Viatura da Polícia Federal do Brasil - foto divulgação PF
Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal mobilizou vários agentes na manhã desta quinta-feira (01) em Itajaí, Santa Catarina, para prender um casal que captou R$ 10 milhões de investidores com a promessa de altos retornos no mercado financeiro que viriam com ‘apoio’ de um ‘robô trader’.

No âmbito da ‘Operação GUITAR’, foram cumpridos dois mandados de prisão temporária e dois de busca e apreensão contra os investigados.

Publicidade

Segundo comunicado da PF, o dinheiro teria sido capitalizado entre abril de 2019 e setembro de 2021, principalmente em Santa Catarina, através de um contrato com as partes intitulado “Termo de Adesão Investidor Cronwfounding”. Os rendimentos prometidos, diz o órgão, seriam frutos de operações de day trade ou swing.

No entanto, de acordo com as investigações, após captar os fundos dos investidores, a empresa “bloqueou os saques e contatos com os clientes, deixando-os no prejuízo”.

A Justiça Federal decretou então a indisponibilidade, arresto e sequestro de ativos patrimoniais relacionados a quatro pessoas investigadas, físicas e jurídicas, cujos nomes não foram divulgados.

“Os dois sócios principais foram presos temporariamente e indiciados nos crimes contra o Sistema Financeiro Nacional, de estelionato e de lavagem de dinheiro”, disse a PF.

Publicidade

Golpes com ‘robô trader’

Robô trader ou robô de investimento são termos que foram adotados por diversas empresas suspeitas de golpe — como Atlas Quantum e Midas Trend, por exemplo — e falsos traders vendedores de cursos, muitas vezes que operam em plataformas clandestinas como a IQ Option.

Geralmente, os golpistas tentam persuadir um investidor a aplicar o seu dinheiro prometendo que o “robô” fará toda a parte de negociação. Em muitos casos, os golpistas prometem de forma enganosa lucros acima de 90% na operação.

Os golpistas dos robôs traders, contudo, não se limitam a apenas negociações, mas também criam outros tipos de esquemas para fraudar o investidor ou até mesmo quem precisa de dinheiro, como ocorreu há alguns meses como um suposto golpe chamado ‘Robô do Pix’.

O produto, vendido na Hotmart por cerca de R$ 197, prometia aos consumidores o recebimento de vários Pix todos os dias e de maneira automática.

Publicidade

No entanto, conforme vários relatos no Reclame Aqui, a maioria dos compradores do produto se arrependeu porque o aplicativo não funcionou ou não entregou o prometido.

Procurando uma corretora segura que não congele seus saques? No Mercado Bitcoin, você tem segurança e controle sobre seus ativos. Faça como nossos 3,8 milhões de clientes e abra já sua conta!

VOCÊ PODE GOSTAR
moeda e notas pendurada em um varal

Operação contra maior milícia do RJ revela que suspeitos compravam Bitcoin para lavar dinheiro

Fonte do dinheiro movimentado pelos suspeitos seria oriundo de grilagem de terras, extorsão contra comerciantes e exploração do transporte
Fotos dos equipementos de mineração de criptomoedas operados com furto de eletricidade em Canela, RS

Polícia Civil do RS fecha fazenda de mineração de criptomoedas que lucrava R$ 400 mil por mês

Além de crime de furto de energia, casal preso responderá por porte ilegal de arma e lavagem de dinheiro
Banco Central se reunirá hoje com Facebook para debater proibição do WhatsApp Pay

“Inserimos com o Drex o conceito de tokenização nos sistemas dos bancos”, diz Campos Neto

O presidente do BC participa do Emerging Tech Summit, evento do Valor Capital Group em São Paulo
Imagem de Glaidson Acácio dos Santos, mais conhecido como Faraó do Bitcoin

Gilmar Mendes mantém prisão de Glaidson Acácio dos Santos, criador da GAS Consultoria

A defesa do ‘Faraó do Bitcoin’ alegou problemas psiquiátricos e uso de medicamento controlado, além de questionar a jurisdição acerca da competência para os processos