setor de tecnologia, Microsoft, que há cerca de dez dias parece ter engavetado seu projeto de metaverso voltado para a indústria, criado há cerca de quatro meses. A equipe que trabalhava na iniciativa e contava com cerca de 100 pessoas também teria sido inteiramente demitida. 

Outras empresas fora do ramo cripto também demitiram boa parte de seus funcionários, como as brasileiras Me Poupe!, de Nathalia Arcuri, que demitiu 50% da equipe, e Quebrando o Tabu, que pode ter dispensado toda sua equipe, conforme apontam notícias recentes.

  • Clique aqui e acompanhe o Portal do Bitcoin no Google Notícias
VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração de baleia nadando com moeda de bitcoin em seu interior

Baleia de Bitcoin movimenta US$ 535 milhões após mais de 5 anos parada

Uma baleia não identificada transferiu 8.000 BTC para a Binance ontem – se vendida, renderia mais de meio bilhão de dólares em lucro
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin cai para US$ 63 mil em meio ao esfriamento dos ETFs 

Manhã Cripto: Bitcoin cai para US$ 63 mil em meio ao esfriamento dos ETFs 

ETFs de Bitcoin já perderam mais de US$ 900 milhões nesta semana — o pior desempenho desde abril
Fachada do MPDFT - Facebook

PM que atraía colegas de farda para pirâmide com criptomoedas é alvo do MP do DF

O policial militar e um grupo suspeito de pessoas e empresas teriam aplicado um golpe de R$ 4 milhões; alvos do MPDFT são do DF e GO
Donald Trump é fotografado em comício nos EUA

“Pharma Bro” afirma que filho de Donald Trump é o real dono da memecoin DJT

Após revelar seu envolvimento na criação da memecoin TrumpCoin (DJT), “Pharma Bro” agora diz que o filho do ex-presidente Donald Trump é o verdadeiro dono do token