Imagem da matéria: Polícia de Londres apreende US$ 250 milhões em criptomoedas em nova operação
Foto: Shutterstock

A polícia metropolitana de Londres, na Inglaterra, realizou no sábado (10) a maior apreensão de criptomoedas do país e a segunda em menos de um mês. Segundo a entidade, em nota nesta terça-feira (13), o montante em ativos virtuais apreendido perfaz cerca de US$ 250 milhões, que seriam usados na prática de lavagem de dinheiro.

A operação faz parte de uma investigação revelada no mês passado, quando o Comando de Crime Financeiro apreendeu cerca de US$ 160 milhões.

Publicidade

De acordo com o Met, como é chamada a polícia londrina, uma mulher de 39 anos, que havia sido presa durante a primeira operação, levou os agentes ao novo embargo de ativos. Ela ficou sob custódia até a ação da polícia e depois foi libertada sob fiança pelo menos até o final deste mês. Em ambas apreensões, o departamento de polícia não informou o nome das criptomoedas confiscadas.

“Nossa investigação tem sido complexa e abrangente. Trabalhamos muito para rastrear esse dinheiro e identificar a criminalidade à qual ele pode estar relacionado”, disse em comunicado Joe Ryanm um dos comandantes da operação. Segundo ele, essa nova apreensão significa outro marco na investigação, que deve continuar meses à medida que o órgão for identificando mais suspeitos de lavagem de dinheiro.

Para o vice-comissário assistente, Graham McNulty, o produto do crime é lavado de muitas maneiras diferentes, embora o dinheiro ainda seja o rei do mundo do crime.

McNulty ressaltou na nota da polícia que, apesar de as criptomoedas serem até a algum tempo atrás uma tecnologia desconhecida, a entidade já conta com oficiais altamente treinados e unidades especializadas. Segundo ele, os agentes trabalham duro para estarem sempre à frente dos atores que utilizam o setor para ganhos ilícitos.

Publicidade

“Os detetives trabalham incansável e meticulosamente para rastrear milhões de libras em criptomoedas suspeitas de estarem ligadas à criminalidade e que agora estão sendo ‘lavadas’ para esconder o rastro”, disse McNulty.  Ele concluiu que os maus atores estão trabalhando duro para esconder o dinheiro ilícito, mas que as investigações não vão parar por nada enquanto não forem identificados todos os envolvidos.

Após a apreensão de criptomoedas anterior, que ocorreu em meados do mês passado, o oficial McNulty enalteceu as ações da polícia londrina contra a lavagem de dinheiro, revelando que desmembramentos vêm ocorrendo desde o ano passado.

VOCÊ PODE GOSTAR
celular com logo GameStop com fundo azul

Ações da GameStop sobem 37% — mesmo enquanto Roaring Kitty permanece em silêncio

O aumento ocorreu depois que a GameStop ganhou quase US$ 1 bilhão vendendo suas próprias ações, conforme revelado durante a última saga de ações de memecoins
Imagem da matéria: Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Pavel Durov detém 1% do maior token de jogo deste ano, doado pelos jogadores. E ele não está vendendo seus Notcoin – não agora, pelo menos
Smartphone mostra logotipo da Receita Federal; ao fundo, um leão

Prazo para entrega do Imposto de Renda termina nesta sexta; veja como declarar criptomoedas

Com mudanças neste ano na declaração de criptomoedas, o contribuinte precisa ficar atento para não perder o prazo do Imposto de Renda, que vai até o dia 31
Imagem da matéria: Biografia do criador da FTX mostra uma balança (ainda) desregulada | Opinião

Biografia do criador da FTX mostra uma balança (ainda) desregulada | Opinião

“Sem Limites” de Michael Lewis (Editora Harper Collins), é uma obra que explora os erros do mercado através da vida e carreira de SBF